Identificado no México um navio que transportava escravos maias durante a Guerra das Castas

Helena Barba/ INAH via AP

Um grupo de arqueólogos identificou um navio que transportava o povo maia para a escravatura na década de 1850, no México. Esta é a primeira vez que um navio deste tipo foi encontrado.

O naufrágio do barco foi encontrado em 2017, mas não tinha sido identificado até os investigadores do Instituto Nacional de Antropologia e História verificarem documentos contemporâneos, e assim descobrirem que se tratava do navio “La Unión”, que se localizava a cerca de 3,7 quilómetros do porto de Sisal, e a cerca de 7 metros de profundidade, diz o The Guardian.

“La Unión” era usado no século XIX para transportar escravos que eram capturados no México, durante a grande rebelião que aconteceu entre 1847 e 1901 – ficando conhecida como “A Guerra das Castas”.

Na altura, a escravatura era ilegal no México, mas os operadores de navios enganavam os maias, que pensavam que estavam a deixar o seu país para “assinar” como trabalhadores contratados. A realidade é que quando chegavam a Cuba eram quase todos tratados como escravos. O povo maia acabava por ir trabalhar nos campos de cana-de-açúcar em Cuba.

Contudo, em setembro de 1861 algo correu mal. O navio “La Unión” estava a viajar até Havana quando as suas caldeiras explodiram, o que fez com que afundasse no importante porto de Sisal em Yucatán.

O instituto disse que a identificação do navio foi possível, graças aos destroços de madeira que ainda existiam cujas vigas apresentavam sinais de fogo. A localização do naufrágio também coincide com os relatos do acidente, que matou metade da tripulação.

Um ano antes, em outubro de 1860, o navio foi descoberto no estado de Campeche, transportando 29 maias, incluindo crianças. Essa viagem foi aparentemente impedida, mas isso não impediu que o navio continuasse a fazer as suas viagens, que também envolviam o transporte de fibra de sisal – fibra usada na fabricação de cordas.

Depois do naufrágio, não ficou claro se havia algum maia a bordo. Os registos não são claros porque acredita-se este povo era tido como mercadoria, por isso não estavam no registo de passageiros do “La Unión”.

Segundo o The Guardian, a arqueóloga Helena Barba Meinecke observou que quase todos os maias capturados eram enviados para Cuba, de onde quase nunca voltavam. “Cada escravo era vendido por 25 pesos aos intermediários, que depois os vendiam em Havana por valores mais altos, que podiam chegar aos 160 pesos para homens, e 120 pesos para mulheres”, explicou a investigadora.

Na época, os maias começaram uma das maiores revoltas indígenas da América do Norte, na península de Yucatán em 1847. O povo lutou contra o domínio dos mexicanos que os exploravam. Por outro lado, o governo mexicano lutou contra a rebelião sangrenta com uma repressão brutal. A guerra custou cerca de 4 mil vidas, e terminou oficialmente em 1901 com a ocupação da capital maia de Chan Santa Cruz pelas tropas do exército federal mexicano.

Ao longo dos anos, alguns navios negreiros africanos naufragados foram encontrados em águas por todo o mundo, mas até agora nenhum navio de transporte de escravos maias tinha sido identificado.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Vacina da Johnson & Johnson chega esta semana. Portugal recebe 30 mil vacinas na quarta-feira

As primeiras 30 mil vacinas da Janssen, do grupo Johnson & Johnson, vão chegar a Portugal na próxima quarta-feira. Portugal vai receber, já na próxima quarta-feira, o primeiro lote de 30 mil vacinas da Janssen. No …

Reembolsos do IRS já começaram a ser processados (e chegam “a meio desta semana”)

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) já começou a processar os primeiros reembolsos do IRS e o valor deverá chegar à conta dos contribuintes a meio desta semana, avançou à Lusa o secretário de Estado …

Todos os anos, caem mais de 5 mil toneladas de poeira extraterrestre na Terra

A Terra está constantemente sob uma chuva de poeira espacial. Após duas décadas de recolha de material na Antártida, uma equipa de cientistas conseguiu quantificá-la: caem cerca de 5.200 toneladas de micrometeoritos a cada ano. Os …

Encontradas três "estrelas fracassadas" ultrarrápidas. Estão prestes a autodestruir-se

Uma equipa de cientistas identificou as três anãs castanhas de rotação mais rápida já encontradas. Estas estrelas, conhecidas como "estrelas fracassadas" estão a girar tão depressa que podem estar prestes a desfazer-se. Usando dados no Spitzer …

“É como ser queimado com ácido quente“. Planta venenosa australiana causa dores que podem durar anos

Os "cabelos" da planta gympie-gympie causam uma picada tão tóxica que a dor pode durar anos. Esta pode ser encontrada nas florestas australianas. A gympie-gympie, ou dendrocnide moroides, é um tipo de arbusto que recebe o …

Sporting 1-1 Famalicão | Leão volta a tremer e vê Porto a 6

Segundo empate consecutivo do Sporting na Liga NOS, e pelo mesmo resultado, 1-1. Na recepção ao Famalicão, o líder do campeonato começou bem, marcou, mas sofreu um golo de imediato e nunca mais se encontrou …

Arqueólogos descobrem túnel medieval na Polónia. Tinha restos mortais de 18 carmelitas

Uma equipa de arqueólogos descobriu um cemitério medieval onde estava sediado um mosteiro do século XIV. No local foi ainda encontrado um túnel com dezoito esqueletos de padres carmelitas. A descoberta ocorreu em Jaslo - uma …

Militantes apoiados pelo Al-Qaeda defendem uso de mel contra a covid-19

O Al-Shabaab, um grupo rebelde islâmico apoiado pela Al-Qaeda, apela ao boicote à vacina da AstraZeneca contra a covid-19. A alternativa é "cominho preto e mel". A vacina da AstraZeneca não está apenas a levantar preocupações …

Em menos de um ano, a polícia foi chamada a intervir pelo menos nove vezes na mansão dos Sussex

A vida nos Estados Unidos não tem sido fácil para os duques de Sussex. No último ano, a polícia da Califórnia foi chamada pelo menos nove menos à mansão onde o casal habita desde que …

Rivalidade entre China e Índia é obstáculo à maior aproximação entre os BRICS, diz especialista

Apesar de os BRICS representarem "o tipo de relações entre países que queremos no século XXI", a rivalidade entre a Índia e a China ainda é um obstáculo a uma maior integração, dizem os especialistas. Na …