Novo Banco vai cortar mais 350 postos de trabalho até junho

André Kosters / Lusa

-

O presidente do Novo Banco reuniu-se esta terça-feira com a comissão de trabalhadores e com os sindicatos, informando-os do lançamento de um programa de rescisões voluntárias e outro de reformas antecipadas que visam a saída de 350 trabalhadores até junho.

“O objetivo do banco é reduzir até 350 trabalhadores até ao final do primeiro semestre”, disse à Lusa Rui Geraldes, porta-voz da Comissão Nacional de Trabalhadores do Novo Banco, no final do encontro com o presidente da instituição financeira, António Ramalho, sublinhando que esta medida consta do plano de reestruturação aprovado por Bruxelas em novembro de 2015.

“Na altura, o Governo acordou com Bruxelas um plano com metas relativas à redução dos custos operacionais, dos postos de trabalho e dos balcões. Nenhuma comissão de trabalhadores fica satisfeita com a redução de trabalhadores, mas foi algo imposto por Bruxelas e sempre defendemos que, face a esta imposição, devia haver um processo de rescisões voluntárias”, salientou o responsável.

“É uma solução menos dolorosa do que o despedimento coletivo”, acrescentou Rui Geraldes, elogiando a postura que a administração liderada por António Ramalho tem tido para com as estruturas representativas dos trabalhadores desde que tomou posse.

Apesar de o programa – que arranca esta quarta-feira e termina a 10 de março – ser, como o nome indica, de rescisões voluntárias, o Novo Banco reservou-se o direito de ter a “palavra final” sobre os candidatos, isto é, um trabalhador pode querer aderir e a administração pode impedi-lo de avançar com o processo.

“Compreendemos esta opção do banco, que assim se precavê para algumas situações que poderiam surgir. Imagine que todos os trabalhadores de uma agência específica queriam aderir ao programa, tal não podia ser aceite pelo banco”, comentou Rui Geraldes.

Outra fonte ligada às negociações, contactada pela Lusa no final da reunião de António Ramalho com a comissão de trabalhadores e com os vários sindicatos bancários, que decorreram em separado, assinalou que esta é “a primeira vez que o Novo Banco adota um programa de rescisões voluntárias”.

Segundo a mesma fonte, esta nova redução do pessoal estava definida desde novembro de 2015, quando a Direção-Geral da Concorrência (DG Comp) da Comissão Europeia impôs que, se o Novo Banco fosse vendido até ao final de 2016, teria que ter reduzido em mil pessoas o número de trabalhadores, mas que caso a venda não fosse concretizada, teriam que sair um total de 1.500 trabalhadores até junho de 2017.

“A nível doméstico, o objetivo é que as aceitações [do programa de rescisões voluntárias] se situem entre as 100 e as 150 pessoas, e que a nova fase do programa de reformas antecipadas abranja entre 150 e 200 pessoas. Isto é, um mínimo de 250 e um máximo de 350 trabalhadores”, sublinhou.

Desde novembro de 2015, saíram do Novo Banco 1.142 trabalhadores (excluindo as operações internacionais) e, levando em conta as vendas – ainda não concretizadas do NB Ásia e do Banque Espírito Santo et de la Vénétie (França) -, o total eleva-se para 1.327 pessoas.

Quanto aos balcões, o Novo Banco precisa de encerrar mais 70 agências para cumprir o objetivo de ter 550 balcões na atividade doméstica no final da primeira metade do ano.

A Lusa contactou fonte oficial do Novo Banco, que se escusou a fazer comentários sobre este tema.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Na Etiópia, os apagões da Internet afetam a vida de milhares de pessoas

A Internet desempenha um papel decisivo na transformação da vida de milhares de etíopes e é por isso que as paralisações têm um enorme impacto económico.  Entre janeiro e o final de março, os habitantes da …

É urgente moldar as áreas urbanas de África para suportar futuras pandemias

Quando o tema é a Covid-19, o poder das cidades provém do número de interações entre pessoas, empresas e mercados que estes centros populacionais permitem. Apesar de todas as suas virtudes, a verdade é que …

Incêndio em Chernobyl pode ter provocado valores de radiação acima do normal

Um fogo florestal atingiu este domingo a zona interditada da central nuclear de Chernobyl, mas as informações sobre o aumento dos níveis de radiação são contraditórias. O fogo já consumiu 100 hectares de floresta, disse Yehor …

Em pânico, os norte-americanos estão a comprar pintainhos para lidar com a pandemia

Todo o mundo está a ser afetado pela pandemia de covid-19, tendo os norte-americanos, inicialmente, corrido aos supermercados para comprar o máximo de papel higiénico possível. Porém, agora, o produto é outro. De acordo com o …

20 anos depois, aldeias no Peru ainda sofrem com derrame de mercúrio

Em junho de 2000, um camião derramou mercúrio, da mina de ouro Yanacocha, a maior da América Latina, em três aldeias do Peru. 20 anos depois, os moradores ainda sofrem as consequências deste acidente. Quando Francisca …

Caso BPP. Ex-banqueiro João Rendeiro acusado de nova burla

O Ministério Público (MP) acusou o ex-presidente e fundador do BPP, João Rendeiro, de mais um crime de burla qualificada no caso BPP, segundo avança o Correio da Manhã. A acusação relaciona-se, de acordo com o …

EUA "confiscam" na Tailândia 200 mil máscaras que iam para a Alemanha

A polícia de Berlim, na Alemanha, encomendou 200 mil máscaras cirúrgicas a uma empresa americana. Porém, foram "confiscadas" em Banguecoque, na Tailândia, e desviadas para os Estados Unidos. O ministro do Interior de Berlim considerou o …

Valência chega a acordo com Diogo Leite. Saída do FC Porto estará quase consumada

O Valência tem 20 milhões de euros para oferecer ao FC Porto em troca do defesa-central Diogo Leite, com quem já terá chegado a acordo. De acordo com o jornal desportivo A Bola, Diogo Leite já …

Jornais espanhóis fazem boicote às "conferências-farsas" do Governo

Os jornais espanhóis, como o Libertad Digital, o El Mundo, o ABC e o Vozpópuli, estão a boicotar as conferências de imprensa do governo de Espanha, acusando-o de filtrar as perguntas dos meios de comunicação. Tudo começou …

Número diário de óbitos desce em Espanha. Mais um campo de refugiados grego em quarentena

Em Espanha, o número diário de óbitos por infeção de covid-19 tem mantido uma tendência de subida. Já na Alemanha, há menos casos, mas mais mortes. Espanha continua a manter a tendência de descida do número …