/

Miocardites afetam até 120 vezes mais crianças infetadas não vacinadas que as inoculadas

21

Segundo o Programa Nacional para as Doenças Cérebro-Cardiovasculares, a vacinação contra a covid-19 “é segura e eficaz em idade pediátrica”.

De acordo com o Público, a miocardite após a vacinação é muito rara e geralmente ligeira, com rápida recuperação, explicam os especialistas.

“A vacinação contra o vírus SARS-CoV-2 é segura e eficaz em idade pediátrica. As reações adversas são raras, muito em particular no grupo de crianças entre os 5 e os 11 anos. A miocardite após vacinação é muito rara e geralmente ligeira, com rápida recuperação, parece não ter sequelas, e atinge particularmente rapazes na adolescência e jovens adultos”, conclui o Programa Nacional para as Doenças Cérebro-Cardiovasculares (PNDCCV), da Direção-Geral da Saúde, num parecer.

Segundo o último relatório diário da vacinação, 301 mil crianças entre os cinco e os 11 anos já iniciaram a vacinação contra a covid-19. Um número que não chega ainda a 50% do universo estimado de crianças elegíveis.

É preciso ter também em conta que nem todas podem ser vacinadas nesta altura, porque podem estar ou estiveram infetadas, ou a cumprir isolamento profilático.

De acordo com o previsto, o próximo fim-de-semana dedicado à vacinação infantil é a de 5 e 6 de fevereiro, para primeiras e segundas tomas.

Os responsáveis do programa salientam que algumas crianças podem desenvolver doença grave na sequência da infeção pelo SARS-CoV-2, sendo “uma das complicações mais sérias” a síndrome inflamatória multissistémica (MIS-C ou PIMS), que pode implicar a necessidade de cuidados intensivos.

“Neste contexto, a vacinação assume-se como uma medida que permite diminuir a potencial gravidade do impacto da covid-19 nas crianças e adolescentes, sobretudo tendo em conta a evidência científica robusta de que a vacina é segura, inclusivamente para o grupo etário dos cinco aos 11 anos”, afirmam, referindo que a vacinação não causa MIS-C e que estudos recentes indicam que nos adolescentes vacinados o risco de ter MIS-C após a infeção diminuiu 91%.

Quanto à miocardite (infeção do músculo cardíaco) associada à covid-19, o parecer “Vacina para Covid-19 em Idade Pediátrica e Lesão Cardíaca: o que sabemos”, assinado por Fátima Pinto e Filipe Macedo, refere que pode ocorrer em três circunstâncias diferentes:

“Devido à infeção viral, em cerca de 60 casos por 100.000 indivíduos infetados; na doença mais grave, síndrome inflamatória multissistémica por COVID-19 (MISC-C ou PIMS) atingindo cerca de 17,3% dos casos; e após vacinação, com uma incidência de 0,5 a 1 caso por 100.000 indivíduos”.

Em qualquer uma destas formas, é mais frequente no sexo masculino entre os 16 e os 40 anos.

O parecer também refere que as causas da miocardite em contexto de covid-19 “são ainda desconhecidas”, assim como a razão por que “ocorre mais frequentemente entre rapazes jovens, após a puberdade”. “Também não foi ainda possível confirmar a relação causa-efeito entre a vacina e a miocardite“.

“A miocardite por infeção com SARS-CoV-2 sendo cerca de 60 vezes mais frequente, que após a vacinação, pode ter sintomas mais graves, evolução mais prolongada, bem como complicações e sequelas a longo prazo”, dizem os especialistas.

Acrescentando ainda que “a miocardite em idade pediátrica após a vacinação é muito rara, apresenta-se com sintomas ligeiros, evolução rápida e não aparenta ter complicações ou sequelas a longo prazo”.

Dos 8,7 milhões de vacinas administradas a crianças entre os cinco e os 11 anos nos Estado Unidos resultaram 11 comunicações de casos de miocardite.

Todas foram ligeiras e transitórias” e “não se conhece mortalidade diretamente relacionada com a vacina”, notam os autores do parecer.

“A experiência dos hospitais pediátricos nacionais de referência é de que o risco de envolvimento cardíaco em doentes com infeção por covid, em qualquer idade, é uniformemente pior e mais frequente, do que após a vacinação, podendo ser responsável por sequelas tardias, que requerem seguimento a longo prazo. Não sendo comparável à miocardite após vacina, muito mais rara e ligeira”, concluem.

  ZAP //

21 Comments

  1. no outro artigo que li hoje era 60 em outro jornal, amanha aposto que sera 240, sempre a duplicar , isto sera mesmo de confiar? ao menos usem a mesma cartilha da lusa

    • Cara leitora,
      O valor em causa é de “0,5 a 1 caso por 100.000 indivíduos”, ou seja, de 60 (como terá dito o “outro jornal”) até 120 (como salientámos no nosso caso).

