Muito mais do que tabaco. Cientistas identificam drogas tomadas pelos maias em recipientes antigos

Washington State University

Uma equipa de cientistas da Washington State University identificou a presença de planta que não é do tabaco em recipientes de drogas dos antigos maias.

Os investigadores detetaram “marigold mexicana” (Tagetes lucida) em resíduos retirados de 14 vasos de cerâmica. Originalmente enterrados há mais de mil anos na península mexicana de Yucatán, os vasos também contêm vestígios químicos presentes em dois tipos de tabaco seco e curado, Nicotiana tabacum e N. rustica.

A equipa, liderada pelo antropólogo Mario Zimmermann, acredita que a marigold mexicana era misturada com o tabaco para tornar o ato de fumar mais agradável.

“Embora tenha sido estabelecido que o tabaco era normalmente usado nas Américas antes e depois do contacto, as evidências de outras plantas usadas para fins medicinais ou religiosos permaneceram amplamente inexploradas”, disse Zimmermann, em comunicado.

“Os métodos de análise desenvolvidos em colaboração entre o Departamento de Antropologia e o Instituto de Química Biológica dão-nos a capacidade de investigar o uso de drogas no mundo antigo como nunca antes.”

Neste trabalho, foi usado um novo método de análise baseado em metabolómica que pode detetar milhares de compostos de plantas ou metabólitos em resíduos colhidos de recipientes, canos, tigelas e outros artefactos arqueológicos. Os compostos podem ser usados ​​para identificar que plantas eram consumidas.

Anteriormente, a identificação de resíduos de plantas antigas dependia da deteção de um número limitado de biomarcadores, como nicotina, anabasina, cotinina e cafeína.

“O problema com isso é que, embora a presença de um biomarcador como a nicotina mostre que o tabaco foi fumado, não diz o que mais foi consumido ou armazenado no artefacto”, disse David Gang, professor do Instituto de Química Biológica da Washington State University.

“A nossa abordagem não só diz que sim, encontrámos a planta na qual estavamos interessados, mas também pode dizer o que mais estava a ser consumido.”

Zimmermann ajudou a desenterrar dois dos vasos cerimoniais que foram usados ​​para a análise na primavera de 2012. Na época, estava a trabalhar numa escavação dirigida pelo Instituto Nacional de Antropologia e História do México nos arredores de Mérida, onde um empreiteiro descobriu evidências de um sítio arqueológico maia enquanto limpava terras para um novo conjunto habitacional.

A equipa de arqueólogos usou equipamento GPS para dividir a área numa grade semelhante a um tabuleiro de xadrez. Depois, abriram caminho através da densa selva em busca de pequenos montes e outros sinais reveladores de edifícios antigos onde os restos mortais de pessoas importantes como os xamãs às vezes são encontrados.

“Quando se encontra algo realmente interessante, como um recipiente intacto, isso dá uma sensação de alegria”, disse Zimmermann. “Há literalmente toneladas de fragmentos de cerâmica, mas os recipientes completos são escassos e oferecem um potencial de pesquisa muito interessante”.

A equipa está atualmente em negociações com várias instituições no México para obter acesso a recipientes mais antigos da região que possam analisar em busca de resíduos vegetais. Outro projeto que estão a desenvolver atualmente passa por examinar resíduos orgânicos preservados na placa dentária de restos humanos antigos.

“Estamos a expandir as fronteiras da ciência arqueológica para que possamos investigar melhor as relações de tempo profundas que as pessoas tiveram com uma ampla gama de plantas psicoativas, que foram (e continuam a ser) consumidas por humanos em todo o mundo”, disse Shannon Tushingham, professor de antropologia na Washington State University.

“Há muitas formas engenhosas pelas quais as pessoas gerem, usam, manipulam e preparam plantas nativas e misturas de plantas, e os arqueólogos estão apenas a começar a arranhar a superfície de quão antigas essas práticas eram.”

