/

Morreu José Festas, o “mestre” que dava voz aos pescadores

José Festas, presidente da Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar

José Festas, presidente da Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar, morreu esta terça-feira, aos 58 anos. O homem que era conhecido como a voz dos pescadores teve um AVC hemorrágico em novembro e estava internado desde essa altura.

José Festas liderava os destinos da APMSHM há quase 14 anos, desde que a instituição foi criada, em 17 de maio de 2007, lutando pela implementação de medidas de proteção no trabalho de armadores, pescadores e outros profissionais ligados à vida do mar.

Era o “mestre” e o “bombeiro de serviço”, porque fazia um pouco de tudo, desde tratar de burocracias a dar apoio jurídico, sendo que era também o primeiro a chegar na hora da tragédia.

José Festas fica ainda para a história como o homem que dava a cara pelos pescadores junto do poder, chegou a exigir exigir dragagens, bem como mais investimento na segurança.

Em 2006 – num dos momentos mais difíceis da pesca em território nacional, quando seis pescadores das Caxinas morreram a 50 metros da Praia da Légua, em Alcobaça –, o “mestre” foi sozinho para a capital e exigiu ser recebido por ministros e Presidente da República.

Ao longo dos anos seguintes, as tragédias não deixaram de acontecer, mas José Festas tornou-se presença incontornável, em cada praia ou porto, na exigência de melhores condições de segurança para o sector, recorda o Público.

Em 2017, o Presidente da República condecorou a Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar como Membro Honorário da Ordem do Mérito.

A nível local, foi distinguido por duas vezes pelo município de Vila do Conde, com a Medalha de Mérito Singular e depois com a Medalha de Mérito ao Associativismo, tendo a Câmara de Vila do Conde reagido hoje com “profundo pesar” à sua morte e recordando o legado deixado.

Em outubro do ano passado, viu lançado um novo plano de dragagens para o porto poveiro. Em fase final de construção, José Festas deixou ainda um desejo antigo dos homens do mar: os novos armazéns à entrada da marina da Póvoa. São 114 espaços para guardar aprestos de pesca, bar, cozinha comunitária, balneários, uma loja e a nova sede da “Pró-Maior”, escreve o Jornal de Notícias.

Festas é recordado pela comunidade com carinho. ”O seu temperamento escondia um bom homem e sempre dedicado aos homens do mar e às suas famílias”, descreve, numa nota no seu perfil do Facebook, o atual presidente da Associação de Armadores da Pesca do Norte, que promete que a classe continuará a lutar pelos objetivos da associação.

A 29 de novembro, um dia depois de completar 58 anos, José Festas sofreu um AVC. Esta terça-feira faleceu, mas deixa a certeza de que a pesca não mais será a mesma.

  Ana Isabel Moura, ZAP // Lusa

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.