Identificado no México um navio que transportava escravos maias durante a Guerra das Castas

Helena Barba/ INAH via AP

Um grupo de arqueólogos identificou um navio que transportava o povo maia para a escravatura na década de 1850, no México. Esta é a primeira vez que um navio deste tipo foi encontrado.

O naufrágio do barco foi encontrado em 2017, mas não tinha sido identificado até os investigadores do Instituto Nacional de Antropologia e História verificarem documentos contemporâneos, e assim descobrirem que se tratava do navio “La Unión”, que se localizava a cerca de 3,7 quilómetros do porto de Sisal, e a cerca de 7 metros de profundidade, diz o The Guardian.

“La Unión” era usado no século XIX para transportar escravos que eram capturados no México, durante a grande rebelião que aconteceu entre 1847 e 1901 – ficando conhecida como “A Guerra das Castas”.

Na altura, a escravatura era ilegal no México, mas os operadores de navios enganavam os maias, que pensavam que estavam a deixar o seu país para “assinar” como trabalhadores contratados. A realidade é que quando chegavam a Cuba eram quase todos tratados como escravos. O povo maia acabava por ir trabalhar nos campos de cana-de-açúcar em Cuba.

Contudo, em setembro de 1861 algo correu mal. O navio “La Unión” estava a viajar até Havana quando as suas caldeiras explodiram, o que fez com que afundasse no importante porto de Sisal em Yucatán.

O instituto disse que a identificação do navio foi possível, graças aos destroços de madeira que ainda existiam cujas vigas apresentavam sinais de fogo. A localização do naufrágio também coincide com os relatos do acidente, que matou metade da tripulação.

Um ano antes, em outubro de 1860, o navio foi descoberto no estado de Campeche, transportando 29 maias, incluindo crianças. Essa viagem foi aparentemente impedida, mas isso não impediu que o navio continuasse a fazer as suas viagens, que também envolviam o transporte de fibra de sisal – fibra usada na fabricação de cordas.

Depois do naufrágio, não ficou claro se havia algum maia a bordo. Os registos não são claros porque acredita-se este povo era tido como mercadoria, por isso não estavam no registo de passageiros do “La Unión”.

Segundo o The Guardian, a arqueóloga Helena Barba Meinecke observou que quase todos os maias capturados eram enviados para Cuba, de onde quase nunca voltavam. “Cada escravo era vendido por 25 pesos aos intermediários, que depois os vendiam em Havana por valores mais altos, que podiam chegar aos 160 pesos para homens, e 120 pesos para mulheres”, explicou a investigadora.

Na época, os maias começaram uma das maiores revoltas indígenas da América do Norte, na península de Yucatán em 1847. O povo lutou contra o domínio dos mexicanos que os exploravam. Por outro lado, o governo mexicano lutou contra a rebelião sangrenta com uma repressão brutal. A guerra custou cerca de 4 mil vidas, e terminou oficialmente em 1901 com a ocupação da capital maia de Chan Santa Cruz pelas tropas do exército federal mexicano.

Ao longo dos anos, alguns navios negreiros africanos naufragados foram encontrados em águas por todo o mundo, mas até agora nenhum navio de transporte de escravos maias tinha sido identificado.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sporting: espanhóis analisam o "maior" Haaland

Avançado do Borussia Dortmund apresenta recordes que, nem Messi, nem Cristiano, tinham. O Sporting entra em campo para a segunda jornada da Liga dos Campeões, diante de um Borussia Dortmund que tem no seu plantel uma …

Escola proíbe alunos de levarem almoço de casa. Ministério da Educação fala em “recomendação”

Interpretações distintas das normas emitidas pelo Ministério da Educação e a inexistência de equipamentos para aquecer as refeições em linha com as recomendações de segurança motivadas pela covid-19 podem estar na origem da decisão. Os alunos …

Autárquicas foram prova de vida para o CDS. Rodrigues dos Santos respira, Melo põe-se à espreita

Nuno Melo já se tinha colocado em posição de ataque na corrida interna, mas terá de esperar. O CDS "está vivo" e as autárquicas foram prova disso. O CDS decidiu apoiar Carlos Moedas e não se …

Explosão suspeita em complexo de edifícios na Suécia causa mais de 20 feridos

Mais de 20 pessoas ficaram feridas, três delas com gravidade, após uma explosão num complexo de edifícios no centro de Gotemburgo, na Suécia. A polícia está a investigar as causas do incidente e admite a …

Costa pode remodelar Governo após choque eleitoral (com Medina à cabeça)

António Costa pode estar a preparar uma remodelação no Governo, com Fernando Medina à cabeça. António Costa já veio negar essa possibilidade. O primeiro-ministro António Costa está preparado para fazer uma remodelação no Governo, após a …

Portugal com mais 600 casos de covid-19 e sete óbitos. Internamentos baixam das quatro centenas

Portugal registou, nas últimas 24 horas, 600 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da …

Autárquicas não contaminam processo orçamental. Esquerda chuta eleições para canto e mantém pressão

Depois de uma empolgante noite eleitoral, avizinham-se duas semanas de negociações entre os partidos e o Governo. Os trabalhos de negociação do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) estão mais atrasados do que o habitual devido …

Igreja desaba com a força da lava do vulcão em La Palma

Uma igreja na ilha espanhola de La Palma desabou depois de ter sido atingida pela lava do vulcão que entrou em erupção no passado domingo, dia 19. Após ter escapado por pouco no início da semana …

Homem que tentou matar Ronald Reagan vai ser libertado em 2022

Na altura o homem foi considerado inimputável pela justiça devido a problemas mentais. Depois de ter saído de um hospital psiquiátrico em 2016, John Hinckley Jr vai ficar em liberdade total de 2022. A 31 de …

Coreia do Norte lança "projétil não identificado"

A Coreia do Norte lançou um "projétil não identificado" no mar ao largo da sua costa oriental, disseram esta madrugada os militares sul-coreanos. Tanto o Japão como os Estados Unidos já condenaram o lançamento. A Coreia …