  2. Realmente as vacinas são uma coisa formidável:

    1. Dão alguma imunidade? – Não!
    2. Mas impedem o contágio, certo? – Não!
    3. Ah mas hoje em dia há menos casos, ao menos isso? – Não!..
    4. Bom, ao menos espero que uma vez tomada a vacina proteja alguma coisa, não? – também não! Ao fim de seis meses já não há imunidade nehuma.
    5. Então não faz mal… Vamos tomando várias vacinas e reforços por ano, que tal? – se quiserem rebentar com o vosso sistema imunitário natural, estejam à vontade mas, vacinas nunca foram para estar sempre a tomar várias vezes por ano.

    As vacinas são tão boas, mas tão boas… Que em Israel que era o país mais vacinado do mundo, já estão a dizer que acabaram as vacinas, vamos mas é deixar a população adquirir imunidade natural em contacto com o Omicron.

    • 1- Imunidade os números falam por si menos internamentos e menos mortes.
      2- Não impede contágios mas reduz sintomas e mortes que é a prioridade de uma vacina.
      3- não há menos casos porque não houve confinamento mas temos menos internamento e menos mortes graças a vacina.
      4- Não percebi a sua teoria ou seja a vacina não vale nada mas afinal dá imunidade durante 6 meses ???
      5- “Rebentar sistema imunitário natural!!” Se percebesse um bocadinho do assunto sabia que todos os dias estamos em contacto com substancias ou micro-organismo que ativam o nosso sistema imunitário levando a produzir defesas contra os mesmo, no caso das vacinas o principio é o mesmo sendo apenas induzido Está visto que não percebe nada de imunidade ou de vacinas por conseguinte o seu comentário não passa de um desabafo de uma pessoa egocêntrica que tem medo de uma picazinha e que arranja argumentos para justificar os seus medos.

      • A verdade é que foram mentindo às pessoas para poderem vacinar indescriminadamente. Primeiro porque evitava o contágio (e isso ve-se agora q é verdade :(. A verdade é que o vírus é mais contagioso e menos mortal. Depois, mesmo de se perceber que a média de mortos a nivel mundial está nos 82 anos, porque continuamos com uma ânsia tão grande em vacinar crianças? No meu entender é um crime. Morreram até hoje 4 ou 5 criancas em 2 anos. E outra coisa, isto é uma pandemia tão grande q matou 20 mil pessoas em 2,5 milhões de infectados, o q dá uma taxa de mortalidade assustadoramente grande de menos de 1% os dados de dezembro dizem q morreram 50/50 (vac/nao vac) mas o risco é muito maior nos não vacinados (enfim, impera a política do Mêdo para atingir-se objectivos)
        É exactamente pelo ponto 6 que devemos deixar o sistema imunitário fazer o seu papel. E relembro que não existe só um vírus, existem milhões… O meu conselho é, tratem da vossa saúde porque só assim podemos ultrapassar as doenças.
        Antes de fugirem em manada à frente dos leõescomo os animais por favor parem para pensar… Desde q começou a vacinação de faixas etárias abaixo dos 40 anos q se percebeu bem a intenção destes abutres..

        • Mais um com a teoria da conspiração…. Gostava que alguém com raciocino lógico e provas fidedignas e concretas me explicasse o que é que o governo, o sistema, o Lex luthor, o spectre ou mesmo o bicho papão ganha com a vacinação das pessoas ou melhor em fazer mal ao povo português ??? A única conspiração ou teoria que eu deduzo das suas ideias é o extermínio dos velhos que ajudaram a construir o país e o mundo onde vive e onde pode dizer a suas barbaridades.

      • A minha opinião, a vacina nos adultos e essencialmente nos mais idosos tem realmente vantagens.
        Mas é uma opinião baseada talvez em alguma fé, porque se olharmos de uma forma fechada e simplista para Portugal e comparar-mos os números com o ano passado, a relação de casos positivos vs números de mortos e internamentos em UCI, é indiscutível que a vacina tem vantagens.

        Contudo se juntamos algumas variáveis mais a esta visão simplista, temos um panorama diferente.

        Em primeiro lugar, testamos bastante mais este janeiro do que o ano passado, logo é natural que o numero de infectados sobe dramaticamente e apanhamos muitos dos casos ligeiros que passaram o ano passado sem serem detectados, logo o “ratio” do ano passado tem um impacto mais dramático.

        Em segundo lugar, em Portugal temos geralmente 3 a 4 mil óbitos durante o inverno associados a casos de gripe, inclusive no período sazonal de 2014/2015 houve mais de 8500 óbitos associados a gripe, o ano passado deixou-se de testar e assumiam casos de covid sem qualquer prova, resumindo, o período sazonal de 2020/2021 foi o primeiro ano (desde que se regista vigilância de gripe) em que Portugal não teve nenhum óbito associado a gripe.
        Também não acredito na explicação que foi graças ás medidas preventivas pelo covid, se os números tivessem reduzido em 10 ou 15% talvez pudesse ser explicado, mas todos vimos que muita gente não seguiu as medidas, logo não consegues explicar 0 óbitos por gripe.
        Este contribuiu para o aumento dramático do numero de óbitos o ano passado, não é opinião, são factos, porque se acreditarmos que o ano passado não houve óbitos por gripe, então o melhor é assumir que a terra é plana e o sol gira à volta da terra … ou grau de ficção é o mesmo para ambos.

