Militares subalugam casas do Estado em Lisboa a turistas

Paulo Cunha / Lusa

O ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes, com o primeiro-ministro, António Costa

Segundo revela esta terça-feira o Diário de Notícias, casas do Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA) alugadas a militares têm sido usadas como alojamento local para turistas estrangeiros.

Na sua edição desta terça-feira, o Diário de Notícias avança que casas do Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA) alugadas a militares, em Lisboa, têm sido usadas como alojamento local para turistas estrangeiros.

Um dirigente do IASFA afirmou que “já chegou ao nosso conhecimento e é preocupante, até porque tem a ver com o património da Ação Social Complementar”. Além disso, a preocupação inerente prende-se também com o momento gravidade que o IASFA vive neste momento. O diigente preferiu o anonimato por não estar autorizado a falar sobre o caso.

Confrontado, o Ministério da defesa desconhece a situação. Fonte oficial do gabinete de Azeredo Lopes disse ao Diário de Notícias que não é o ministério, mas sim o IASFA que tem de responder sobre esta matéria.

Segundo conta o matutino, um dos casos foi alvo de uma queixa escrita ao IASFA por três moradores do prédio (dois sargentos e um cabo) em maio do ano passado. O apartamento do terceiro andar, na zona da Boa Hora, “passou a ser habitado desde o início” deste ano, com os restantes inquilinos a assistirem “à entrada e saída contínuas de pessoas de diversas nacionalidades a qualquer hora do dia ou da noite”.

Os autores da queixa desconhecem a quem é que o IASFA arrendou o apartamento da Rua Aliança Operária. Ainda assim, não deixaram de comunicar a situação ao instituto que também tem registado a presença de trabalhadores de limpeza naquele local após a saída dos ocupantes.

Além disso, as preocupações dos inquilinos prendem-se também com questões de segurança. De acordo com a queixa, a segurança dos moradores e das suas casas está comprometida, isto porque a chave da porta de entrada foi distribuída “várias vezes a pessoas completamente alheias” ao edifício.

De acordo com o jornal, a situação financeira do IASFA é problemática há vários anos. Aliás, o buraco de dezenas de milhões de euros já originou várias auditorias, tanto do Ministério da Defesa como também do Ministério das Finanças.

Um dos principais objetivos da tutela tem sido apurar, ao certo, qual o património habitacional efetivo do IASFA. Fontes ouvidas pelo DN admitem a existência de mais situações de subaluguer de habitações à revelia do instituto.

Disponibilizar casas com “rendas económicas” aos militares das Forças Armadas é um dos instrumentos de apoio social do IASFA aos associados.

ZAP //

PARTILHAR

18 COMENTÁRIOS

  1. Coitados dos militares ganham tao pouco que deram em especuladores com casas que nao sao deles e pelos vistos nao precisam delas.
    Tirem-lhes as casas e aluguem-nas a quem precisa.
    Este pais é cada tiro cada melro, nao tem maneira de alinhar.
    Ja nao bastava o esquema das armas roubadas agora isto.
    É o que eu digo, pobrezinhos dos militares ganham tao pouco.

  2. É SÓ BENEFÍCIOS. CASAS A RENDA CONTROLADA, ÓCULOS DE SOL PAGOS PELO ESTADO, MESSES À DESCRIÇÃO PARA MILITARES E FAMILIARES E POR AI FORA!
    MAS SÃO APOIOS QUE ESTÃO DISPONÍVEIS A TODOS, BASTA SEREM ESPERTOS E APROVEITAREM AS OPORTUNIDADES.
    O QUE É TRISTE É QUE DETURPARAM AS COISAS POIS ESTES APOIOS ERAM DADOS NO TEMPO EM QUE NINGUÉM QUERIA SER FUNCIONÁRIO PUBLICO POIS OS ORDENADOS ERAM BAIXOS FACE AO PRIVADO. PARA COMPENSAR DAVAM REGALIAS MAS COM O AVANÇAR DAS DÉCADAS AS REGALIAS AUMENTARAM E OS SALÁRIOS AINDA MAIS. VIDAS DE LUXO QUE QUANDO SÃO VISTAS À LUZ DO DIA NEM PARECEM REAIS MAS SÃO! NO PRIVADO TAMBÉM SE DÃO REGALIAS É CERTO (NÃO VAMOS CONSIDERAR AS PPP) MAS NÃO SÃO PAGAS POR TODOS NOS COMO É O CASO DESTAS.

