/

O que distingue um sucesso musical de uma canção banal? Os artistas de um só êxito desejam sabê-lo

1

Nigel Roddis / EPA

Apesar de terem sido identificadas algumas das características que podem contribuir para os sucessos, algumas delas revelam-se conflituantes na buca pelo sucesso duradouro.

A indústria da música está repleta de exemplos de artistas que ao longo da sua carreira musical lançaram apenas um single de sucesso e desaparecem sem conseguir dar seguimento a essa trajetória de êxito. Tal acontece, em grande parte, porque é difícil prever que canções se tornarão êxitos ou não. Adicionalmente, é ainda mais difícil prever que artistas lideram as tabelas atualmente e que num futuro poderão gravar mais êxitos e quais os que irão ver a sua fama desaparecer.

Agora, um estudo que se dedicou a analisar os registos discográficos dos últimos anos fornece algumas dicas sobre como evitar ser um caso de um só êxito. Artistas com mais variedade no seu catálogo musical têm mais hipóteses de obter êxitos repetidos, aponta Justin Berg, um cientista que investiga a criatividade e inovação na Universidade de Stanford. Mas há um dilema que os artistas que querem ser populares a longo prazo têm de enfrentar. A variedade não é o que ajuda os artistas a conquistar os primeiros êxitos, mas sim a semelhança de uma nova canção com êxitos recentes.

“Não há realmente uma fórmula mágica de atingir o alvo”, disse Berg à Science News. “Enfrenta-se um compromisso como criador, entre uma probabilidade de sucesso inicial ou o sustentado com base na novidade da tua discografia”. Estas descobertas poderiam ajudar artistas de uma variedade de campos a compreender melhor o impacto público da novidade.

Para descobrir se existe algum tipo de fórmula que possa ajudar a explicar quem se torna um êxito momentâneo e quem se torna um nome incontornável da música, Berg concentrou-se nas tabelas discográfics, com a sua extensa coleção de dados.

De facto, Berg utilizou uma base de dados de cerca de 3 milhões de canções de 1959-2010, lançadas por editoras que tinham produzido pelo menos um êxito nos Estados Unidos durante esse período. Dessas canções, cerca de 25.000 marcaram presença na lista semanal Billboard Hot 100, que regista as canções mais populares com base nas vendas, reproduções de rádio e transmissão online. Isto forneceu a Berg uma lista de quase 4.900 artistas que tinham uma ou mais canções que integraram a lista, a fórmula base para definir um êxito.

Recorreu de seguida a um sistema de Spotify que classifica as canções em função de 11 variáveis, incluindo a dançabilidade, a energia e a chave. Este sistema forneceu métricas sobre a maioria dos êxitos. Berg notou então a relação estreita das músicas que tinham tido sucesso com os êxitos do ano civil anterior. Também compilou portfólios para a maioria dos artistas que tinham pelo menos uma canção nos Hot 100, para que pudesse quantificar a variedade e novidade das canções que tinham lançado na altura do seu primeiro sucesso. Estes portfólios permitiram comparar as características de um êxito com aquelas que nunca o conseguiram.

Berg descobriu ainda que os artistas musicais com o que ele denominou portfólios de baixa novidade que se assemelhavam a outras músicas já existentes, tinham cerca do dobro da probabilidade de ter o sucesso inicial. Mas aqueles que construíram um catálogo mais inovador e variado antes da fama tinham mais probabilidades de gerar uma série de êxitos.

Uma vez que os dados utilizados remetem aos anos anteriores a 2010, a investigação pode não captar totalmente o estado atual da música. Os músicos estão a mudar a forma como escrevem canções para que estas se tornem mais atrativas no Spotify ou TikTok, defende Noah Askin, um cientista social computacional do INSEAD em Fontainebleau, França. “Muita da discussão agora resume-se a: Quão memorável é uma dada canção? “

Berg não quer que a sua pesquisa diminua os feitos dos artistas de um só êxito, como os Los Del Rio, que gravou o sucesso da década de 1990 “Macarena”. “Muitos deles no seu tempo foram bastante famosos e bem-sucedidos”, ressalva. “Sai-se e tenta-se fazer uma canção que cativante. Não é um desafio fácil”.

  ZAP //

1 Comment

  1. O que distingue? Normalmente os “sucessos” são canções banais (para não dizer pior)!
    A Macarena é só mais um exemplo disso mesmo!…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE