Na era das redes sociais, a tradição do vestido de noiva branco já não é o que era

A pandemia veio alterar muitas das regras que antes se tinham como obrigatórias nas cerimónias, com os noivos a procurarem formas de se diferenciarem, sobretudo nos registos que vão parar às redes sociais.

Quando Elizabeth Arasevi começou a escolher o seu vestido de casamento, não tinha qualquer intenção de o personalizar ou tornar a peça em algo mais ‘seu’. “Qualquer noiva quer sentir a mais bela no dia do seu casamento, e enfiar-me num vestido branco adocicado por causa da tradição não era uma opção para mim”, disse ao The New York Times.

A auditora de 36 anos acrescentou que também não estava interessada em apresentar-se como uma “noiva pura e delicada. Em vez disso, optou por um vestido vermelho com renda preta no seu casamento de junho de 2021. Não esperava, no entanto, a forma como o vestido recebido, com os convidados a elogiarem não só a indumentária, mas todo o casamento, que disseram transparecer as características da noiva.

Mas, afinal, o que terá assim de tão inovador um vestido vermelho? De onde vem a tradição de as noivas usarem branco nas suas núpcias?

Reza a lenda, e a história, que a Rainha Vitória de Inglaterra usou a cor precisamente no seu no seu casamento de 1840 com o príncipe Alberto, criando uma tradição que acabaria por vigorar durante séculos. Antes desse acontecimento marcante, as cores vibrantes eram a regra, com alguns profissionais do setor a sugerir que podemos estar a regressar precisamente a esses tempos.

Um estudo publicado em novembro pelas plataformas Brides e pela Investopedia, que abordou mil pessoas que tencionam casar nos próximos dois anos, concluiu que 28% dos participantes pretendem prescindir do vestido branco e o fato clássico em detrimento de uma alternativa atípica. Outro estudo publicado em dezembro, que comparou dados do período de setembro-novembro de 2021 e o mesmo período de três meses em 2020, descobriu que as pesquisas de artigos de casamento com cores, nomeadamente vestidos, fatos, véus e centros de mesa, emergiram 223% de ano para ano.

“Esta geração de noivas está muito preocupada com a visibilidade digital dos seus casamentos”, explicou Anastasia Stevenson, designer de moda e wedding planner. “Os noivos precisam de fazer algo diferente para se destacarem das centenas de milhares de outras publicações” feitas pelas noivas no TikTok e Instagram. Paralelamente, muitas noivas recusam totalmente a ideia de que o casamento ainda possa estar associado à pureza, uma noção que têm mesmo como ultrapassada.

A força da tradição ainda existe para alguns, que se sentem inibidas em aventurar-se por tons como o rosa, o vermelho ou até o amarelo. De facto, o rosa tem sido a cor mais popular dos vestidos de noiva não tradicionais, mas ao longo do último ano e meio, a lojas têm se esforçado por oferecer alternativas como vestidos de noiva pretos, vermelhos e azuis. Estes constituem agora cerca de 10% das coleções, representando um aumento de cerca de 30% face ao ano passado.

“O preto, em particular, tem realmente impactado as noivas que procuram um visual de casamento chique e dramático”, disse explicou Stevenson.

Amber Lee, de 41 anos, comprou originalmente um vestido branco para o seu casamento com Michael Lee, previsto para 30 de Dezembro de 2021. No entanto, acabou por mudar de ideias, para uma peça preta pela qual se apaixonou. “Embora os vestidos não brancos possam ser uma escolha mais comum para noivas que voltam a casar, usar preto não tinha que ver com o facto de se tratar do segundo casamento, mas simplesmente com o que lhe parecia certo, disse

Para desgosto da sua mãe e sogra, a escolha da cor preta acabou por não reunir consenso, com nenhuma das convidas a  achar que a cor fosse apropriada. “Mas quando me viram no dia do meu casamento, ambas adoraram o vestido“, descreveu.

Perante esta alteração nas preferências dos consumidores, os designers já sonham em encontrar a tonalidade alternativa perfeita, sempre no campo dos rosas, prateados ou acetinados, de forma a tornar o dia especial ainda mais único. Alguns apontam ainda outra vantagem na escolha de cores mais excêntricas: a possibilidade de reutilizarem os vestidos em ocasiões posteriores, ou apenas partes destes. Ainda assim, outro problema pode surgir: a possibilidade de uma das convidadas surgir com a mesma cor.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.