        Em terceiro lugar, dizermos que a vacina foi o grande factor para o sucesso de Portugal, é discutível.
        Os óbitos também reduziram em toda a Europa ou mesmo nos Estados Unidos, e já sei que vais responder que também eles estão de alguma forma avançados na vacinação … mas qual é a explicação no continente Africano? Também eles tem uma considerável redução nos óbitos e no entanto tem apenas 7% de vacinados!!

        Repara, como te disse, estou vacinado e acho que a vacina protege os adultos, especialmente os mais idosos, mas apesar de não me considerar negacionista não acredito em tudo o que me tentam vender.
        Respeito a tua opinião como a de quem não se quer vacinar (sim, acredito em democracia e liberdade de pensamento), mas os dados que argumentas tem uma falta de critério e uma visão simplista que não são suficientes para convencer alguém que também tem os seus próprios dados e interpreta-os de maneira diferente (e que merece o mesmo respeito que os teus).

        Por certo, podes consultar em vários sites oficias europeus os dados que te dei sobre os óbitos vs o numero de vacinados, creio que a própria OMS tem esses dados disponíveis (pelo menos a % de vacinados)
        Os dados da vigilância de mortalidade estão disponíveis no site da direção geral de saude, ao abrigo da lei da transparência, podes encontrar ai mais de 140 bases de dados entre elas os dados sobre a mortalidade associada à gripe.

      • Sr. Carlos, falar assim é fácil, mostre-nos os seus dados, estamos cá todos para aprender… Eu gosto do contraditório, pode ser q assim mude opinião.

  3. Mais mentiras, mais propaganda paga pelas farmacêuticas .
    Os meios de comunicação de um pais aprisiona mentalmente os seus concidadãos.

    Cego é aquele que não quer ver,
    e muitos portugueses sentem-se bem com a situação, não sabem ser outra coisa senão servos.
    Servir e obedecer…sem senhor não são nada nem encontram destino para dar aos seus dias.

    Continuem de açaimo – fica-vos bem!

  4. A pfizer já ganhou com a vacina mais de 70 000 000 000 (são muitos zeros) 70 mil milhões.
    O maior acccionista da pfizer ganhou 9 000 000 000 (9 mil milhões). Está escrito na comunicação social. Por isso como vê, eles ganharam qualquer coisita… e pouco..
    E estes bons samaritanos ainda têm a lata de dizer q as vacinas também deviam chegar aos paises mais pobres. Então, se fossem pessoas de boa fé e depois de tanto dinheiro ganho, se calhar até ofereciam não? Se tivessem moral e respeito pelo próximo. Porque pediram no tribunal americano 70 anos p divulgar o resultado dos testes q fizeram e aprovaram a vacina? Nem os médicos têm acesso a esta informação vital! Veja e procure porque também está publicado. É um processo a decorrer nos tribunais americanos.
    Isto não se trata de teorias de conspiração, trata-se de bom senso e respeito pelo ser humano e do direito q nos assiste em termos a informação necessária q nos permita tomar a decisao mais acertada. A minha saude e o meu dinheiro não serve p abutres usarem e abusarem. Tenho sempre muito cuidado a quem recorro p me aconselhar. O mundo infelizmente não funciona da forma que gostaríamo, ou da forma q devia. Os senhores políticos q disseram hoje p voce tomar a vacina, porque você confia neles, amanhã estão a fugir para África, ou outro pais qualquer. Enfim, você acredita? Eu já não tenho idade p estas palhaçadas.

    • “Tenho sempre muito cuidado a quem recorro p me aconselhar.”
      Sim, sim… o Facebook e sites brasileiros dão esses resultados!…

      • Não tenho Facebook nem tiktok, twitter tão pouco,nem sequer baseio-me em sites brasileiros. Aliás eu apresentei dados concretos.
        Também não sei onde vai buscar a sua informação, mas de concreto você apresentou bola. Assim é fácil… Tenha a coragem de apresentar os seus argumentos, ensine alguma coisa da sua experiência para q nós possamos ter outra opinião… Estou aqui p aprender também.

  5. Quem acredita não ser gado para os ricos comerem, ou está a enganar-se a si próprio, ou é um deles. Dividir para conquistar, é a arma que usam desde sempre.

    • Totalmente de acordo. Primeiro criaram um circo na tv e entrou tudo em parafuso, de tal forma q até andaram a comprar vacinas no mercado negro. As pessoas desesperaram por uma vacina.
      O medo sempre foi e sempre será a melhor arma p controlar o povo..

  6. Mas não são os leigos que põem em causa as vacinas das crianças! São os seus pediatras! Será que eles não sabem do que falam?!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE