//

Estudo mostra que o “modo noturno” dos telemóveis não nos ajuda a dormir

Um novo estudo conclui que o modo noturno disponível na grande maioria dos smartphones não tem qualquer impacto na qualidade do nosso sono.

Qualquer pessoa minimamente familiarizada com smartphones sabe que quase todos estes dispositivos já há algum tempo que disponibilizam a opção modo noturno (ou modo escuro), que altera o tom azulado e frio do ecrã para uma tonalidade mais amarelada e quente.

Além de poder reduzir o consumo de energia do telemóvel, um dos grandes objetivos desta opção é melhorar a qualidade do sono dos utilizadores. Mas será que realmente funciona? A resposta é não, de acordo com um novo estudo.

Segundo o site IFLScience, ao contrário de outras investigações, esta nova pesquisa defende que o modo noturno tem, na verdade, muito pouca influência na qualidade do nosso sono.

Para chegar a esta conclusão, investigadores da Universidade Brigham Young e do Cincinnati Children’s Hospital Medical Center, nos Estados Unidos, pediram a 167 estudantes universitários que passassem pelo menos oito horas na cama, enquanto usavam um acelerómetro no pulso para monitorizar o seu sono.

A equipa dividiu os participantes em dois grupos: aqueles que, em média, dormiam cerca de sete horas por noite (perto da quantidade recomendada) e os que dormiam menos de seis horas.

De forma aleatória, os voluntários também foram designados para, durante sete noite consecutivas, cumprirem uma das seguintes condições, uma hora antes de dormir: Night Shift do iPhone ativo, Night Shift desativado ou não usarem o telefone.

Para aqueles que dormiam cerca de sete horas, houve uma ligeira melhoria na qualidade do sono se não usassem o telefone antes de dormir, em comparação com aqueles que usaram normalmente o telefone, mesmo com o modo noturno ativo.

No caso das pessoas que dormiam cerca de seis horas, não houve diferenças na qualidade do sono com base no facto de usarem, ou não, o Night Shift.

“Isto sugere que, quando estamos muito cansados, adormecemos independentemente do que tenhamos feito antes de dormir. A pressão do sono é tão alta que realmente não há efeito do que acontece antes de dormir”, explicou, em comunicado, Chad Jensen, professor da universidade norte-americana e um dos autores do estudo publicado, a 16 de abril, na revista científica Sleep Health.

Por outras palavras, se realmente quer ter uma boa noite de sono, não será má ideia parar de usar o seu smartphone algumas horas antes de se deitar.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.