/

Mistério no Botsuana. Morte de centenas de elefantes preocupa cientistas

Mais de 350 elefantes foram encontrados mortos em poucos meses no norte do Botsuana. O caso que está a ser encarado pelo Governo como um verdadeiro mistério.

Mais de 350 elefantes morreram no norte do Botsuana, uma morte em massa misteriosa e descrita pelos cientistas como um “desastre” de conservação que tem de ser explicado.

Niall McCann, diretor do centro de conservação do National Park Rescue, no Reino Unido, disse que os elefantes são ativos do país, “diamantes que vagueiam pelo Delta. É um desastre de conservação. O país está a falhar na proteção ao seu recurso mais valioso”.

As autoridades ainda não realizaram autópsias aos corpos dos animais, pelo que ainda não se sabe qual a verdadeira causa da morte em massa.

De acordo com o Diário de Notícias, o diretor interino do departamento de vida selvagem e parques nacionais do Botsuana, Cyril Taolo, justificou a demora com as restrições provocadas pela pandemia. “Estamos cientes dos elefantes que estão a morrer. Dos 350 animais, confirmamos 280. Ainda estamos no processo de confirmar o resto. Enviamos [amostras] para testes e esperamos os resultados nas próximas duas semanas”.

Nial McCann pede que a situação seja analisada por uma equipa independente, até porque a situação pode começar a afetar a população local.

As duas causas tidas como mais prováveis são envenenamento ou uma infeção patogénica. As autoridades pensaram inicialmente na possibilidade de as mortes terem sido causadas por Antrax – uma infeção letal que se manifesta muito em animais -, mas a hipótese já foi excluída.

No entanto, mesmo depois de afastada a hipótese Antrax, as mortes podem estar relacionadas com uma outra causa que poderá vir a afetar os humanos.

Testemunhas locais dizem que os animais foram vistos a andar em círculos, o que pode indicar que o sistema neurológica estava comprometido. “Se reparar nas carcaças, algumas caíram de rosto, indicando que morreram muito rapidamente. Outros estão obviamente a morrer mais devagar, como os que estão a caguear. Portanto, é muito difícil dizer de que toxina se trata”, disse McCann.

O mistério adensa-se a partir do momento em que são afetados animais de ambos os sexos e várias idades. Além disso, relatos locais apontam para o facto de o número de mortes poder ser muito maior do que aquilo que foi registado até ao momento.

A hipótese do envenenamento por cianeto, uma substância muito utilizada por caçadores furtivos do Zimbabué, ainda está em cima da mesa.

Existem cerca de 15 mil elefantes na zona do delta do Okavango, o que representa 10% da população do total daquela espécie no Botsuana. Além da manutenção de um ecossistema equilibrado, os elefantes contribuem para o turismo no país.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.