Maduro volta a rejeitar ajuda humanitária. “A Venezuela não é um país com fome”

Cristian Hernandez / EPA

Em entrevista à BBC, o Presidente eleito da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que o seu país não precisa de ajuda humanitária, porque não há fome, e garantiu que milhões de imigrantes procuram anualmente o país.

Maduro afirmou que a Venezuela “tem toda a capacidade de satisfazer as necessidades do seu povo”, culpando as sanções impostas pelos Estados Unidos pelas dificuldades sentidas em setores da população.

A Venezuela não é um país com fome”, afirmou Nicolás Maduro, numa entrevista esta terça-feora divulgada pela televisão britânica BBC, recusando aceitar as informações de diversas agências internacionais segundo as quais mais de dois milhões de pessoas sairiam do país, nos últimos anos, devido às enormes dificuldades para sobreviverem.

“Os números oficiais dizem que não mais de 800 mil pessoas saíram do país, nos últimos dois anos, por razões económicas”, atirando as responsabilidades dessa fuga para a pressão internacional e para as sanções de que o país tem sido alvo.

“Essa campanha da emigração na Venezuela tem sido exagerada. A Venezuela é um país que recebe imigrantes, mas vocês não dizem isso, não mostram isso”, afirmou o Presidente eleito da Venezuela. “Há mais de dez milhões de imigrantes a chegar à Venezuela, todos os anos”, declarou Nicolás Maduro.

Por isso, o Presidente eleito repetiu que não permitirá a ajuda humanitária à Venezuela, considerando que é uma porta de entrada para uma intervenção militar dos EUA, e acusou o governo norte-americano de “gangue de extremistas”.

Nicolás Maduro afirmou a esperança de que o “gangue de extremistas na Casa Branca seja derrotado por uma poderosa opinião pública mundial”. O Presidente eleito da Venezuela continua a dizer que a ajuda humanitária enviada pelos Estados Unidos, com comida e medicamentos, é apenas “uma charada” e um pretexto para uma intervenção militar que está determinado a não permitir.

“Não queremos migalhas, alimentos tóxicos, restos de comida”, afirmou Maduro, referindo-se aos camiões de ajuda humanitária oriunda dos EUA que se encontram estacionados na Colômbia à espera de autorização para entrar na Venezuela.

Maduro considera que o governo norte-americano tem interesses obscuros e, quando interrogado sobre se acreditava que o Presidente dos EUA, Donald Trump, era um “supremacista branco” respondeu: “Sim, é, publica e abertamente. Eles odeiam-nos, menosprezam-nos, porque apenas se preocupam com os seus interesses particulares”.

Maduro recusou também a ideia de que mais de 50 países reconhecem autoridade ao autoproclamado Presidente interino, Juan Guaidó. “Cinquenta?! Onde foram buscar esse número? Onde vão vocês encontrar esses números?”, indignou-se Nicolás Maduro, dizendo que há uma campanha dos média internacionais contra o seu legítimo governo.

Maduro rejeita novas eleições

Sobre a marcação de eleições presidenciais, Maduro responde que não vê racionalidade em repetir um ato eleitoral que ganhou, em maio de 2018, e rejeita a ideia de que se mantém no poder por ter o apoio dos militares.

“Esse é outro mito que foi criado, nesta campanha contra mim. As forças armadas nacionais bolivarianas são estruturalmente humanitárias. São bolivarianas. São democráticas”, ripostou o Presidente eleito, explicando que elas estarão sempre ao lado dos governos democraticamente legitimados.

Na entrevista à BBC, Nicolás Maduro não se mostrou preocupado com uma eventual intervenção militar norte-americana, dizendo que ela nunca seria um problema. “(Os EUA) podem colocar um milhão de soldados. (…) Não é um problema. Nós defenderemos a Venezuela e faremos com que seja respeitada”, garantiu Maduro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Forças Armadas dos EUA estão a adquirir coletes à prova de bala adaptados para mulheres

As Forças Armadas dos EUA estão a dar grandes passos no que diz respeito à igualdade de género. A instituição está a começar a mudar os seus coletes à prova de bala, de forma a …

Abstenção do PCP no OE2021? É um excelente indicador, diz Costa

O primeiro-ministro, António Costa, considerou um “excelente indicador” o PCP ter anunciado a abstenção no Orçamento do Estado de 2021 (OE2021) e resultado de um entendimento “para ter um bom orçamento para o próximo ano”. “É …

Egito abre restaurante com vista de luxo para as pirâmides de Gizé

O Egito inaugurou um novo restaurante com vista panorâmica para as pirâmides. O investimento faz parte de uma tentativa de reavivar o turismo no país. O Egito revelou novas instalações para os visitantes no planalto nas …

Novo recorde. Portugal regista mais 3.669 casos de covid-19

Portugal regista este sábado 3.669 novos casos de infeção com o novo coronavírus, responsável pela covid-19, o valor diário mais elevado desde o início da pandemia, e mais 21 mortes relacionadas com a covid-19, segundo …

Câmara do Porto encerra cemitérios nos dias 31 de outubro e 1 e 2 de novembro

O presidente da Câmara do Porto anunciou o encerramento dos cemitérios em 31 de outubro e 1 e 2 de novembro, justificando a decisão com a necessidade de desviar meios para cumprir a proibição de …

Rui Vitória de saída do Al Nassr

O treinador português Rui Vitória está de saída do Al Nassr, avança este sábado o canal árabe 24Sports. A saída de Rui Vitória, que em janeiro de 2019 deixou o comando técnico do Benfica, surge …

Casamento com 200 pessoas autorizado em Arruda dos Vinhos. Câmara contesta

O presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos criticou a decisão da autoridade de saúde de autorizar a realização de um casamento “com cerca de 200 pessoas”, considerando que vai colocar a população do concelho …

Novo Banco desmente demissão de gestores após polémicas com Fundo de Resolução e Vieira

O Novo Banco veio a público desmentir a notícia do Público que alega que três gestores de topo da instituição se demitiram, após divergências internas envolvendo várias polémicas relacionadas com o Fundo de Resolução, com …

Milhões da bazuka europeia só chegam em junho

Portugal e os restantes Estados-membros das União Europeia (UE) só deverão receber os respetivos fundos da bazuka europeia de apoio à retoma no pós-pandemia na segunda metade de 2021, em meados de junho. A confirmar-se …

Braço de ferro entre Costistas e Nunistas novamente adiado

O PS voltou a adiar, agora de 31 de Outubro para 7 de Novembro, a reunião da Comissão Nacional que decidirá a orientação do partido face às eleições presidenciais. Fica assim adiado o braço-de-ferro entre …