Morte de recém-nascido no Amadora-Sintra já levou à abertura de três inquéritos

O Ministério Público determinou esta quarta-feira a abertura de um inquérito às circunstâncias da morte do recém-nascido da grávida que foi transferida do Algarve para o hospital Amadora-Sintra.

“O Ministério Público da comarca de Lisboa Oeste determinou a abertura de inquérito”, respondeu à agência Lusa a Procuradoria-geral da República (PGR).

Em causa está o caso de uma grávida com 32 semanas de gestação que foi transferida em 2 de agosto do Hospital de Faro para o Amadora-Sintra, porque a unidade de neonatologia algarvia se encontrava lotada.

A jovem acabou por ser transferida para o Hospital Amadora-Sintra, em Lisboa, nessa mesma sexta-feira porque todas as 10 incubadoras de Faro estavam ocupadas. Na manhã do dia seguinte, a 3 de agosto, o bebé nasceu através de uma cesariana, tendo acabado por morrer três horas após o parto, segundo apurou o jornal Público.

Também as duas unidades de saúde – o hospital de Faro e o Amadora-Sintra – já decidiram avançar com a abertura de inquéritos para averiguar o caso do recém-nascido.

O hospital Amadora-Sintra tinha já dito que, após uma “averiguação sumária”, se concluiu que a grávida foi “prontamente assistida”, tendo-lhe sido “dispensados todos os cuidados de saúde necessários, segundo as boas práticas clínicas”.

Em declarações à Lusa, fonte oficial do Ministério da Saúde disse que continua a “acompanhar a situação junto dos hospitais, aguardando os resultados das diligências de averiguação em curso”. Também o Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, pediu que seja “investigado totalmente” o caso do recém-nascido.

O bastonário entende que, caso a transferência da grávida se tenha ficado a dever a falta de meios no Algarve para fazer o parto, “o Ministério da Saúde terá uma responsabilidade sobre isso”. Miguel Guimarães sublinha que a insuficiência de meios humanos nas maternidades do sul do país, incluindo a região de Lisboa, foi “várias vezes denunciada” pela Ordem e entende que a constante “circulação de grávidas por falta de condições adequadas” dos serviços pode trazer riscos e ter “consequências indesejadas”.

Fontes ligadas ao caso confirmaram ainda à Lusa que a grávida apresentava um quadro de pré-eclâmpsia, que se traduz em hipertensão na gravidez, e de descolamento da placenta.

Em declarações ao semanário Expresso, o presidente do colégio de Ginecologia e Obstetrícia da Ordem dos Médicos, João Bernardes, diz não saber “era possível o bebé ter sobrevivido (…) Só após o inquérito podemos responder a essa questão”.

“A informação que tenho é que o bebé foi transferido in utero, ou seja, dentro do abdómen materno, que é a melhor das práticas porque a melhor incubadora é sempre o ventre materno. Tinham vaga no hospital onde foram recebidos”, adiantou.

O médico recordou ainda que a taxa de sobrevivência depende da prematuridade do bebé. “Uma vez feito o parto, e se tudo correr de acordo com o considerado normal e se o bebé tiver os cuidados neonatais necessários, a taxa de sobrevivência é bastante boa mas não é 100%. Uma vez mais, depende do tipo de prematuridade”, disse ainda.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Continuo a achar que este governo foi aquele que mais desprezou a vida humana desde o 25 de abril. Veja-se os casos dos incêndios e agora o problema das maternidades e de todo o SNS em geral.
    Este governo seja pela incompetência, seja pela cativação, seja ainda por nomear profundos incompetentes para cargos de chefia é responsável por tudo isto.

    • Só gostava de saber porque é que a rapariga grávida de risco não foi para Beja ou Évora, que sempre é mais perto que Lisboa, mas, se calhar estes dois hospitais também não têm maternidades à altura. Este desgoverno acabou com o nosso SNS. São uns tristes…quem se trama é quem precisa do SNS, como se tem visto e continuamos a ver. Este casal, com um bebé morto por incúria do SNS, alguma vez vai perdoar este desgoverno? Acho que nunca.

  2. Se isto é assim agora com um abaixamento de nascimentos considerável, o que seria caso os níveis de natalidade de a alguns anos atrás se mantivessem actualmente? Entre propaganda e realidade ainda vai uma distância enorme!.

RESPONDER

Morreu um dos jovens infetados com peste negra na Mongólia

Morreu um dos jovens infetados com peste bubónica, também conhecida como peste negra, na Mongólia. O rapaz contraiu a doença depois de ter comido carne de marmota. Um jovem de 15 anos morreu, esta segunda-feira, vítima …

PCP quer Costa no Parlamento de 15 em 15 dias (e não vai contribuir para acabar com os debates quinzenais)

O PCP não concorda que será o fim da democracia caso os debate quinzenais passem a mensais. No entanto, não vai contribuir para acabar com este modelo. Ao Expresso, o deputado comunista António Filipe Duarte garantiu …

"Espero contar tudo o que sei". Cientista chinesa fugiu da China para alertar que "não temos muito tempo"

A virologista chinesa Li-Meng Yan, que fugiu para os Estados Unidos, deu uma segunda entrevista à Fox News, na qual alertou que "não temos muito tempo".   Li-Meng Yan, especialista em virologia e imunologia, era uma …

Galp perde 60 milhões de euros em negócios não autorizados

A Galp perdeu 60 milhões de euros em negócios não autorizados com licenças de CO2. A petrolífera já avançou com ações disciplinares e uma auditoria. A Galp informou que foram identificadas transações, não autorizadas pela empresa, …

"Bandeira vermelha". Tóquio em alerta máximo após aumento de novas infeções

A capital do Japão, Tóquio, com 14 milhões de habitantes, está no nível mais alto de alerta para o novo coronavírus após um aumento dos casos registados. “Os especialistas disseram-nos que a situação das infeções está …

Operação Saco Azul. Empresas "zombie" terão desviado 1,8 milhões do Benfica

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e a SAD do clube lisboeta foram constituídos arguidos pelo crime de fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, confirmou esta terça-feira à agência Lusa fonte oficial …

Maçãs com preços em alta, menos vinho e cerveja a estragar-se (os efeitos da pandemia)

A pandemia de covid-19 está a levar milhares de litros de cerveja a estragar-se, enquanto os produtores de vinho temem uma quebra na produção e, logo, nos lucros. Enquanto isso há menos maçãs e mais …

TAD anula sanção de cinco jogos à porta fechada ao Benfica

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu provimento ao recurso do Benfica e revogou a sanção de cinco jogos à porta fechada imposta pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao clube, pelo apoio prestado a …

Costa vira à esquerda, mas Catarina Martins diz que "não pode ser só conversa"

Esta quarta-feira, António Costa lança as negociações para o Orçamento do Estado para 2021 com os partidos que, até aqui, foram seus aliados. O primeiro-ministro insiste que o caminho da sua governação passa por entendimentos à …

No novo ano letivo, a Educação Física continua a ser maior incógnita

No início de julho, o Ministério da Educação anunciou algumas orientações sobre o próximo ano letivo que não contemplavam a Educação Física e o futuro da disciplina continua a ser uma incógnita.  Nas escolas, a falta …