Novo nome, funções diferentes e trabalhadores redistribuídos. O plano para extinguir o SEF

O Governo vai mesmo extinguir o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e até já tem um plano para isso, no qual está prevista a mudança de nome e a reestruturação das funções.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, apresentou esta quinta-feira o plano de reestruturação do SEF na reunião do Conselho Superior de Segurança Interna, de acordo com o Diário de Notícias.

Segundo o mesmo jornal, as mudanças começam logo pelo nome: o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) vai ser extinto e será criado, na tutela do ministério da Administração Interna, um novo organismo: Serviço de Estrangeiros e Asilo (SEA).

O Governo pretende separar as funções policiais das funções administrativas de autorização e documentação de imigrantes. Desta forma, toda a investigação criminal do SEF (imigração ilegal e tráfico de seres humanos) vai passar para a Polícia Judiciária (PJ), uma vez que já tem esta criminalidade nas suas competências e a transferência evitará uma alteração à Lei de Organização e Investigação Criminal (LOIC).

Além disso, o controlo de fronteiras e o controlo da atividade de estrangeiros em território nacional passará a ser responsabilidade da PSP, dirigida por Manuel Magina da Silva, que ficará responsável pelas fronteiras portuárias e aeroportuárias e pela expulsão de estrangeiros, em situação ilegal ou com condenações judiciais, do território nacional.

Já a GNR, comandada por Rui Clero, terá como novas atribuições o controlo das fronteiras terrestres e marítimas, bem como a participação nas operações conjuntas de controlos móveis na fronteira, com as autoridades espanholas.

O SEA ficará com o processamento dos pedidos de asilo e de nacionalidade, os pareceres sobre os vistos consulares, e as autorizações de residência.

A renovação dos vistos de residência ficará a cargo do Instituto de Registos e Notariado (IRN), na tutela do ministério da Justiça.

O SEF tem cerca de 1.800 trabalhadores que terão de ser redistribuídos – mil na carreira de inspeção e fiscalização, 600 no regime geral, e os restantes dirigentes, chefias, entre outras carreiras. Nos aeroportos está colocado o número mais elevado de funcionários (400), seguido da investigação criminal, que conta com cerca de 80 inspetores.

Segundo o Governo, os profissionais do SEF poderão escolher o seu destino. Os da carreira de investigação e fiscalização podem, por exemplo, ser transferidos para a PJ e ser integrados nas unidades de investigação criminal e as carreiras da parte documental podem passar para o SEA ou para o IRN.

O Governo pretende que, no próximo dia 21, seja aprovada uma Resolução de Conselho de Ministros com as principais orientações para esta reestruturação e que, até à segunda quinzena de março, sejam aprovadas as alterações orgânicas na PJ, PSP e GNR sobre o regime de pessoal e a lei orgânica do SEA.

Esta reestruturação do SEF surge na sequência do caso de Ihor Homeniuk, o cidadão ucraniano morto sob custódia do SEF no aeroporto de Lisboa. Há três inspetores acusados de homicídio e mais nove com processos disciplinares.

MAI manda SEF pagar indemnização

O ministro da Administração Interna ordenou esta quinta-feira ao SEF que proceda, “com caráter de urgência”, ao pagamento da indemnização aos herdeiros do cidadão Ihor Homeniuk.

O valor da indemnização é de mais de 800 mil euros. Foi fixado pela Provedora de Justiça e aceite pela família de Ihor Homeniuk.

“Recorde-se que este pagamento do Estado decorre ao abrigo do mecanismo extrajudicial, de adesão voluntária, ágil e simples, destinado à determinação e ao pagamento célere da referida indemnização, por perdas e danos, não patrimoniais e patrimoniais, aprovado para o efeito pela Resolução do Conselho de Ministros, de 14 de dezembro, que determinou, ainda, que a indemnização seja suportada pelo orçamento do SEF”, refere o MAI, em comunicado, citado pelo semanário Expresso.

