Primeiro não flutuava. Agora o novo submarino espanhol não cabe nas docas

Primeiro não flutuava, por excesso de peso, e agora, não cabe nas docas. O novo submarino da Marinha Espanhola é um embaraço para a Defesa do país vizinho e um caso flagrante de derrapagem, com os custos finais a duplicarem relativamente ao previsto.

O novo submarino S-80Plus que vai apetrechar a Defesa Espanhola não cabe nas docas da Base Naval de Cartagena, em Murcia, onde deverá ficar atracado. Um dado avançado pelo jornal El País que lembra os contornos “rocambolescos” que envolvem esta nave.

Em 2013, verificou-se a existência de um “desvio de 125 toneladas no peso, o que comprometia a flutuabilidade do submarino”, ou seja, não havia a garantia de que pudesse flutuar.

Foi então preciso aumentar o seu comprimento em 10 metros. E, dadas essas novas dimensões, o submarino não cabe nas docas onde deverá ficar atracado.

O Ministério da Defesa espanhol está, assim, obrigado a dragar e a ampliar as docas da Base Naval de Cartagena que vão acolher quatro submarinos S-80Plus. Estas obras de ampliação e de adaptação devem custar 16 milhões de euros, frisa o El País.

Por outro lado, o Governo espanhol vai ser também obrigado a aprovar um esticão ao orçamento inicial para a compra dos quatro submarinos, que era de 2.132 milhões de euros. O custo global final deverá chegar aos 3.907 milhões de euros, contando as modificações necessárias, salienta o referido jornal.

Cada submarino deverá, assim, custar cerca de 1.000 milhões de euros. O valor de mercado deste tipo de naves oscila entre os 400 e os 600 milhões de euros.

ZAP //

PARTILHAR

23 COMENTÁRIOS

  1. Muito profissionais!!
    O Portas deveria ter ido a Espanha “tirar o curso”… foi-se meter com os mafiosos alemães que levaram boa parte do “lucro”… ao menos os fizerem tudo sozinhos (e que belo “trabalho”)!!

  2. O Portas em todo o caso comprou material que funciona, agora aqueles que compraram os Kamov para estarem inoperacionais e na ferralha é que é mais condenável.

  3. Funciona mas não funcionava quando chegou!
    No caso dos nossos Trident, era o contrário, não podiam submergir por defeito nas placas do casco que não suportavam a pressão (um submarino que não submarina! ).
    Todos aprenderam na mesma escola, no que toca a dinheiros públicos, comprar caro e com defeitos para deixar margem a despesas extra.
    Enquanto o Zé pagar, há que aproveitar!

  4. “Uma mão lava a outra”: aquilo não foi derrapagem; foi um autêntico despiste! Contudo, sempre deve ter dado para abrir algumas “janelas de oportunidade” para alguns quantos dos nuestros hermanos…

  5. ha uma coisa que nao percebo
    diz a noticia: “Primeiro não flutuava, por excesso de peso, …”
    se tinha excesso de peso, vao aumenta-lo de tamanho? assim nao fica com mais peso?
    acho que aprenderam a fazer contas do o Guterres e a meter dinheiro ao bolso com o portas, rssss

    • Sim para flutuar foi preciso aumentar tamanho e para o meu amigo perceber o porquê terá que estudar algo que já foi estudado por Arquimedes há muitas centenas de anos.

    • Ai valha-me Deus… onde é que tu andaste na escola!??
      O Arquimedes, um gajo grego que fazia de tudo um pouco, mandou há já alguns anitos umas bocas relativamente ao que acontece às coisas na água. O gajo disse que todo o corpo mergulhado num fluido (líquido ou gás) em repouso, fica sujeito a uma força vertical de baixo para cima, cuja intensidade é igual ao valor do peso do fluido deslocado pelo corpo. Isto depende não apenas do dito tamanho mas também da forma, que necessariamente oferecer maior ou menor resistência. Olhando para o submarino se este estiver na horizontal sofrerá uma força muito superior do que se estivesse na vertical, porque implica na posição horizontal uma maior deslocação da água, uma maior resistência. No caso dos manolos, claramente o charuto que eles fizeram tinha muito peso para o tamanho o que o aproximaria mais de um submarino na vertical do que na horizontal, isto é, muito peso para uma área pequena, logo pouco fluido deslocado… afunda.
      Se assim não fosse imagine um porta-aviões… afundavam todos.

    • Aumentam o tamanho e consequentemente a flutuabilidade do “bicho”, ainda que aumente alguma coisa o peso. MAs este aumento não é proporcional aos 10m incrementados, pois estes 10m não terão a quota parte de equipamentos e sistemas já presentes no corpo original. O que se passava era estar demasiada massa contida em pouco casco flutuável. Do que li, apenas, e fazendo as minhas deduções. Desta forma distribuem o peso original e o imcremento por uma área substancialmente superior. E supostamente já deverá funcionar.

  6. Este submarino deve ser primo do tal barco feito nos estaleiros de Viana do Castelo que teimava em navegar devagarinho e nesta altura talvez ainda esteja a custar uma renda elevada ao Estado português porque o cliente (Açores) se recusaram a ficar com a encomenda.

  7. É cada engenheiro. as coisas flutuam quando têm menos densidade (g/cm3) que o líquido onde as queremos colocar. Neste caso aumentou-se o tamanho para que existisse mais ar no interior e baixasse a densidade do objeto (menor massa por unidade de volume).

  8. Aquilo que aprendi na 4ª classe foi…(sempre que o peso da água deslocada for superior ao peso do objecto ele flutua). Simples e prático de entender. Agora as respostas são mais sofisticadas e mais corretas e talvez por isso menos compreensíveis pelos não engenheiros de hoje, já que para alguns deles “massa” é o que se come e “volume” é o botão do rádio do carro.

  9. Antes de mais obrigado pela notícia. Não quero ofender, mas penso que no lugar de “nave” deviam de colocar “embarcação”. Não é que nave esteja errado, mas em português (penso que) não é comum ser utilizado neste sentido.

    • Caro Rui,
      Obrigado pelo reparo.
      Podemos usar várias palavras em vez de “nave”, termo que a exploração espacial e a ficção científica afastaram da sua origem, afundando-a em desuso no contexto marítimo. Mas é uma palavra antiga, bem portuguesa, pela qual nutrimos algum carinho. Perdoe-nos o revivalismo.

RESPONDER

Já é possível ouvir a Via Láctea. NASA transforma dados de corpos celestes em música

A NASA converteu dados de astronomia em sons, permitindo ouvir composições musicais derivadas da própria estrutura do Universo. Especialistas da NASA transformaram dados da Via Láctea em sons graças a um processo conhecido como sonificação. …

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …