Moçambique. Envio de enfermeiros do SNS está a causar mal-estar nos hospitais

Arno Mikkor / Wikimedia

Presidente da Cruz Vermelha, Francisco George

Após o ciclone Idai, o envio para Moçambique de enfermeiros do Serviço Nacional de Saúde (SNS), na missão de solidariedade da Cruz Vermelha, está a causar mal-estar nas administrações dos Centros Hospitalares de Lisboa.

De acordo com a edição do Público desta terça-feira, o número insuficiente destes profissionais já levou ao fecho de camas nos serviços de neonatologia do Hospital de Santa Maria, que pertence ao Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte (CHULN), na Maternidade Alfredo da Costa (MAC) e no Hospital Dona Estefânia que pertencem ao Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC).

Além disso, foi solicitado aos hospitais que continuassem a assegurar os ordenados e as ajudas de custo dos enfermeiros, quando as unidades de saúde não têm autorização para fazer mais despesa e contratar mais profissionais.

Depois do ciclone Idai, o Governo português enviou para Moçambique, a 29 de março, 28 técnicos, entre médicos, enfermeiros, uma farmacêutica e uma técnica de logística. Dias depois, partiu para o país uma missão da Cruz Vermelha com mais enfermeiros do Serviço Nacional de Saúde (SNS), apesar das carências sentidas nos hospitais portugueses.

O matutino questionou o Ministério da Saúde, tutelado por Marta Temido, acerca desta situação, mas este ministério remeteu as respostas para a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Por sua vez, a DGS afirmou que “solicitou a todos os responsáveis pelos serviços do Ministério da Saúde autorização para dispensa ao serviço a partir de 25 de março, por um período de 20 dias, eventualmente renováveis em função das necessidades, para integração da missão humanitária de emergência nacional de apoio a Moçambique”.

Sem nunca referir que esta missão era especificamente com a Cruz Vermelha, disse ainda que “solicitou que o pagamento das ajudas de custo inerentes a esta missão fosse também assegurado pelos serviços de origem”, ou seja, os hospitais.

Como se trata de uma ajuda humanitária, acrescentou o organismo, “solidariamente, os serviços e os profissionais estão a dar a sua concordância”. Desta forma, cabe “às instituições que cedem os profissionais proceder aos ajustamentos necessários a garantir a continuidade da prestação de cuidados de saúde”.

O Público questionou a DGS sobre qual foi o protocolo, norma ou despacho ao abrigo do qual o Ministério da Saúde cedeu os profissionais à Cruz Vermelha e esta remeteu para a legislação genérica.

Assim, menciona o despacho 6243/2008, que enquadra o interesse público e a pertinência das missões em serviço público e o decreto-lei 106/98, que estabelece normas relativas ao abono de ajudas de custo e de transporte pelas deslocações em serviço público.

Ao que o Público apurou, houve centros hospitalares que não cederam enfermeiros (como o de Lisboa Ocidental e o Universitário de Lisboa Norte) e o Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC) recusou pagar as ajudas de custo, aceitando ceder a enfermeira, mas assegurando apenas o salário, conforme a lei dispõe.

Francisco George, presidente da Cruz Vermelha, não entende a razão deste mal-estar. “Não vejo a necessidade de levantar problemas, uma vez que estamos a falar de sete enfermeiros, um número reduzido num universo de 45 mil”, afirmou, citado pelo Público.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Crianças inspiram Lego a livrar-se de todas as embalagens de plástico

As peças da Lego podem acabar no oceano durante mais de mil anos, mas os fabricantes dinamarqueses estão a tentar tornar a empresa ecologicamente correta. Na sua última promessa, a Lego vai começar a usar sacos …

Uma cidade chamada "amianto" está a tentar mudar o nome (e a discussão tornou-se tóxica)

Há uma cidade no Canadá chamada Asbesto - um material de construção altamente tóxico. Os habitantes da cidade não estão felizes com este nome, mas a sua mudança também não está a ser fácil. De acordo …

FC Porto 3-1 Braga | Entrada de “dragão”

O FC Porto iniciou a defesa do título nacional com uma vitória importante sobre o Sporting de Braga por 3-1. Os minhotos marcaram primeiro no Dragão, por um ex-portista, mas os descontos do primeiro tempo foram …

Barco navega em forma de coração para agradecer aos habitantes da Nova Escócia

A escuna Bluenose II navegou de forma bastante original no último dia da temporada de 2020. A rota seguida criou a forma de um coração no porto de Lunenburg, na Nova Escócia. De acordo com o …

França bate recorde com 13.498 novos casos. Espanha não vai confinar

A França registou este sábado um recorde diário de casos de covid-19, com 13.498 novos infetados nas últimas 24 horas, anunciou a Agência Nacional de Saúde, acrescentando que, no mesmo período, morreram mais 26 pessoas. No …

Diogo Jota no Liverpool

O Liverpool oficializou hoje a contratação do futebolista internacional Diogo Jota, de 23 anos, num contrato “de longa duração”, sem especificar a duração. A imprensa inglesa tem adiantado que o jogador vai assinar por cinco épocas, …

Companhia aérea australiana oferece voos de 7 horas (para lugar nenhum)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou recentemente planos para um voo panorâmico de sete horas que fará um loop gigante em Queensland e Gold Coast, New South Wales e os remotos centros do interior do …

Barack Obama vai publicar um livro de memórias (mas só depois da eleições de novembro)

O livro de memórias do antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai ser publicado depois das eleições presidenciais de novembro. Uma enxurrada de livros políticos chegou às prateleiras nas últimas semanas, no final da …

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …