“Monstro patológico”. Documento revela que Henrique VIII planeou decapitação de Ana Bolena

Uma equipa de investigadores encontrou um livro que contém instruções específicas do rei Henrique VIII que mostram que o monarca queria que a sua segunda esposa, Ana Bolena, fosse executada.

Neste documento, o rei Henrique VIII estipulou que, embora a rainha tivesse sido “condenada à morte… por queima de fogo… ou decapitação”, foi “movido por pena” para poupá-la da morte mais dolorosa de ser “queimada pelo fogo” “Nós, entretanto, ordenamos que… a cabeça da mesma Ana seja… cortada“, continuou.

Tracy Borman, uma importante historiadora Tudor, descreveu o livro como uma descoberta surpreendente, reforçando a imagem de Henrique VIII como um “monstro patológico”.

“Como um documento até então desconhecido sobre um dos eventos mais famosos da história é realmente ouro, um dos achados mais emocionantes dos últimos anos. O que isto mostra é a forma premeditada e calculista de Henrique. Ele sabe exatamente como e onde quer que aconteça”, disse Borman, em declarações ao The Observer. “As instruções dadas por Henrique são para Sir William Kingston, condestável da Torre, detalhando como o rei se livraria da “falecida rainha da Inglaterra, ultimamente a nossa esposa, ultimamente atingida e condenada por alta traição”.

Ana Bolena foi presa na Torre de Londres em 2 de maio de 1536 por adultério. No seu julgamento, foi tratada como incapaz de controlar os seus “desejos carnais”. A rainha refutou as acusações, mas foi considerada culpada de traição e condenada a ser queimada ou decapitada “à vontade do rei”.

O livro revela que Henrique VIII elaborou detalhes como o local exato para a execução (“dentro da nossa Torre de Londres”), deixando claro que Kingston não deveria “omitir nada” das suas ordens.

Borman argumenta que, apesar da frieza das instruções, o facto de Henrique VIII ter poupado Ana Bolena de ser queimada – uma morte lenta e agonizante – foi uma gentileza para os padrões da época.

Uma decapitação com um machado também poderia envolver vários golpes e o rei especificou que a cabeça deveria ser “cortada”, o que significava por espada – uma forma mais confiável de execução, mas não usada na Inglaterra.

“Por conhecermos a história tão bem, esquecemos como foi profundamente chocante executar uma rainha. Durante anos, o seu confiável conselheiro Thomas Cromwell levou a culpa. Mas isto mostra, na verdade, que foi Henrique a puxar os cordelinhos”, concluiu Borman.

A maioria dos historiadores concorda que as acusações eram falsas – o único crime de Ana Bolena foi não ter dado um filho a Henrique VIII.

Borman é curadora-chefe adjunta da Historic Royal Palaces, a instituição de caridade que administra a Torre de Londres. A investigadora incluirá a descoberta na sua próxima série do Channel 5, The Fall of Anne Boleyn, que começa em dezembro.

Por que Henrique VIII mandou executar Ana Bolena?

O rei mais famoso da história da Inglaterra casou-se seis vezes na sua busca incessante por um herdeiro homem. Divorciou-se das sua primeira esposa, Catarina de Aragão, para se casar com Ana Bolena – o casamento levou-o a romper com a Igreja Católica e ocasionou a Reforma Inglesa. Bolena deu-lhe uma filha, que se tornou Elizabeth I.

De acordo com o IFLScience, o rei nem sempre teve um “comportamente tirânico”. A sua atitude mudou drasticamente em 1536 – e a culpa terá sido de um cavalo. Num torneio no Greenwich Palace em 24 de janeiro desse ano, Henrique VIII, de 44 anos, estava com a armadura completa quando foi lançado do cavalo. A situação piorou imediatamente quando o animal caiu em cima dele. O rei permaneceu inconsciente durante duas horas durante as quais as pessoas ao seu redor acreditaram que o ferimento foi fatal.

Antes desse evento, o rei era caraterizado como “prudente e sábio e livre de todos os vícios” e “um homem de amizade gentil e gentil no debate; ele age mais como um companheiro do que um rei”, de acordo com neurologistas da Yale Memory Clinic na Yale School of Medicine.

