Ministra de Bolsonaro acusada de sequestrar criança indígena e criá-la como filha

jeso.carneiro / Flickr

Damares Alves, ministra de Bolsonaro e responsável pela pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos.

A ministra brasileira Damares Alves, responsável pela pasta de Família e Direitos Humanos, é acusada por uma tribo indígena de Kamayurá, no Xingu, em Mato Grosso, de ter retirado uma criança de seis anos à família e nunca a ter devolvido.

A história é narrada pela revista Época, do grupo Globo, e conta que Lulu terá sido retirada da aldeia por uma amiga da ministra para efetuar um tratamento dentário, mas nunca chegou a voltar. Apesar de ser apresentada como filha adotiva de Damares Alves, a adoção nunca chegou a ser formalizada.

Segundo a revista, Lulu nasceu a 20 de maio de 1998 e foi criada pela avó paterna, Tanumakaru, até aos seis anos de idade. Na altura dos factos, a ministra e Márcia Suzuki, amiga e braço direito de Damares, apresentaram-se como missionárias da aldeia e manifestaram-se preocupadas com a saúde da menina.

“Márcia veio na Kuarup [festa tradicional em homenagem aos mortos], olhou para os dentes todos estragados de Lulu e falou que ia levar para tratar”, contou Mapulu, pajé [curandeira] kamayurá e irmã do cacique [chefe da aldeia].

Entre os vários testemunhos está o da avó da menina, agora com 80 anos, que revelou a história na primeira pessoa. Nas declarações prestadas, afirma que nunca foi informada de que a criança não regressaria.

A tribo indígena confirma que a menina foi levada por Márcia Suzuki e que só a viram cerca de dois anos depois de ter sido retirada à família. Confrontada com os factos, a ministra alega que não tem nada a esconder e garante que a menina visita a família biológica regularmente. A ministra convidou os jornalistas a terem “um olhar especial para estes povos, para as mães e crianças que sofrem”.

Damares Alves escusou-se ainda a justificar as razões que a levaram a não realizar uma adoção formal. Segundo a revista, a adoção de uma criança indígena precisa de passar pelo crivo da Justiça Federal e da Justiça comum.

A decisão deve ainda passar pela Fundação Nacional do Índio, uma associação protetora da comunidade indígena, para que através da análise de profissionais se possa avaliar se há vínculos entre a criança e o adotante e se a família mais extensa aprova a adoção. Nos casos das populações indígenas, a opinião da aldeia deve ser sempre tida em conta, revela a Exame.

A população relatou ainda que a mãe biológica da criança não teria condições para a criar e que Piracumã, o tio da menina, tomou a iniciativa de delegar a criança à avó. A comida e os medicamento eram escassos e a criança chegou mesmo a ficar subnutrida.

Márcia fundou, juntamente com Damares, a ONG Atini, cujo lema é salvar crianças indígenas.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Fanáticos religiosos a raptar crianças para as “salvar”… nada de novo!!
    Pior é haver quem leve esta doente mental a sério!…

RESPONDER

Catarina Martins diz que Carlos Costa "não tem condições" para ser governador

Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, disparou contra aqueles que considera serem "cúmplices" do "assalto ao povo angolano". Tanto a Justiça como o Governo português têm de agir, considera o Bloco de Esquerda, na sequência …

Pedro Sánchez vai reunir-se com líder do governo regional catalão

O primeiro-ministro espanhol e líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), Pedro Sánchez, anunciou na segunda-feira que se reunirá com o líder do governo regional da Catalunha, Quim Torra, no início de fevereiro. Em entrevista à televisão …

Governo confirma que nunca avaliou impacto dos vistos gold. Só 5% foram recusados

O Ministério da Administração Interna (MAI) confirmou que não foram realizadas avaliações ao impacto dos vistos gold e que não cabe ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) controlar as origens do capital investido em …

Conselho de Finanças Públicas alerta para "risco de desvio significativo" no ritmo de ajustamento estrutural

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) alerta para um "risco de desvio significativo" do ritmo de ajustamento estrutural da economia portuguesa em 2020, avisando que a evolução programada da despesa no OE2020 "não cumpre o …

Carolina Salgado condenada a pena de quatro meses de prisão, substituída por multa de 600 euros

Carolina Salgado não cumpriu sentença do processo de difamação a Pinto da Costa. Além das 300 horas de trabalho comunitário devia ter publicado o texto da sentença no jornal e não o fez. Carolina Salgado foi …

Taiwan deteta primeiro paciente com pneumonia originária da China

A Agência Central de Notícias de Taiwan disse que uma mulher, que esteve recentemente na cidade chinesa de Wuhan, está a ser tratada e foi colocada sob quarentena, depois de se ter dirigido voluntariamente aos …

PSP investiga alegada agressão de um agente a uma mulher na Amadora

A Polícia de Segurança Pública (PSP) abriu um processo de averiguações sobre a atuação policial contra uma mulher que foi detida, no domingo, na Amadora, ocorrência que envolveu "agressões" e que resultou numa denúncia contra …

Ex-presidente da Interpol condenado a 13 anos e meio de prisão por suborno

O ex-presidente da Interpol Meng Hongwei foi condenado a 13 anos e meio de prisão por suborno, segundo uma declaração de um tribunal chinês divulgada esta terça-feira. Além da pena de prisão, foi multado em …

Condutor que atropelou mortalmente irmã de Djaló condenado a 16 anos de prisão

O Tribunal de Almada condenou, esta terça-feira, a 16 anos de prisão o condutor acusado do atropelamento mortal de uma jovem de 17 anos nas Festas da Moita, no distrito de Setúbal, em setembro de …

Tribunal Arbitral do Desporto mantém jogo à porta fechada na Luz

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) considerou improcedente o recurso do Benfica ao castigo de disputar um jogo à porta fechada, uma decisão que vai ser alvo de recurso do clube. Fonte oficial do Benfica confirmou, …