Morrem por dia 15 mil crianças com menos de 5 anos

Um novo relatório revela que 15 mil crianças morreram por dia em 2016 antes de completarem o quinto aniversário. Pelo menos 46% delas, ou 7 mil, não sobreviveram aos primeiros 28 dias após o nascimento.

Quando acabar de ler esta notícia, terão morrido 31 crianças com menos de 5 anos.

O relatório Níveis e Tendências da Mortalidade Infantil 2017 destaca que o número de crianças que morreram antes dos cinco anos foi de 5,6 milhões em 2016, comparado com os quase 9,9 milhões do ano 2000. No entanto, neste período aumentou a proporção de mortes de recém-nascidos no mundo de 41% para 46%.

Segundo o documento, em Angola verificaram-se 29 mortes em cada mil nascimentos. Na tabela de mortalidade de crianças menores de cinco anos, o país africano registou 83 mortes em cada mil nascimentos.

Entre as nações de língua portuguesa, o Brasil reduziu de forma mais acelerada as mortes dos menores de cinco anos, a uma taxa de 5,6% ao ano. No país ocorreram 15 mortes em cada mil nascimentos.

De acordo com o estudo, na Guiné-Bissau ocorrem 38 mortes em cada mil crianças nascidas vivas, em Moçambique 27 mortes em cada mil nascimentos, enquanto Timor-Leste regista 22 mortes neonatais em cada mil.

O relatório revela ainda que em São Tomé e Príncipe ocorrem 15 mortes em cada mil novos nascimentos. Em Cabo Verde e Portugal há 10 e duas mortes em cada mil nascimentos, respetivamente.

Segundo Stefan Swartling Peterson, diretor de saúde do Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF, foram salvos 50 milhões de crianças menores de cinco anos desde 2000. Para Stefan, isto revela “um testemunho do compromisso sério dos governos e parceiros de desenvolvimento para combater as mortes infantis evitáveis”.

Peterson afirma que “a menos que se faça mais para impedir que os bebés morram no dia em que nascem, ou nos dias após o nascimento, esse progresso permanecerá incompleto”.

O responsável de saúde da UNICEF revela que “é preciso levar conhecimentos e tecnologias para onde são mais necessárias”. O documento destaca que, se continuarem as tendências atuais, 60 milhões de crianças morrerão antes do quinto aniversário entre 2017 e 2030, sendo metade delas recém-nascidas.

O estudo foi divulgado pelas organizações que compõem o Grupo Interagências de Avaliação de Mortalidade Infantil: UNICEF, OMS, Banco Mundial e Divisão de População do Departamento da ONU para os Assuntos Económicos e Sociais, Desa.

A maioria das mortes de recém-nascidos, segundo o documento, ocorreu no Sul da Ásia com 39% e na África Subsariana com 38%.

Metade das mortes dos recém-nascidos ocorreu em cinco países: Índia com 24%, Paquistão com 10%, Nigéria com 9%, República Democrática do Congo com 4% e Etiópia com 3%.

Entretanto, nos 3 minutos que demorou a ler esta notícia, morreram 31 crianças com menos de 5 anos.

ZAP // R-ONU

PARTILHAR

RESPONDER

Golas antifumo levam a buscas da PJ na Proteção Civil e no MAI

Após o inquérito aberto pelo Ministério Público em julho, estão, esta manhã de quarta-feira, a ser feitas buscas na Proteção Civil e no Ministério da Administração Interna devido à compra das golas antifumo. A Polícia Judiciária …

Arqueólogos acreditam ter encontrado "Endeavour", o navio de James Cook

Arqueólogos marinhos estão cada vez mais perto de encontrar o HMS Endeavour, o navio do explorador britânico James Cook. Uma equipa internacional de arqueólogos marinhos acredita ter descoberto o local onde se encontra o HMS Endeavour, …

Com 92% dos votos contados, Netanyahu e Gantz continuam empatados

Os primeiros resultados mostram um empate técnico entre os partidos de Benjamin Netanyahu e Benny Gantz. Os resultados obtidos pelos pequenos partidos poderão marcar a diferença. Segundo a imprensa local, com 92% dos votos contados, o …

Governo venezuelano liberta o deputado Edgar Zambrano, vice-presidente do parlamento

Juan Guaidó considera a libertação de Edgar Zambrano "uma vitória da pressão internacional" e não uma "gentileza" da ditadura. O Governo venezuelano libertou, na noite desta terça-feira, o deputado opositor e vice-presidente da Assembleia Nacional, Edgar …

Nova espécie de salamandra-gigante pode ser o maior anfíbio do mundo

Cientistas identificaram duas novas espécies da salamandra-gigante-da-china, sendo que uma delas pode ser afinal o maior anfíbio do mundo. Até agora, pensava-se que a salamandra-gigante-da-china — Andrias davidianus — era uma única espécie e, por isso, …

Detido bombeiro suspeito de atear fogo em Alfândega da Fé

O bombeiro detido é suspeito de ter ateado sete focos de incêndio numa área florestal que abrange várias freguesias do concelho de Alfândega da Fé, em Bragança. Um bombeiro foi detido por suspeitas do crime de …

O Oceano Atlântico pode começar do outro lado do mundo

Uma questão chave para os cientistas do clima é sobre a possível desaceleração do sistema de circulação principal do Oceano Atlântico, o que poderia ter consequências dramáticas para a Europa e outras zonas. Porém, um novo …

Incapacitar uma única proteína pode "curar" a gripe

Desabilitar uma única proteína das nossas células pode ser a solução para "curar" a gripe. Os testes realizados em ratos foram bem sucedidos, pelo que pode ser um indicador positivo de progressos nesta área. Encontrar uma …

Detetada a estrela de neutrões mais massiva alguma vez encontrada

Observações com o telescópio Green Bank revelaram a estrela de neutrões mais massiva até ao momento, chamada J0740 + 6620. De acordo com a revista especializada Nature Astronomy, onde foi descrita a descoberta, é um pulsar …

Portugueses criam nanomateriais feitos de algas para despoluir água

De algas abundantes no litoral de Portugal, investigadores da Universidade de Aveiro extraíram biopolímeros capazes de remover alguns poluentes da água, como antibióticos ou herbicidas. Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) demonstrou que …