  3. neste momento a questão é, mas o que é que estes srs não fazem nos meandros da oilgarquia militar?

    se calhar está na hora do sr PR como chefe supremo, dar algumas indicações ao desgoverno para se investigar o que se passa.

    pq o que se tem ouvido deve ser apenas o que se vê acima das águas, que devem ser muito negras.

  4. Oh pessoal, acabamos com os militares, mantendo o governo, visto que não sabe de nada e não é responsável.
    Quando houver m… , digo, necessidade, vamos ali a Espanha alugar uns pelotões.

  5. 44 anos depois a “abrilada” continua a bater o pé ao poder politico e faz o que lhe apetece. Quem se meter com eles… apanha!

  6. O Costa vai dizer que não sabia e que o ministro da defesa não sabia e que o secretário de estado não sabia mas que o problema vai ser resolvido rapidamente através do sub secretário de estado que também nada sabia e que vai criar uma comissão de inquérito que depois, daqui a três anos vai apanhar com as culpas todas. ATENÇÃO fui meter gasóleo hoje e está a €1.50. Grande socialismo!!

  7. Concordo inteiramente. Então o PM enganou os velhos a bem da especulação imobiliária. Diz-se que o de Lisboa andou a fazer uns negócios com o teixeira e umas casas. Por que motivo não podem estes também ganhar algum com o imobiliário?

  8. Isto é uma vergonha. Um descalabro. E anda o desgraçado do contribuinte a pagar impostos para os militares coitadinhos terem casa de renda económica. Para depois… andarem a fazerem negócio. E o mais grave é que eles fazem isto com as casas do IASFA há varios anos…!!!

RESPONDER

PSD quer lay-off até final do ano e Estado menos "dorminhoco"

O PSD apresentou hoje um conjunto de 26 "ideias e sugestões" na área social, incluindo o prolongamento do 'lay-off' simplificado até ao final do ano, a reafetação de recursos na administração pública e um Estado …

Trump prepara ordem executiva contra redes sociais. Quer reduzir proteções legais das empresas

O Presidente norte-americano, Donald Trump, vai assinar esta quinta-feira uma ordem executiva sobre as redes sociais, anunciou a Casa Branca, dois dias depois de o Twitter ter assinalado mensagens de Donald Trump com alertas de …

Mais 13 mortes e 304 novos casos. Reabertura da economia em Lisboa questionada

Embora a região Norte continue a ser a mais afetada pela pandemia, a situação na região da Grande Lisboa tem piorado. O Governo está a estudar o adiamento de algumas medidas de reabertura da economia …

Queixas de consumidores sobre vendas online sobem 250%

A Associação de defesa de consumidores Deco recebeu 3.500 reclamações relativas a compras online entre janeiro e maio, um aumento de 250% face ao número registado em igual período do ano anterior. Paulo Fonseca, da Deco, …

Alto político russo demitido por Vladimir Putin recorre ao Supremo

Um alto responsável político russo, demitido pelo Presidente Vladimir Putin em janeiro devido a acusações de vários escândalos, contestou a decisão perante a mais alta instância judicial do país. É a primeira vez em vinte anos …

Moratória do Estado poderá ser alargada ao crédito pessoal e aos emigrantes

O Governo está a preparar uma revisão da moratória pública do crédito, que será estendida no tempo e incluirá outras categorias de financiamento, passando ainda a abranger as casas dos emigrantes e o crédito ao …

Lone Star põe Novo Banco em Espanha à venda

O presidente executivo do Novo Banco já terá informado os trabalhadores da sucursal espanhola que o negócio vai para a frente. A notícia foi avançada, esta quarta-feira, pelo jornal El Confidencial. O fundo norte-americano Lone Star …

Autoridades preparam encerramento dos cafés no bairro da Jamaica para conter surto

As autoridades de saúde estão a preparar o encerramento dos cafés no bairro da Jamaica, no Seixal, para conter o surto de covid-19 detetado entre os moradores. A informação foi avançada à agência Lusa pelo delegado …

Aviação continua a despedir. EasyJet vai dispensar um terço dos trabalhadores

A companhia aérea britânica EasyJet anunciou a redução de 4.500 postos de trabalho, quase um terço dos seus efetivos, para fazer face à pandemia. A EasyJet, cuja atividade está parada há semanas, diz que desta forma …

Grupo Amorim perde processo de 179 milhões contra Novo Banco

O Grupo Amorim perdeu o processo no qual reclamava ao Novo Banco o pagamento de mais de 179 milhões investidos, através de duas empresas sediadas na Holanda, em papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES). De …