Militares birmaneses acusados de incendiar uma aldeia

Stringer / EPA

Uma aldeia foi destruída pelo Exército birmanês depois de confrontos entre militares e opositores da junta ditatorial. Dois idosos, que não conseguiram fugir, acabaram por morrer queimados.

A aldeia de Kin Ma, na região de Magway, no centro do país, foi totalmente destruída na terça-feira à tarde, depois de confrontos entre militares e opositores da junta ditatorial.

O país está mergulhado no caos desde o golpe de estado de 1 de fevereiro e há uma repressão brutal levada a cabo pelo exército birmanês contra as manifestações que exigem o regresso da democracia. Os confrontos eclodiram em muitas partes de Myanmar, onde civis formaram forças de “autodefesa” para se opor à Junta Militar que tomou o poder.

Militares invadiram a aldeia de Kin Ma em busca de membros de uma força de autodefesa local, disse um morador à AFP, um homem de 48 anos que falou sob condição de anonimato.

“Enquanto as pessoas corriam, [os militares] atiraram sobre a aldeia com um lançador de foguetes. E vimos chamas a sair das casas“, disse. “Não pensávamos que iriam destruir tudo, então corremos sem levar nossas coisas e deixamos tudo em casa”, acrescentou o homem.

“Havia 250 casas na aldeia, agora só restam cerca de 20“, disse outro morador à AFP, acrescentando que um casal de idosos que não pode fugir morreu no incêndio. “A minha casa também foi reduzida a cinzas. Tudo o que resta é a estrutura de metal”, acrescentou.

Imagens publicadas pelos meios de comunicação locais mostraram nuvens de fumo a subir para o céu e os restos de casas carbonizadas. Os meios de comunicação locais também informaram que um casal de idosos morreu nas chamas.

As autoridades birmanesas afirmaram que o incêndio começou depois de “40 terroristas armados” atearem fogo na casa de um membro local de um partido pró-exército, o que provocou o deslocamento do destacamento de militares para o local.

“Por causa do vento, o fogo espalhou-se para as casas vizinhas e cerca de 70% da vila foi queimada”, disse a assessoria de imprensa da Junta Militar num comunicado.

Com manifestações quase diárias, a economia paralisada por greves massivas, o ressurgimento de confrontos entre o exército e as fações étnicas rebeldes, Myanmar está em turbulência desde o golpe que encerrou um curto período democrático de 10 anos.

O movimento de protesto foi violentamente reprimido pelas forças de segurança que mataram mais de 860 civis nos últimos meses, incluindo mulheres e crianças, segundo a Associação de Assistência a Presos Políticos (AAPP).

O líder da Junta, Min Aung Hlaing, justificou a sua tomada do poder devido à alegada fraude nas eleições legislativas de novembro de 2020, vencidas por esmagadora maioria pelo partido da ex-líder Aung San Suu Kyi, da Liga Nacional para a Democracia.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

EUA. Casos de covid-19 podem ter sido subestimados em 60%

O número de casos de covid-19 nos Estados Unidos (EUA) pode ter sido subestimado em até 60%, com as infeções relatadas a representarem "apenas uma fração do número total estimado". Esta é a conclusão de um …

Portugal com mais seis mortes e 2316 novos casos de covid-19

Portugal registou, esta terça-feira, mais seis mortes e 2316 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 2316 novos …

Um quarto dos processos às companhias aéreas por falta de testes à covid já resultou em multas pagas

A Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) instaurou, entre 2020 e a semana passada, 539 processos a 40 companhias aéreas por transportarem passageiros para o território nacional sem o respetivo teste negativo à covid-19. Cerca …

Colômbia pede que a Venezuela seja declarada como país promotor do terrorismo

A Colômbia pediu esta segunda-feira aos EUA que declarem a Venezuela como país promotor do terrorismo por alegadamente "proteger" guerrilheiros colombianos do Exército de Libertação Nacional (ELN) e do Grupo Armado Residual (Gaor 33, composto …

Treze meses depois, Coreias voltam a falar ao telefone

As comunicações telefónicas estavam cortadas entre as duas Coreias desde junho de 2020, mas os dois países retomaram os contactos esta terça-feira. As duas Coreias retomaram esta terça-feira a comunicação telefónica 13 meses depois de ter …

Benfica: Kaio Jorge não quer jogar em Portugal (e alínea pode impedir saída)

Santos aceitou proposta vinda da Luz mas o jovem avançado prefere o campeonato italiano. E ainda há uma alínea no contrato que vai ser analisada. O Benfica apresentou uma proposta pela contratação de Kaio Jorge, com …

Quase 70% dos internados em UCI têm menos de 59 anos

Quase 70% dos doentes com covid-19 em unidades de cuidados intensivos (UCI) têm menos de 59 anos, revelou a Ordem dos Médicos, indicando que em enfermaria os doentes abaixo dessa faixa etária são cerca de …

Reunião no Infarmed. Especialistas propõem plano de quatro níveis (e a máscara cai no nível 2)

A sede da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), em Lisboa, voltou a acolher mais uma reunião de peritos esta terça-feira. Foi apresentada uma proposta de alteração da matriz de risco. Portugal não está em condições de …

Mais de 11.300 suspeitas de reações adversas às vacinas registadas em Portugal

Mais de 11.300 suspeitas de reações adversas às vacinas contra a covid-19 foram registadas em Portugal e houve 68 casos de morte comunicados em idosos, mas não está demonstrada a relação causa-efeito, segundo o Infarmed. De …

Incêndios "sem precedentes" devastam Sardenha

Condições climatéricas adversas e severas, como altas temperaturas e ventos fortes, estiveram na origem dos incêndios florestais que se registaram em vários países do sul do continente europeu, como Itália, Espanha, França ou Grécia. A ilha …