O MAI adianta ainda que este despacho é assinado precisamente um mês após a publicação da Resolução do Conselho de Ministros, “demonstrando todo o empenho em assegurar, da forma mais célere possível, a indemnização à família de Ihor Homeniuk”.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Porque é que não mudam o nome ao ministério também? Por exemplo, Ministério da Amamentação Interna. E já agora porque não mudam o nome ao país? Por exemplo, República das Bananas. Mais um caso de “baralha e volta a dar” as mesmas cartas sujas.

  2. Mudar nomes se não mudarem atitudes de nada valerá a não ser sobrecarregar de mais uns milhares de euros as despesas que seremos todos nós a pagar, não queremos polícias a serem mal tratados ou assassinados por bandidos como por vezes acontece, mas também não os queremos a desempenhar esse mesmo papel, com menos arrogância e mais respeito pelo próximo parece-me que se resolverá o problema, assim haja formação e exigência para tal!

RESPONDER

Falcon 10 X: o jato executivo com a maior cabine do mundo

Na semana passada, a Dassault Aviation anunciou mais um elemento da família Falcon, que tem a ambiciosa meta de ser a nova referência no mercado de aviação executiva. O Falcon 10X está agora entre os jatos …

Pandemia "roubou" habitantes a Nova Iorque, mas a cidade está a renascer novamente

A pandemia de covid-19 "esvaziou" cidades norte-americanas, que mostram agora possíveis sinais de renascimento, de acordo com uma análise que sugere que os deslocamentos do ano passado terão sido temporários. Os dados da Unacast, uma empresa …

"100% confirmado". Naufrágio perto de Malta é do submarino HMS Urge

Mergulhadores confirmaram a identidade de um submarino britânico que foi afundado por uma mina alemã perto de Malta, em 1942, pondo fim às especulações de que tinha naufragado por culpa de aviões de guerra italianos, …

Confrontos entre polícia e adeptos do Sporting junto ao estádio

Na noite da festa leonina, viveram-se momentos de grande tensão. Polícia e adeptos envolveram-se em confrontos junto ao Estádio de Alvalade, esta terça-feira. Adeptos do Sporting e elementos das forças de segurança entraram em confronto nas …

Tribunal não encontra credores do Banif no estrangeiro

Alguns credores do Banif que estão no estrangeiro ainda não foram notificados, segundo o anúncio de citação de credores residentes no estrangeiro, datado de 06 de maio. Caso não seja possível encontrá-los, em breve todos …

Novas reações nucleares nas ruínas de Chernobyl. São como "brasas numa churrasqueira"

Nas profundezas das ruínas da Central Nuclear de Chernobyl, 35 anos após o pior acidente nuclear da História, as reações de fissão nuclear começaram a surgir novamente. Uma equipa de cientistas do Safety Problems of Nuclear …

A moeda digital da China pode ser o futuro do dinheiro, mas levanta preocupações

A moeda digital da China pode ser o modelo do futuro do dinheiro, mas levante preocupações relativamente à estabilidade da economia mundial. A China está a registar um progresso promissor com os testes do yuan digital. …

O assassinato de Vincent Chin foi uma batalha legal perdida. Mas incentivou a luta pelos direitos dos ásio-americanos

Vincent Chin faleceu aos 27 anos depois de ter sido espancado por dois homens brancos que o culpavam por terem sido despedidos. Nenhum dos assassinos passou um dia na prisão, mas o incidente estimulou o …

Messi e Barcelona tratam da renovação

Saída do argentino pode ser adiada (novamente). Contrato termina no próximo mês mas a ligação entre as duas partes deve ser prolongada. A saída de Lionel Messi do Barcelona parecia certa no verão passado mas o …

Nacional 1-3 Benfica | Créditos no banco com Darwin e Ramos

OBenfica venceu na tarde desta terça-feira o Nacional por 3-1, numa partida a contar para a 32ª jornada da Liga NOS. As “águias” estiveram em desvantagem desde o minuto 8, quando Pedrão inaugurou a contenda, e …