A equipa analisou os problemas que o rei teve após a lesão, incluindo dores de cabeça, insónia, controlo deficiente dos impulsos e perda de memória. A equipa também observou que a impotência e o ganho de peso também podem resultar de lesão cerebral traumática, especialmente tiver disfunção hipofisária associada e problemas hormonais.

“Sabemos de pelo menos três ferimentos graves na cabeça na vida de Henrique. Pode ter tido dores de cabeça e mudanças mais subtis na sua personalidade após o primeiro ferimento na cabeça, mas há uma mudança marcante nele após 1536″, concluiu a equipa. “É inteiramente plausível, embora talvez não provável, que o cérebro traumático repetido lesão levou a mudanças na personalidade”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Falta de transparência". Sindicato acusa Ryanair de violar Código do Trabalho com despedimento coletivo no Porto

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) acusou a Ryanair de violar o Código do Trabalho, ao iniciar um despedimento coletivo na base do Porto enquanto promove cursos de formação para …

Supremo arrasa MP no e-toupeira. Espião do Benfica safa-se de quase todos os crimes

O Supremo Tribunal de Justiça deixou cair a maioria dos crimes no que se refere ao funcionário judicial do Tribunal de Guimarães Júlio Loureiro, conhecido como o espião do Benfica no caso e-toupeira, deixando reparos …

Espanha, França e Bélgica com descida de casos. Itália limita Natal e Madrid cancela festas de Ano Novo

Madrid, assim como Paris e Bruxelas, têm boas notícias - mas não o suficiente para suavizar medidas. Já em Itália há restrições adicionais e a cidade de Londres também considera também passar ao nível três, …

UE dá exemplo de Portugal para defender salário mínimo europeu

O comissário europeu do Emprego, Nicolas Schmit, diz esperar um acordo ou pelo menos "bastante progresso" sobre a proposta comunitária para garantir salários mínimos adequados em todos os Estados-membros da União Europeia (UE) e dá …

Na primeira fase, será possível administrar 400 mil doses de vacinas “numa semana a dez dias”. Segunda ronda pode ser crítica

Os especialistas já fazem previsões. Se por um lado a primeira fase da vacinação contra a covid-19 se adivinha rápida, a segunda será poderá ser muito complicada. Os representantes dos profissionais dos centros de saúde - …

Bruxelas conclui que Zona Franca da Madeira violou regras e quer devolução das "ajudas indevidas"

A Comissão Europeia (CE) conclui que o regime da Zona Franca da Madeira (ZFM) desrespeitou as regras de ajudas estatais, pois abrangeu empresas que não contribuíram para o desenvolvimento da região, pelo que Portugal deve …

Chuva de críticas ao plano nacional de vacinação: "É vasto em imprecisões e impreparações"

Francisco Rodrigues dos Santos considerou que "faltou planeamento" no plano de vacinação português e observou que "basta comparar" com aqueles anunciados "na Alemanha, no Reino Unido ou em Espanha para perceber que há diferenças abismais". O …

O corpo ideal? O mistério das enigmáticas figuras pré-históricas de Vénus pode ter sido resolvido

Um dos primeiros exemplos mundiais de arte, as enigmáticas estatuetas de "Vénus" esculpidas há cerca de 30 mil anos, intrigaram os cientistas durante quase dois séculos. Agora, o mistério das estranhas figuras pode ter sido …

Nova geringonça à vista? Rui Rio mostra-se disposto a governar mesmo sem vencer eleições

São muitos os sinais que tem dado. Rui Rio está disponível para liderar uma futura maioria de direita se esta vier a surgir no quadro de futuras eleições legislativas - mesmo que o PSD seja …

Cientistas encontram nova criatura gelatinosa no fundo do mar (mas podem nunca mais voltar a vê-la)

Uma equipa de investigadores da Administração Nacional de Pesca Oceânica e Atmosférica (NOAA) revelou que descobriu Duobrachium sparksae, uma nova espécie de ctenóforo - ou águas-vivas-de-pente. A descoberta foi feita remotamente usando imagens de vídeo de …