/

Navio que colidiu com barco venezuelano pertence a empresa alemã

8

O navio cruzeiro que colidiu com um barco da Marinha Venezuela pertence a uma empresa alemã, apesar de ter bandeira portuguesa desde 2018.

De acordo com o semanário Expresso, o navio RCGS Resolute, que o Presidente venezuelano acusou de ter abalroado um barco da Marinha da Venezuela, foi registado na Madeira mas pertence à empresa Bunnys Adventure and Cruise, sediada em Hamburgo, Alemanha, e a empresa que o opera é do Canadá.

A SIC Notícias escreve ainda que o navio em causa tem um histórico com breves passagens por Portugal. Desde 2018, não atracou em nenhum porto nacional.

O jornal Expresso, citando o site Vesseltracker, detalha ainda que esta embarcação esteve envolvida numa série de outros incidentes principalmente pela acumulação de dívidas.

Nesta segunda-feira, o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou o cruzeiro de bandeira portuguesa “Resolute” de ter realizado um ato de “terrorismo e pirataria” contra um barco da Marinha venezuelana que se afundou segunda-feira, após colidirem.

Nicolás Maduro instou as autoridades do Curaçau, onde o barco está ancorado, a investigar este “ato de pirataria internacional”. “Há que rever todos os protocolos para atender este tipo de casos, porque se aplicou um protocolo em condições normais de paz, que se aplica no direito internacional”, que se “convidou a ir até um porto de Margarita (ilha venezuelana) e seria acompanhado em paz e tranquilidade”, disse esta terça-feira à noite.

Entretanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, disse à agência Lusa que existe disponibilidade para investigar o incidente, rejeitando tratar-se de um incidente entre os dois Estados.

“O incidente que envolveu um navio privado sob pavilhão português e uma lancha da Marinha da Venezuela não é um incidente entre Estados e o que os Estados devem fazer é colaborarem entre si para que a verdade seja apurada. Do ponto de vista do Estado português há toda a disponibilidade para essa colaboração”, esclareceu.

  ZAP //

 

 

8 Comments

  1. Há tipos que não vale a pena gastar saliva nem palavras.
    O navio nem sequer é Português.
    É alemão.
    Mas já aponta o dedo.
    Não bastou o avião da TAP… agora esta.

  2. Estranho é, e sem explicação coerente, é o facto do navio ser propriedade Alemã navegando sobre Bandeira Portuguesa………..não compreendo !.. Não obstante o facto deste Ditador ser um doente mental perigoso !

    • Não é nada estranho – acontece muito com navios, aviões, etc…
      A maioria dos navios tem bandeira do Panamá, país que tem registados o triplo dos navios de países como os EUA ou a China!!

  3. …pode registar a embarcação onde lhe for mais conveniente (€€€) grande parte das embarcações de recreio portuguesas (das outras não estou informado) navegam sobre bandeira holandesa ou belga.

  4. Quantos portugueses , tem dinheiro em paraísos fiscais ?? o barco está registado do paraíso fiscal da
    Madeira ! É permitido, é .
    Ora Portugal , ou antes o maduro, tem-nos atravessados na garganta , foi o pernil , que não segium por falta de pagamento , foram os dinheiros no BES , foi a história dos explosivos no avião da Tap , agora foi o navio , que de Português só tem o registo, nunca ou quase não atracou em qualquer porto nacional , qual vai ser a próxima ??
    Esperamos cenas dos próximos capítulos .

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE