Identificado no México um navio que transportava escravos maias durante a Guerra das Castas

Helena Barba/ INAH via AP

Um grupo de arqueólogos identificou um navio que transportava o povo maia para a escravatura na década de 1850, no México. Esta é a primeira vez que um navio deste tipo foi encontrado.

O naufrágio do barco foi encontrado em 2017, mas não tinha sido identificado até os investigadores do Instituto Nacional de Antropologia e História verificarem documentos contemporâneos, e assim descobrirem que se tratava do navio “La Unión”, que se localizava a cerca de 3,7 quilómetros do porto de Sisal, e a cerca de 7 metros de profundidade, diz o The Guardian.

“La Unión” era usado no século XIX para transportar escravos que eram capturados no México, durante a grande rebelião que aconteceu entre 1847 e 1901 – ficando conhecida como “A Guerra das Castas”.

Na altura, a escravatura era ilegal no México, mas os operadores de navios enganavam os maias, que pensavam que estavam a deixar o seu país para “assinar” como trabalhadores contratados. A realidade é que quando chegavam a Cuba eram quase todos tratados como escravos. O povo maia acabava por ir trabalhar nos campos de cana-de-açúcar em Cuba.

Contudo, em setembro de 1861 algo correu mal. O navio “La Unión” estava a viajar até Havana quando as suas caldeiras explodiram, o que fez com que afundasse no importante porto de Sisal em Yucatán.

O instituto disse que a identificação do navio foi possível, graças aos destroços de madeira que ainda existiam cujas vigas apresentavam sinais de fogo. A localização do naufrágio também coincide com os relatos do acidente, que matou metade da tripulação.

Um ano antes, em outubro de 1860, o navio foi descoberto no estado de Campeche, transportando 29 maias, incluindo crianças. Essa viagem foi aparentemente impedida, mas isso não impediu que o navio continuasse a fazer as suas viagens, que também envolviam o transporte de fibra de sisal – fibra usada na fabricação de cordas.

Depois do naufrágio, não ficou claro se havia algum maia a bordo. Os registos não são claros porque acredita-se este povo era tido como mercadoria, por isso não estavam no registo de passageiros do “La Unión”.

Segundo o The Guardian, a arqueóloga Helena Barba Meinecke observou que quase todos os maias capturados eram enviados para Cuba, de onde quase nunca voltavam. “Cada escravo era vendido por 25 pesos aos intermediários, que depois os vendiam em Havana por valores mais altos, que podiam chegar aos 160 pesos para homens, e 120 pesos para mulheres”, explicou a investigadora.

Na época, os maias começaram uma das maiores revoltas indígenas da América do Norte, na península de Yucatán em 1847. O povo lutou contra o domínio dos mexicanos que os exploravam. Por outro lado, o governo mexicano lutou contra a rebelião sangrenta com uma repressão brutal. A guerra custou cerca de 4 mil vidas, e terminou oficialmente em 1901 com a ocupação da capital maia de Chan Santa Cruz pelas tropas do exército federal mexicano.

Ao longo dos anos, alguns navios negreiros africanos naufragados foram encontrados em águas por todo o mundo, mas até agora nenhum navio de transporte de escravos maias tinha sido identificado.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Os polegares dos neandertais adaptaram-se a ferramentas com pega

Os polegares dos neandertais adaptaram-se para segurar melhor ferramentas com pega, da mesma forma como utilizamos atualmente um martelo, revela uma nova investigação da Universidade de Kent, no Reino Unido. A mesma investigação sugere ainda …

Sporting 2-1 Moreirense | JackPote rende pontos ao “leão”

O “Leão” soma e segue na liderança do campeonato, depois de vencer o Moreirense por 2-1, graças a um bis Pedro Gonçalves. Neste sábado, na recepção ao Moreirense, num embate relativo à oitava jornada, sofreu, mas conseguiu …

Raro crustáceo parasita descoberto na boca de um tubarão em exibição num museu

Uma equipa de cientistas descobriu uma espécie extremamente rara de Cymothoidae na boca de um espécime de tubarão capturado no Mar da China Oriental e agora em exibição num museu. Os Cymothoidae são uma família de isópodes …

Série da Netflix faz disparar venda de jogos de xadrez nos Estados Unidos

A série "The Queen’s Gambit", da plataforma de streaming Netflix, que retrata a ascensão de uma jovem jogadora de xadrez na década de 1950, fez disparar as vendas deste jogo de tabuleiro nos Estados Unidos. …

Novo comité central do PCP eleito com 98,5%

O novo comité central do PCP foi este domingo eleito no XXI congresso nacional dos comunistas, em Loures, com 98,5% dos votos. Dos 611 delegados, 602 votaram a favor, seis abstiveram-se e três votaram contra na …

Elefante salvo de um poço profundo na Índia. Resgate durou 14 horas

Uma equipa de 50 pessoas ajudou a salvar um elefante que tinha caído num poço profundo em Dharmapuri, no sul da Índia. Moradores locais atiraram folhas de bananeira para o animal comer antes de ser …

Santa Clara 0-1 Porto | Magia de Díaz resolve jogo pobre

Missão cumprida. O Porto viajou até aos Açores para defrontar o Santa Clara e leva na bagagem os três pontos. Mas não o conseguiu com brilhantismo, longe disso. A eficácia foi a palavra de ordem, num …

Raro pinguim totalmente branco encontrado nas Ilhas Galápagos

Um raro pinguim com o corpo totalmente "pintado" de branco foi encontrado no arquipélago das Galápagos, no Equador. Em comunicado, o Parque Nacional das Galápagos detalha que o raro espécime foi encontrado enquanto um guia fazia …

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. Há uma razão

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. As cidades populosas, as vias não adaptadas, as poucas escolas de treino e a própria população são entraves à existência destes companheiros (e verdadeiros …

Governo das Ilhas Salomão quer banir o Facebook para preservar a União Nacional

O Governo das lhas Salomão quer banir temporariamente a rede social Facebook numa tentativa de combater o cyberbullying e a difamação, alegando que a plataforma está a "minar" a União Nacional. A decisão, que já …