Afinal, não é a gula que explica a obesidade

A fome hedónica “não conta a história toda”, é o que defendem os cientistas do mais recente estudo que conclui que o prazer que se retira do ato de comer não é o fator de risco no aumento de peso.

Um recente estudo realizado por cientistas do Centro Champalimaud (CC), em colaboração com outros centros portugueses, refere que o prazer que se retira do ato de comer não é o fator de risco no aumento de peso.

“A questão de base já faz parte da psicologia popular: ouve-se frequentemente dizer que a obesidade ‘é como uma dependência'”, diz Albino Oliveira-Maia, psiquiatra e neurocientista do CC que liderou o estudo, publicado na Scientific Reports.

Segundo o Diário de Notícias, o especialista garante que não há provas claras de que a fome hedónica, a vontade de comer por prazer, esteja relacionada com o peso.

Gabriela Ribeiro, nutricionista clínica e primeira autora do artigo, acrescenta ainda que o prazer de ingerir alimentos “é um comportamento natural e saudável que, na obesidade, adquire contornos particulares”.

A especialista não esconde o facto de o prazer alimentar contribuir para o excesso de peso, “mas o que mostrámos é que isso não explica a maioria dos casos de obesidade”.

O estudo baseou-se na análise de três “amostras” de adultos: 123 doentes clinicamente obesos (com índice de massa corporal superior a 30), 278 estudantes do ensino profissional ou superior e 865 pessoas globalmente representativas da população portuguesa, para, segundo o DN, confirmar as conclusões num grupo maior.

A equipa recorreu à escala PFS (Power of Food Scale) que, a partir de um questionário, permite atribuir à fome hedónica de cada pessoa um valor de 1 (mínima) a 5 (máxima).

Analisando a relação entre peso e fome hedónica, os investigadores perceberam que do grupo das pessoas que tinham obtido 1 ou 2 pontos na escala FPS, apenas 10% eram obesos, enquanto entre as que tinham 4 e 5 pontos, o número de obesos subiu para 40%.

Além disso, a análise mostrou que em cada aumento de um ponto na escala, a probabilidade de se ser obeso quase duplicava.

Os resultados comprovaram que o prazer pela comida explica a obesidade, porém os cientistas mostraram que a fome hedónica explica “menos de 10% da variabilidade do IMC.

“A recompensa alimentar não é a principal explicação da obesidade. Portanto, a dependência da comida não conta a história toda”, salienta Oliveira-Maia.

No seu conjunto, a idade, o nível de instrução e o género podem ser preditivos de apenas 6% da variabilidade do peso, pelo que os 10% atribuídos à escala PFS podem ter alguma importância. “Ainda temos de procurar os outros 84%“, diz o cientista.

Os resultados deste estudo são importantes na visão dos cientistas na medida em que “devemos basear as nossas decisões relativas à saúde em resultados reais e não em opiniões”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Passos Coelho cancela participação em fórum para afastar "especulações infundadas" sobre o seu regresso

O antigo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, decidiu cancelar a presença numa conversa via Zoom agendada para 25 de março, inserida num ciclo denominado “Repensar Portugal”. Esta quinta-feira, o semanário Expresso adiantou que o antigo primeiro-ministro Pedro …

A física quântica pode causar mutações no nosso ADN

Simulações de computador e métodos de mecânica quântica têm sido usados ​​para determinar o papel que o tunelamento de protões, um fenómeno puramente quântico, desempenha nas mutações espontâneas no ADN. A biologia quântica é um campo …

Buracos negros minúsculos podem estar a "esconder-se" dentro de estrelas (e a devorá-las por dentro)

Uma equipa de investigadores tem um novo palpite sobre onde procurar a misteriosa matéria escura: esta pode estar a assumir a forma de buracos negros endoparasitários. De acordo com o ScienceAlert, buracos negros primordiais minúsculos, quase …

Maionese está a salvar tartarugas após derrame de petróleo em Israel

Membros do Centro Nacional de Resgate de Tartarugas Marinhas de Israel estão a usar maionese para limpar as vias respiratórias de tartarugas que inalaram petróleo em alto-mar. Israel fechou este domingo as praias mediterrânicas dias após …

Itália investiga empresas de entrega de comida. Há estafetas tratados "como escravos"

Itália está a investigar as empresas de entrega de comida online, com um promotor a lamentar que os estafetas que fazem as entregas, muitos deles imigrantes, são praticamente tratados "como escravos". Procuradores de Milão avançaram que …

O IONIQ 5 é o novo carro elétrico da Hyundai (e é enorme entre eixos)

O ano 2021 vai ser promissor na apresentação e lançamento de carros elétricos no mercado mundial. Algumas marcas, como a Hyundai, têm produtos prontos para serem comercializados. Agora, a marca sul-coreana apresenta o IONIQ 5. Com …

Em Moscovo, qualquer um pode ser vacinado contra a covid-19 (e até ganha um gelado)

Em Moscovo, capital da Rússia, a vacina Sputnik V está disponível gratuitamente a qualquer pessoa que queira ser vacinada desde 18 de janeiro. Os interessados não precisam de agendar a toma e até ganham um …

As abelhas convenceram-nos de que sabiam matemática. Mas mentiram-nos

O novo estudo não significa necessariamente que as abelhas não entendam números, mas sugere que os animais usam propriedades não numéricas para resolver problemas matemáticos. Vários estudos convenceram-nos de que as abelhas são pequenos génios matemáticos: …

Liam Thorpe era prioritário na vacinação contra a covid-19 por ter 6,2 cm. Foi um erro

Liam Thorp, um homem de 32 anos sem comorbilidades, foi incorporado na lista de cidadãos prioritários para a vacinação contra a covid-19 no Reino Unido. Tudo por causa de um erro no sistema, que o registou …

Decisão de Lyon de retirar carne das ementas escolares gera protestos em França

A decisão temporária do presidente da Câmara de Lyon, membro do partido Europa Ecologia - Os Verdes, está a ser recebida com protestos em França. De acordo com o jornal The Guardian, Grégory Doucet decidiu retirar …