Nobel da Literatura fala em “ditadura suave” na Bielorrússia

Kay Nietfeld / EPA

A jornalista bielorrusa Svetlana Alexievich, Nobel da Literatura 2015

A jornalista bielorrusa Svetlana Alexievich, Nobel da Literatura 2015

A prémio Nobel da Literatura 2015, Svetlana Alexievitch, definiu o regime da Bielorrússia como uma “ditadura suave” na véspera das eleições presidenciais no seu país, dirigido há 21 anos pelo Presidente Alexander Lukashenko.

A escritora bielorrussa exprimiu-se em Berlim na véspera de um escrutínio no qual a oposição foi afastada e que deverá reconduzir Alexander Lukashenko para um quinto mandato consecutivo, e alertou os europeus contra um levantamento das sanções dirigidas a Minsk.

Eleito pela primeira vez em julho de 1994, o homem forte da Bielorrússia e que dirige esta ex-república soviética situada entre a União Europeia (UE) e a Rússia, pretende obter uma taxa de participação convincente para esta eleição, que será seguida de perto pelos europeus, que já terão admitido o fim das sanções contra si e colaboradores mais próximos.

Para Svetlana Alexievitch, qualquer aproximação a quem gosta de ser designado por ‘Batka’ (o pequeno pai) da Bielorrússia seria um erro de apreciação.

“De quatro em quatro anos, novos responsáveis europeus chegam ao poder e pensam poder resolver o problema Lukashenko sem saber que ele não é um homem digno de confiança“, declarou durante uma conferência de imprensa em Berlim.

É um ‘homem soviético’ e nunca mudará“, assegurou, numa referência ao ‘homo sovieticus’ que percorre a sua obra e relacionada com a dificuldade dos países do antigo bloco de Leste se libertarem de uma conceção autoritária da política e da sociedade.

O regime de Lukashenko multiplicou os gestos de apaziguamento, designadamente ao libertar este verão os últimos presos políticos, onde se incluía o opositor número um Mikola Statkevitch, que esteve detido durante cinco anos.

Um “gesto” apreciado pelos europeus, que encaram suspender as sanções aplicadas em 2011 em protesto contra a repressão violenta que se seguiu à reeleição de Lukashenko em 2010.

Para a Nobel, os europeus não devem alimentar ilusões face à “ditadura suave” de Lukashenko, que se tem tentado posicionar como mediador entre a UE e Moscovo face às tensões provocadas pela crise ucraniana.

Enquanto a decisão sobre o levantamento das sanções deve ser decidida até ao final de outubro, os europeus aguardam o desenrolar da eleição presidencial, na qual Lukashenko de confronta com três candidatos praticamente desconhecidos.

Os 28 pretendem assegurar que “não vão registar-se novas prisões de opositores, violência, perseguições aos media”, referiu um diplomata à agência noticiosa AFP.

Durante uma conferência de imprensa no sábado em Minsk, dois dos três rivais de Lukashenko escusaram-se a emitir fortes críticas ao líder bielorrusso, e a sua campanha parece refletir a lassitude dos eleitores.

Por motivos diversos, os principais candidatos da oposição democrática foram impedidos pela comissão eleitoral, e apelaram ao boicote do escrutínio.

É uma posição fraca. Nunca apoiei o boicote das eleições. Mas se não temos candidato, porquê ir votar?”, disse à AFP o opositor Mikola Statkevitch.

Convencido de que a sua libertação da prisão se destina a agradar aos ocidentais devido à aproximação do escrutínio, Mikola Statkevitch desfilou ao lado de 500 manifestantes em Minsk, que agitaram bandeiras europeias e pediram em cartazes a saída de Lukashenko.

Após o anúncio da atribuição do Nobel da Literatura, o Presidente bielorrusso felicitou a escritora, mesmo que alguns dos seus livros estejam proibidos no país e que as autoridades impeçam com frequência as aparições em público de Svetlana Alexievitch em Minsk, onde vive uma parte do ano.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Svetlana Alexievitch : “Je n’aime pas le ‘monde russe’ de Lénine, Staline et Poutine”.
    Percebe-se, assim, porque lhe foi dado o prémio! Não é uma escritora, é uma jornalista que escreve!

RESPONDER

Prisão preventiva para hacker português suspeito de invadir sistema do tribunal eleitoral do Brasil

O hacker suspeito de invadir o sistema informático do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil, detido no sábado em Portugal, ficou esta segunda-feira em prisão preventiva, disse à agência Lusa fonte ligada ao processo. A PJ, …

Chefe do Governo Hong Kong revela ter "pilhas de dinheiro" em casa por causa das sanções norte-americanas

A chefe do Governo de Hong Kong, Carrie Lam, revelou esta semana ter "pilhas de dinheiro" em casa por causa das sanções norte-americanas. Em declarações à International Business Channel, a líder do Executivo de Hong Kong …

António Mexia e Manso Neto vão deixar gestão da EDP

Os presidentes executivos da EDP e da EDP Renováveis, António Mexia e Manso Neto, ambos suspensos de funções, manifestaram-se indisponíveis para voltar a integrar os órgãos sociais do grupo num novo mandato. Em comunicado à Comissão …

João Ferreira desafia Marcelo a assumir candidatura "o quanto antes"

  João Ferreira, candidato comunista às presidenciais, acredita, como os "todos" os portugueses, que Marcelo Rebelo de Sousa será recandidato, mas desafiou-o esta segunda-feira a dizê-lo "quanto antes", por "uma questão de transparência". “Já todos perceberam o …

Irão. Líder Supremo pede punição pela morte de cientista que liderou programa nuclear

O líder supremo do Irão, o Ayatollah Ali Khamenei, exigiu no sábado punição pela morte do cientista Mohsen Fakhrizadeh, que liderou o programa nuclear de Teerão, enquanto a República Islâmica culpa Israel pelo assassinato. Israel, há muito …

Portugal é o país da UE mais próximo de atingir metas climáticas para 2030

Portugal é o país da União Europeia (UE) mais perto de atingir as suas metas climáticas de redução de emissões até 2030, relativamente aos níveis de 2005, segundo um relatório esta segunda-feira publicado pela Comissão …

Novos casos aumentam mais de 50% em oito concelhos do Norte

O número de novos casos de infeção no Norte aumentou mais de 50% em oito concelhos da região, seis dos quais no distrito de Vila Real e dois em Bragança, segundo o relatório da Administração …

União Europeia convida Joe Biden para cimeira presencial durante presidência portuguesa em 2021

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, convidou o Presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, para uma cimeira presencial no primeiro semestre de 2021, durante a presidência portuguesa da União Europeia. Fontes europeias informaram que …

Maior controlo nas fronteiras não foi eficaz para conter o vírus, diz Cabrita

O ministro da Administração Interna considerou esta segunda-feira que o maior controlo nas fronteiras internas do espaço Schengen, durante os primeiros meses da pandemia, não foi eficaz para conter o novo coronavírus. “Ao nível das fronteiras …

Hospitais de Coimbra estão "muito próximos" do limite de capacidade

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) está "muito próximo do limite de capacidade" de resposta à covid-19, devido à falta de recursos humanos, disse esta segunda-feira o presidente do conselho de administração da …