Emma esteve 6 minutos em silêncio, o tempo que demora a matar 17 pessoas

Emma González, uma cubana de 18 anos, fez-se rosto da luta adolescente contra as armas nos Estados Unidos. O seu silêncio de 6 minutos foi aplaudido e chorado por centenas de milhares.

Emma González, a adolescente de 18 anos, de nacionalidade cubana, provou ao mundo que um silêncio de seis minutos é mais poderoso, incómodo e diz mais que um discurso carregado de palavras.

Há décadas que a discussão em torno da venda de armas nos Estados Unidos acontece, mas nos últimos tempos, na sequência do tiroteio em Parkland que matou 17 pessoas, tem-se intensificado.

A 14 de fevereiro, Nikolas Cruz entrou na escola de Parkland na Florida e durante seis minutos e 20 segundos disparou indiscriminadamente por quem encontrava nos corredores, ceifando a vida a 17 pessoas.

No passado sábado, 24 de março, durante a iniciativa March for Our Lives, uma marcha que contou com centenas de milhares de pessoas que se rebelaram contra o uso de armas nos EUA, Emma González, estudante e sobrevivente do ataque, assumiu o palco.

Depois de dizer o nome das vítimas, calou-se no “maior silêncio da história do protesto social dos EUA”, como caracterizou o analista David Corn, num silêncio carregado das lágrimas de Emma, que rapidamente se estenderam à plateia.

Aqueles seis minutos, iam comentando as pessoas que se juntaram ao protesto em Washington, pareciam uma eternidade. “Imaginem agora como seria se durante aquele tempo tvessem de se esconder para não serem atingidos”, desafiou Emma. Porque ela estava lá. Sobreviveu, mas ficou irremediavelmente marcada por aquele momento.

Na América, ela e outros sobreviventes não aceitam que a história continue a sua narrativa trágica. O ataque em Parkland foi o 18º a acontecer no país desde o início do ano. E então eles uniram-se contra a política de Donald Trump, o lobby da National Rifle Association (NRA) e a permissiva lei de posse de armas, escreve o P3.

Emma, uma das líderes do movimento #NeverAgain, que se insurge contra as armas, foi durante três anos presidente de uma associação de defesa dos direitos dos homossexuais dentro da escola.

Depois da tragédia em Parkland tornou-se o rosto da luta contra a NRA, uma batalha repleta de barreiras que a jovem promete não deixar cair. Porque “os adultos estão a comportar-se como crianças” e alguém tem de agir. “Lutem pelas vossas vidas antes que tenha de ser alguém a fazê-lo por vocês”.

Jim Lo Scalzo / EPA

Sobrevivente do Bataclan ataca estudantes de Parkland

O vocalista da banda de rock Eagles of Death Metal acusou os estudantes de Parkland de “traição” e de “abusarem da morte“, segundo a ANSA.

No instagram, Jesse Hughes escreveu várias críticas aos estudantes que sobreviveram ao massacre de Parkland. “Enquanto sobrevivente de um tiroteio em massa, posso dizer em primeira mão que todos vocês estão a protestar para insultar a memória dos que foram mortos e abusados. Isso insulta-me a todos os que amam a liberdade”.

As publicações tiveram como alvo específico Emma González: “Amante da traição. Aproveite o seu momento, está para acabar”, acrescentou.

Hughes aproveitou ainda para defender Donald Trump, dizendo que “será o presidente por mais sete anos”.

Os comentários do cantor foram entretanto apagados das redes sociais.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Ha sobreviventes que não o deviam ser e esse Jesse está a insultar todas as vitimas e principalmente o bom senso e a inteligência.

  2. Se fizerem um esforço por ter conhecimento do que se passou em Parkland e da forma como se estão a aproveitar da morte de estudantes para satisfazerem objectivos políticos de índole fascista/comunista, perceberão as palavras de Jesse Hughes, a quem tiro o chapéu pela honestidade e coragem.

  3. Jesse Hughes é a prova viva de que ser vítima de atentado não faz de ninguém sensato, se o bom senso não existia préviamente.

    Nem provando do próprio remédio energúmenos destes me ganham ideias. Ouvir alguém defender Trump e a proliferação das armas pessoais, só faz realmente pensar que se calhar a sua sobrevivência ao ataque do Bataclan não é assim tão por acaso. Se calhar até foi ele um facilitador do massacre. As declarações dele vão ao encontro das letras das suas músicas.

  4. O país com mais homicídios no mundo é o Brasil. Pese embora tenha somente dois terços da população dos EUA, o Brasil tem 4 vezes mais homicídios. Isto apesar de as leis de posse de arma no Brasil serem mais restritivas do que nos EUA…

RESPONDER

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …