Movimento em França quer “unir a esquerda” para evitar duelo Macron/Le Pen

Eric Feferberg / EPA

Marine Le Pen (E) e Emmanuel Macron (D)

Laurent Joffrin, um jornalista que deixou no início de julho a direção do jornal Libération, lançou uma plataforma para reforçar a esquerda reformista e evitar um novo duelo Macron/Le Pen nas presidenciais de 2022, em França.

Laurent Joffrin explicou, em entrevista à Lusa, que a plataforma Les Engagé.e.s. não pretende transformar-se num partido político, mas encontrar um candidato presidencial que passe à segunda volta em 2022.

“Já só falta um ano para que as presidenciais arranquem e, portanto, temos um ano para que haja uma esquerda reformista que possa apresentar um projeto e impedir o cenário previsível da eliminação da esquerda numa primeira volta e a reedição do duelo Macron/Le Pen na segunda volta”, afirmou Laurent Joffrin.

O agora ex-jornalista passou mais de 30 anos em redações, tendo dirigido os jornais Nouvel Observateur e Libération, mantendo-se à esquerda no espetro político e com um olhar crítico da vida política francesa nas centenas de editoriais escritos ao longo da sua carreira.

No início deste mês, anunciou a sua saída de diretor do Liberátion e lançou Les Engagé.e.s, que quer redinamizar as figuras políticas e os eleitores que se encontram entre os Verdes e o atual Presidente Emmanuel Macron.

“A razão para tentar unir a esquerda é que quando olhamos para as eleições municipais, que não foram nada más para a esquerda, os melhores resultados foram conseguidos com uma corrente ecologista e uma corrente socialista ou reformista. E isso cria um equilíbrio, mas a nível nacional, esse equilíbrio não existe”, justificou.

Convencido que à esquerda nenhum candidato que esteja agora no horizonte pode chegar a uma segunda volta face ao atual Presidente da República ou à líder da extrema-direita Marine Le Pen, Joffrin quer introduzir novas ideias, mas sem formar um novo partido.

“Não, não temos ambição de ser um partido. Mas temos a ambição de ser um bloco de esquerda. Não queremos vir dividir, mas unir quem representa a classe média e que não se enquadra nem nos Verdes, nem na extrema-esquerda”, declarou.

Esse lugar, normalmente ocupado pelo Partido Socialista, está, segundo o ex-diretor, “enfraquecido”, o que levou também a uma inação da esquerda durante os últimos três anos, apesar de as lutas sociais em França se terem multiplicado face a Macron e ao partido que o levou ao poder, o Republique En Marche.

“Penso que a inação da esquerda se deveu desde logo à dura derrota eleitoral de 2017. Ao mesmo tempo, não surgiu uma nova força à esquerda desde aí e é preciso recriar uma nova força com propostas que avancem ideias novas e esse trabalho coletivo não foi feito até agora”, defendeu.

A associação foi lançada através de uma conferência de imprensa que decorreu há cerca de duas semanas e cerca de 40 signatários vindos dos mais distintos campos da vida profissional como a atriz Agnès Jaoui, o cantor Benjamin Biolay, a jornalista Laure Adler ou o sociólogo Michel Wieviorka.

Para os analistas e comentadores, este novo movimento de esquerda serve para relançar François Hollande, antigo Presidente da República e líder socialista, na política francesa. Hollande e Joffrin são amigos há muitos anos, mas o ex-jornalista diz que a esquerda precisa de outras figuras.

“Somos amigos, é verdade e falei-lhe deste projeto. Mas falei com outras pessoas. Sególene Royale [ex-candidata presidencial], Anne Hidalgo [atual presidente da Câmara de Paris], com intelectuais e outras figuras. Ninguém é capaz de dizer quem está bem posicionado para liderar a esquerda. Pode ser Hollande, embora ele não esteja na melhor posição, mas haverá outros”, indicou.

Questionado se esta união à esquerda foi inspirada pelo Governo socialista em Portugal com apoio parlamentar do Bloco de Esquerda e do Partido Comunista, Joffrin diz que sim, mas que há uma diferença chave. “Para algo como isso existir é preciso que haja uma força com propostas, como o Partido Socialista português soube ter e depois podemos pensar então em acordos para governar”, afirmou.

Sobre a opção pessoal que tomou de deixar o jornalismo e lançar-se na política, Joffrin considera que “é um risco”, mas que não tem nada a perder.

“Foi uma decisão difícil e pensei durante muitos meses no que fazer. Ou continuava a ser jornalista até ao fim da minha vida profissional, mas ficar num jornal não me trazia grande risco. Preferi correr este risco, não tenho grande coisa a perder”, concluiu.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Antártida tem quase mais 20% de colónias de pinguins-imperador do que se pensava

Imagens de satélite revelam que há quase mais 20% de colónias de pinguins-imperador na Antártida do que se pensava anteriormente, totalizando 61, divulgou esta quarta-feira a Agência Espacial Europeia (ESA). Dados obtidos por dois satélites europeus …

De taxista a bombeiro. EHang lança drone para combater incêndios em arranha-céus

A chinesa EHang tem concentrado os seus esforços em serviços de táxi ou turismo aéreo. Agora, a empresa de mobilidade quer provar a versatilidade da sua plataforma de veículos autónomos com o lançamento de uma …

Netflix lidera mercado de streaming em Portugal e ranking do IMDb

A Netflix junta, neste momento, o melhor de dois mundos. Tem um catálogo maior, e por isso com mais produções bem cotadas no IMDb, e é também o serviço de streaming com maior número de …

"Estou cansada de ter medo". Candidata da oposição faz tremer presidenciais na Bielorrússia

Na Bielorrússia, Svetlana Tikhanovskaya, candidata da oposição de apenas 37 anos, está a fazer frente ao mais antigo líder da europa, na corrida as eleições presidenciais. Tikhanovskaya mantém-se firme na luta pelo poder contra o presidente …

Fauci revela que recebeu ameaças de morte e que as suas filhas foram assediadas

Anthony Fauci, um dos principais peritos em doenças infecciosas da Casa Branca, revelou esta quarta-feira que recebeu ameaças de morte e que as suas filhas foram assediadas por causa das suas declarações sobre a covid-19. "Receber …

Califórnia já tem uma estrada pavimentada com plástico

O que parece uma estrada comum é agora a mais recente novidade na cidade de Oroville, na Califórnia. A nova construção junta uma tecnologia que mistura garrafas de plástico com asfalto. Por cada quilómetro de …

Mais de mil operacionais combatem cinco grandes fogos em Portugal

Mais de 1100 operacionais e 16 meios aéreos estão a combater, esta quinta-feira, os cinco maiores incêndios rurais em território continental, concentrados sobretudo na região Centro, de acordo com dados da Proteção Civil. Segundo o site …

Coca-Cola financiou estudos científicos que minimizaram o papel das bebidas açucaradas na obesidade, revela investigação

A Coca-Cola terá financiado com milhões de dólares vários estudos científicos que minimizaram o impacto das bebidas açucaradas na obesidade. A conclusão é de uma investigação publicada na revista médica Public Health Nutrition, que conta …

André Ventura vai pedir suspensão temporária do mandato no Parlamento

O deputado do Chega vai pedir, em setembro, a suspensão do mandato parlamentar até fevereiro do próximo ano para se dedicar às campanhas eleitorais da região dos Açores e das Presidenciais. Em declarações à agência Lusa, …

Governo abre concursos para 800 novos técnicos especializados nas escolas

As escolas vão poder contratar mais de 800 novos técnicos especializados, um reforço de recursos humanos "englobado nas medidas excecionais de organização e funcionamento das escolas para o próximo ano letivo". "As escolas vão poder contratar …