A descoberta do conteúdo dos recipientes pinta uma imagem mais clara das práticas de uso de drogas dos antigos maias. Este estudo, publicado na semana passada na revista científica Scientific Reports, também abre caminho para estudos futuros que investiguem outros tipos de plantas psicoativas e não psicoativas que eram fumadas, mastigadas ou inaladas entre os maias e outras sociedades pré-colombianas.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Nada disto me espanta, o que me surpreende mais é que na atualidade as drogas serão ainda mais consumidas e sofisticadas do que no passado porque a ganância de uns e a fraqueza de outros combinam bem no negócio em que os primeiros são os únicos beneficiados com a benção dos políticos mundiais que por alguma razão não querem pôr cobro a tamanha catástrofe humanitária.

RESPONDER

Nem com a maternidade o PS segura Coimbra. Sondagem dá vantagem ao PSD, numa corrida apertada

Na semana das autárquicas, uma sondagem aponta para que o PSD consiga roubar a Câmara de Coimbra ao PS, apesar da corrida estar apertada. A corrida autárquica em Coimbra tem sido uma das mais quentes da …

Após gestos obscenos, ministro da saúde brasileiro testa positivo à covid-19 em Nova Iorque

A participação da comitiva brasileira na Assembleia Geral das Nações Unidas, que decorre atualmente em Nova Iorque, esteve envolta em polémica desde o início. Primeiramente, Jair Bolsonaro, chefe de Estado brasileiro, afirmou que não iria …

FBI confirma que corpo encontrado é de Gabby Petito. Médico legista fala em homicídio

O FBI anunciou que o corpo encontrado no domingo, num parque natural de Wyoming, nos EUA, é de Gabrielle Petito, a jovem cujo desaparecimento cativou a atenção do mundo. A autópsia confirmou que os restos mortais …

Maioria dos candidatos para Porto e Lisboa admite criar zonas com menos carros nas cidades

Um inquérito da associação ambientalista Zero apurou as propostas dos candidatos às autarquias de Lisboa e Porto sobre a redução do uso de carros e os incentivos à mobilidade sustentável. No âmbito do dia Europeu sem …

Racismo: Alonso não se ajoelha. "É adulto e tomou a sua decisão"

Treinador do Chelsea comentou a decisão do espanhol, que deixou de se ajoelhar antes dos jogos do campeão europeu. Há alguns meses que, antes de cada jogo da Premier League, todos os jogadores e árbitros se …

V. Guimarães contrata dois jovens ao FC Porto por 15 milhões. Rui Pinto pede investigação

Os valores envolvidos nas transferências de Rafael Pereira e Francisco Ribeiro do FC Porto para o Vitória SC têm gerado polémica. Rui Pinto pede uma investigação. Rafael Pereira e Francisco Ribeiro são reforços do Vitória de …

Costa aventurou-se em terreno inimigo e deu o mote para as críticas aos comunistas

António Costa mandou algumas indiretas ao PCP, mas as principais críticas ao parceiro de 'geringonça' ficaram sob responsabilidade dos candidatos socialistas. Esta terça-feira, António Costa aventurou-se em terreno inimigo. No espírito de disputa com comunistas, o …

Revendedores de combustíveis ameaçam fechar bombas em protesto contra limites aos lucros

Os revendedores de combustíveis ameaçam "encerrar temporariamente os postos de abastecimento" como forma de protesto devido à nova lei, aprovada no Parlamento, que impõe limites às margens de lucro na comercialização de combustíveis. Após o alerta …

Libertação da sociedade antes das eleições não vai influenciar resultados autárquicos

Portugal está cada vez mais próximo de atingir os 85% de população vacinada, o que significa que a última fase do processo de desconfinamento está cada vez mais próxima. Mas poderá essa decisão ter alguma …

Aos 60 anos, vice-presidente do Suriname participou em jogo internacional (e distribuiu dinheiro no balneário)

Aos 60 anos, o vice-presidente do Suriname, Ronnie Brunswijk, jogou 54 minutos de uma partida internacional de clubes. No final, distribuiu dinheiro pelos jogadores no balneário. Ronnie Brunswijk, vice-presidente do Suriname, tem 60 anos e é …