Ministro afirma que praxes são “uma das maiores pragas que temos de combater”

Bobo Boom / Flickr

-

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, expressou esta sexta-feira, em Braga, o seu “repúdio total” pelas praxes académicas, “qualquer que seja a sua forma”, e apelou a um “combate cerrado” àquelas práticas de receção ao caloiro.

“É uma das maiores pragas que temos de combater”, referiu Manuel Heitor, que falava na Universidade do Minho, na abertura de um seminário sobre “Organização e desenvolvimento do ensino superior”.

O governante manifestou o seu apoio “a todos aqueles que se têm batido contra a prática de praxes académicas e outras práticas boçais e grosseiras que hoje continuam a ocorrer no contexto do ensino superior em Portugal”.

Há dias, 100 personalidades subscreveram uma carta aberta, intitulada “Integração no Ensino Superior: a democracia faz-se de alternativas” e dirigida a todas as instituições de ensino superior, em que pedem alternativas à praxe.

Vincando o “repúdio total pelas praxes académicas, qualquer que seja a sua forma”, Manuel Heitor adiantou que vai escrever a todos os responsáveis pelas instituições de ensino superior a pedir “um combate cerrado” àquelas práticas.

Para o ministro, terá de haver uma “corresponsabilização” das instituições, “não só dentro das instalações mas de uma forma geral”, por se tratar de “um processo social complexo, que tem de ser percebido e combatido diariamente todos os anos”.

As praxes “devem ser combatidas por todos, estudantes, professores e, muito especialmente, por todos os responsáveis por instituições politécnicas e universitárias, independentemente do local da ocorrência”, defendeu.

Crime

O ministro sublinhou que o sistema de reporte de praxes está acessível na Direção Geral do Ensino Superior através do e-mail praxesabusivas@dges.mctes.pt e que todos os processos serão enviados para o Ministério Público “porque hoje temos de considerar isso como um crime“, acrescentou.

Já o presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, António Cunha, defendeu que as universidades “têm de ser espaços de liberdade” e instituições “comprometidas com os valores humanistas”.

“Ninguém pode ser obrigado a fazer o que não quer fazer”, afirmou António Cunha, também reitor da Universidade do Minho.

Para Cunha, as universidades “têm de reagir a comportamentos e práticas que perturbem as demais atividades e que sejam atentatórios da dignidade humana e dos valores humanistas“.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Choveram" propostas de empréstimo por Marega

O emblema portista recebeu vários proposta de empréstimo por Moussa Marega, mas acabou por as rejeitar. O FC Porto apenas abre mão do jogador caso seja paga a cláusula de rescisão. A imprensa francesa avança esta …

Crise de saúde mental nos jovens. Há um sexo mais em risco do que o outro

O uso regular de redes sociais pode afetar a saúde mental dos jovens. No entanto, os seus efeitos podem-se manifestar mais drasticamente em raparigas do que em rapazes. Desde 2010, as taxas de depressão, automutilação e …

PS quer limitar "vistos Gold" aos municípios do interior e às regiões autónomas

O PS entregou hoje uma proposta de alteração ao Orçamento em que limita a concessão dos "vistos Gold" a investimentos feitos por estrangeiros em municípios do interior ou nas regiões autónomas dos Açores e da …

Mais acidentes, afogamentos e suicídios num mundo mais quente

As temperaturas mais elevadas vão provocar mais acidentes rodoviários, afogamentos, agressões e suicídios, revelou uma nova investigação. Até ao momento, a grande parte das pesquisas em torno das alterações climáticas centrou-se nas mortes por doenças transmitidas …

Jóias de ouro e prata com plástico. Justiça não vê mal nenhum e iliba marca Tous

O processo de investigação aberto à marca TOUS por alegada fraude com jóias de ouro e plástico contendo plástico no seu interior, foi arquivado. A Justiça espanhola entende que, apesar de as jóias conterem plástico, …

Provas do caso Luanda Leaks podem ser nulas em Portugal

A Constituição da República Portuguesa determina que as provas obtidas mediantes violação de correspondência são consideradas nulas. Desta forma, os documentos conseguidos por Rui Pinto no caso Luanda Leaks podem vir a ser nulas aos …

Rui Pinto "tropeçou" nos Luanda Leaks sem querer

Foi quando estava à procura de "segredos do futebol" no âmbito dos Football Leaks que o hacker Rui Pinto "tropeçou" nos documentos que incriminam Isabel dos Santos nos Luanda Leaks. É o seu advogado, o …

Líder do assalto às armas de Tancos libertado

João Paulino estava preso preventivamente desde 28 de setembro de 2018. Esta segunda-feira foi libertado por excesso de prisão preventiva. O ex-fuzileiro João Paulino foi hoje libertado por excesso de prisão preventiva. A notícia foi confirmada …

Investigadores desenvolvem tecnologia que permite datar as impressões digitais

Encontrar as impressões digitais numa cena de crime nem sempre é suficiente para haver condenação, podendo os suspeitos alegar que as mesmas foram deixadas antes de o crime ocorrer. Essa realidade pode estar prestes a …

Coronavírus abala mercados mundiais. Petróleo derrapa mais de 3%

A preocupação com as consequências económicas da propagação do coronavírus na China está a ter um efeito devastador nos mercados. A derrapagem nos mercados acontece numa altura em que o número de mortos pelo surto de …