Motoristas da Uber estão a processar a empresa (para saber como funciona o seu algoritmo)

Os motoristas da Uber no Reino Unido estão a processar a empresa numa tentativa de perceber melhor como funciona o seu algoritmo, que rege as suas vidas e salário.

De acordo com o Business Insider, os motoristas da Uber estão a processar a empresa para perceber como funciona o seu algoritmo. O argumento principal é que a decisão da empresa de reter dados pessoais sobre os motorista impede que entendam como o algoritmo lhes atribui trabalhos e, portanto, afeta o seu sustento.

O App Drivers and Couriers Union, que está a processar a Uber em nome dos motoristas, argumentou que a empresa viola o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GDPR) quando rastreia e monitoriza os motoristas, colhendo dados como chegadas tardias, registos de cancelamento e reclamações de passageiros.

Como os motoristas não conseguem aceder a esses dados e não são informados sobre como são inseridos no algoritmo que decide os seus futuros trabalhos, o sindicato alega que o Uber está a violar a sua privacidade digital.

O sindicato vai pedir ao tribunal que ordene a conformidade imediata – e que seja multada em 10 mil euros por cada dia em que não cumprir. Além disso, também vão pedir ao tribunal que ordene que a Uber cumpra uma solicitação para permitir que transportem dados pessoais mantidos na plataforma para um banco de dados que desejam estabelecer, administrada por um sindicato.

Se o processo for bem-sucedido e os motoristas da Uber obtiverem acesso aos seus próprios registos, poderá estabelecer um precedente para outros trabalhadores que, essencialmente, respondem e são geridos por algoritmos.

Com mais poder e autoridade concedidos aos motoristas, que a Uber argumentou repetidamente em tribunal não deve ser considerado funcionário, os trabalhadores em todo o mundo poderiam obter um assento mais importante à mesa.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE