Mulheres da GNR obrigadas a levar os filhos para o posto por falta de horário flexível

Algumas militares da GNR estão a ser obrigadas a levar os filhos para o posto por não terem onde os deixar quando entram nos primeiros turnos da manhã, às 7h.

Há mulheres da GNR que estão a ser obrigadas a levar os filhos pequenos para o posto por não terem onde os deixar quando entram nos primeiros turnos da manhã. Há vários casos em todo o país de ordens inflexíveis de comandantes, mesmo em situações em que as escolas ou infantários ainda não estão abertos – ou até mesmo ao fim de semana.

Segundo o Jornal de Notícias, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga já aceitou uma providência cautelar apresentada por uma militar da GNR de Guimarães que se queixava de que o seu comandante a obrigava a trabalhar no turno das 7h até às 16h.

A militar pediu para trocar o turno, trabalhando das 8h às 17h, para poder passar no infantário às 7h30 e deixar as suas duas filhas, de cinco e de dois anos. De acordo com o matutino, também o marido é da GNR, pelo que as duas crianças ficariam sem ter quem as pudesse levar ao infantário.

Perante a providência cautelar apresentada, o tribunal suspendeu a ordem do superior hierárquico, justificando que caso cumprisse aquele horário, a militar estaria a “violar o cumprimento das suas responsabilidades parentais”.

Ao JN, o coordenador da região norte da Associação dos Profissionais da Guarda afirma que estes casos se tratam de “assédio laboral” e afirmou que este não é um caso único na cidade de Braga. O coordenador conta que há uma militar que leva o filho para o posto todos os dias às 7h, só o levando para a escola às 9h, quando outros profissionais chegam.

Na origem destas situações está um despacho do Comando Geral da GNR aprovado em novembro de 2017 que retira aos militares com filhos menores de 12 anos a atribuição de horário flexível por defeito. Todos os militares nesta situação precisam assim de pedir autorização para obterem este horário.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não é “se tratam de assédio laboral” é “se trata de”. O verbo tratar, quando é sinónimo de “lidar com” só se pronuncia na 3ª pessoa do singular. Mas eu com a 4ª classe é que tenho que ensinar os “jornalistas”?

    • Lá vem este mais a sua 4ª classe.
      Está certo dizer “que (em todos) estes casos, se trata de…”.
      Está certo dizer “que (todos) estes casos se tratam de…”

RESPONDER

Polícias de elite da PSP convocados para trabalhar nas obras

Operacionais da Unidade Especial de Polícia (UEP) da PSP estão a ser chamados para colaborarem como voluntários nas obras de remodelação da messe localizada na Quinta das Águas Livres, em Belas, Sintra. Segundo o Correio da …

Portugueses são dos que menos gastam em viagens turísticas

Os portugueses são dos cidadãos europeus que menos gastam em deslocações de turismo, ao desembolsar em média 136 euros por viagem turística, menos de metade da média da União Europeia, de 336 euros, revelam dados …

Ex-diretor da CIA admite recorrer à Justiça contra Donald Trump

O ex-diretor da CIA John Brennan admitiu neste domingo recorrer à Justiça, depois de o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lhe ter cancelado o acesso a informação confidencial e à Casa Branca. “Se esse é …

Trabalhadores da CGD em greve contra a perda de privilégios

O novo Acordo de Empresa que a Administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) pretende implementar está a gerar revolta entre os trabalhadores e já levou à convocação de uma greve para sexta-feira, 24 de …

Asia Argento terá pago a jovem ator que a acusou de assédio sexual

A atriz e realizadora italiana terá pago 380 mil dólares para silenciar um jovem ator e músico que a acusa de assédio sexual quando tinha apenas 17 anos. Asia Argento foi uma das primeiras mulheres da …

Governo está a preparar descida dos impostos e aumento das pensões

São cinco as prioridades do Governo para o próximo Orçamento do Estado, segundo revela Marques Mendes no seu habitual espaço de comentário na SIC, nomeando o aumento das pensões, o alívio no IRS, a descida …

Bomba que matou 40 crianças no Iémen foi vendida pelos EUA em 2015

A bomba que matou de 40 crianças num autocarro escolar no Iémen, a 9 de agosto, foi fabricada pelos Estados Unidos e vendida à Arábia Saudita em 2015. De acordo com a CNN, que avança …

GNR "desfalcada" devido à transferência de mil militares para os incêndios

Nos últimos meses, mais de mil militares da GNR foram "reconvertidos" em bombeiros especialistas, membros do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), que atuam no combate a incêndios. Com esta alocação, a situação …

Em 17 anos, o número de inspetores na educação caiu 41%

Entre 2001 e 2017, o número de inspetores a Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) passou de 304 funcionários a exercer essas funções para 179, registando assim uma queda de 41%. O Sindicato dos Inspetores da …

Mais de 400 mortos nas inundações em Kerala, no sul da Índia

Mais de 400 pessoas morreram na sequência das inundações que atingiram Kerala, na Índia, as mais graves em 100 anos naquele estado do sul do país, de acordo com um balanço feito nesta segunda-feira pelas …