A neutralidade de Zuckerberg já está a causar demissões no Facebook

Anthony Quintano / Wikimedia

Mark Zuckerberg, o criador da rede social Facebook

Dois engenheiros do Facebook apresentaram a demissão, na sequência da inação da rede social perante as últimas publicações de Donald Trump.

Os funcionários do Facebook têm-se mostrado insatisfeitos com a postura neutra do fundador da rede social, Mark Zuckerberg, relativamente às últimas publicações do Presidente dos Estados Unidos.

Na semana passada, vários trabalhadores aderiram a uma espécie de “greve virtual”, tendo pedido um dia de folga para apoiar os protestos por todo o país que lutam contra a violência policial, desencadeados pela morte do afro-americano George Floyd.

Agora, a insatisfação parece estar a atingir outras proporções e, até ao momento, já se sabe que dois engenheiros da empresa pediram a demissão.

Segundo o site Business Insider, esta segunda-feira, Timothy Aveni anunciou nas suas redes sociais que se tinha demitido do Facebook por considerar que a rede social se está a colocar no “lado errado da história”.

“Não consigo suportar a recusa continuada do Facebook em agir perante as mensagens intolerantes do Presidente para radicalizar o povo americano. Estou assustado com o meu país, e estou a ver a minha empresa a não fazer nada para desafiar este status quo cada vez mais perigoso”, escreveu o engenheiro de software no LinkedIn.

“Durante anos, o Presidente Trump foi uma exceção nos padrões da comunidade do Facebook. Repetidas vezes publica mensagens repugnantes, que suspenderiam qualquer outro utilizador do Facebook da plataforma. Trump tem permissão para violar as regras, já que o seu discurso político é ‘mediático'”, criticou também num post no Facebook.

Aveni revelou ainda que Zuckerberg tinha prometido aos seus colaboradores que iria agir contra os discursos que apelassem à violência, o que, na sua opinião, só veio revelar ser “uma mentira”, tendo em conta os episódios da semana passada.

De acordo com o site da Forbes, o engenheiro Owen Anderson também anunciou no Twitter que deixou o cargo. “Para ser claro, há algum tempo que estava a tratar disto. Mas, depois desta última semana, estou feliz por não apoiar mais políticas e valores com os quais discordo fortemente”, escreveu.

Na semana passada, o Twitter assinalou como apologia da violência um tweet difundido pelo Presidente sobre os protestos contra a morte de George Floyd. Trump chamou “bandidos” aos manifestantes, ameaçando que “quando as pilhagens começarem, os tiros vão começar”.

No mesmo dia, Zuckerberg disse discordar da interpretação do Twitter e afirmou que o post do chefe de Estado não iria ser removido do Facebook.

“Pessoalmente, tenho uma reação visceral negativa a este tipo de retórica divisória e inflamatória. Discordo totalmente da forma como o Presidente disse as coisas, mas acredito que as pessoas devem ser capazes de ver isso por si mesmas porque, em última análise, prestar contas aos que estão em posições de poder só pode acontecer quando o seu discurso é examinado abertamente”, explicou.

Antes deste episódio, o Twitter já tinha entrado em ‘guerra’ com Trump, depois de, pela primeira vez na sua história, ter assinalado dois tweets do Presidente com um link de “verificação de factos”.

Já nesta altura, Zuckerberg criticou a decisão do Twitter, tendo considerado que “as empresas privadas não se deviam colocar nessa posição”. “Acredito firmemente que o Facebook não deve ser o árbitro da verdade de tudo o que as pessoas dizem online”, declarou numa entrevista à Fox News.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Se fosse com um/a utilizador/a comum, tanto o Twitter como o Facebook, ou até mesmo outra rede social qualquer, já teriam cancelado a conta após aquele/a postar insultos a alguém. Mas como neste vergonhoso caso se trata do chefe de estado dos EUA, que parece ser um homem sem moral e sem valores éticos, aí nenhuma rede social parece ter coragem de cancelar a conta desse sujeito que se diz presidente. É caso para dizer, como forma de conclusão a este assunto, que se trata, infelizmente de: «dois pesos e duas medidas».

RESPONDER

Libertados nos EUA os primeiros mosquitos geneticamente modificados

Foi a primeira vez que mosquitos geneticamente modificados foram libertados nos Estados Unidos. O objetivo é suprimir populações de mosquitos transmissores de doenças. De acordo com o site Live Science, a empresa de biotecnologia Oxitec lançou …

Descobertos os restos de nove Neandertais numa gruta em Itália

Os restos de nove Neandertais foram descobertos na Gruta de Guattari, em San Felice Circeo, na costa entre Roma e Nápoles, onde já tinham sido encontrados vestígios da presença Neandertal, anunciou este sábado o ministro …

Leis draconianas na Malásia. Fahmi Reza foi detido por insultar a rainha com playlist no Spotify

A sátira desempenha um importante papel na sociedade. Na Malásia, as leis draconianas estão a reacender o debate em torno da liberdade de expressão. Fahmi Reza, um artista gráfico e ativista social malaio, foi detido no …

António Barreto

Portugal vai ter "um problema de cor de pele" (por muitos anos e com conflitos)

O sociólogo António Barreto considera que Portugal vai "ter um problema" de "cor de pele" e "por muitos anos". Uma ideia defendida numa entrevista onde se reporta para "o que se passa em toda a …

Um laboratório vivo. Há residentes "superimunes" à covid-19 numa pequena cidade italiana

A pequena cidade de Vo, no norte de Itália, tornou-se um dos primeiros locais com um surto de covid-19 da Europa em fevereiro de 2020. Agora, os cientistas descobriram que a cidade abriga um número …

Portugal com duas mortes e 406 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal registou hoje duas mortes atribuídas à covid-19, 406 novos casos de infeção pelo coronavírus e nova descida no número de internamentos em enfermaria e em cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …

Portugal "tem nível de rendimentos baixíssimo". Muitos municípios que perdem população desde o final II Guerra

Portugal tem municípios que perdem população desde o final da II Guerra Mundial e dificilmente fenómenos como o teletrabalho irão alterar esta paisagem, na opinião do geógrafo Álvaro Domingues, da Universidade do Porto. Em entrevista à …

Gestora em teletrabalho esqueceu-se da filha no carro. Bebé encontrada sem vida sete horas depois

Maria Pilar, uma bebé de dois anos, morreu esta sexta-feira, depois de ter ficado esquecida dentro do carro durante cerca de sete horas. A menina de dois anos esteve cerca de sete horas dentro do carro, …

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

Cimeira Social cheia de boas intenções deixa factura de um milhão de euros (e "erro" na comida da PSP)

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia comprometeram-se, na Cimeira Social do Porto, a "trabalhar em prol de uma Europa social". Mas o evento deixa uma polémica com as refeições distribuídas aos …

Alfredo Casimiro contrata Banco Nomura para vender 50,1% da Groundforce

O principal acionista da Groundforce anunciou este sábado, em comunicado, ter contratado o banco Nomura para assessorar a venda da participação de 50,1% da Pasogal na empresa de handling Groundforce, e pediu "especial atenção" ao …