Militares americanos treinam guerra no espaço a pensar nos extraterrestres (e não só)

SSgt. Shawn Nickel / US Air Force

Angel Mendoza, especialista do exército dos EUA colocado no 527º Esquadrão / Space Aggressor

Angel Mendoza, especialista do exército dos EUA colocado no 527º Esquadrão Space Aggressor

O exército dos EUA tem militares de elite cuja missão diária é fazer de conta que são extraterrestres inimigos, durante cenas de batalha espaciais encenadas, para ajudar a preparar as forças do país para um possível futuro conflito.

As chefias militares e de Inteligência dos EUA acreditam que a ameaça extraterrestre é bem real, motivo pelo qual criaram dois esquadrões de elite, na Base da Força Aérea de Schriever, em Colorado Springs, no Colorado, para fazerem de “maus da fita”.

Chamam-se Space Aggressors, e o seu papel é fazer de conta que são o inimigo extra-terrestre – ou outro pior, explica o Capitão Christopher Barnes ao Seeker. “Somos maus da fita profissionais”, diz o militar.

“O nosso trabalho é não apenas perceber os diferentes tipos de ameaças e de inimigos potenciais, mas também ser capazes de os identificar e de copiar as suas técnicas para os bons rapazes, a nossa Força Aérea”, acrescenta o Capitão, que é líder da equipa de treino do Esquadrão Space Aggressor 26.

Estes Space Aggressors estão apetrechados com aparelhos de rádio e satélite de última geração e constituem uma resposta a um possível conflito com extraterrestres, mas são também uma reacção à alegada estratégia da Rússia e da China, que estão a desenvolver armas anti-satélite, conta o Seeker.

Assim, não é só uma questão de defesa contra visitantes indesejados do espaço, mas também uma forma de acautelar eventuais ameaças de russos e chineses.

“Estudamos ameaças ao domínio espacial, seja vindas do espaço de terra. Se não as pudermos replicar directamente com hardware, então procuramos descobrir se há uma solução de software ou alguma forma de treinarmos as pessoas ao ponto de lutarem contra ela, se tiverem que o fazer, num conflito”, explica ainda Barnes.

Barnes diz que “algumas pessoas pensam que o espaço é um calcanhar de Aquiles para os EUA”. Assim, “quanto melhor conseguirmos treinar as nossas gentes, melhor elas serão capazes de ir lá fora e de provar que, apesar da falta de um ou de outro recurso, as nossas forças no chão, em conjunto, ainda podem lutar e ganhar o dia”, conclui o militar.

A maior parte das operações dos Space Aggressors são secretas, mas o Seeker apurou que uma das técnicas treinadas é conhecida por “bloqueio de força bruta”, consistindo no envio de sinais poderosos, através de redes de satélites, para confundir a mensagem original.

O exército norte-americano estará ainda focado em treinar um cenário de não acesso ao espaço, nomeadamente numa perspectiva de possível perda das comunicações de satélite e dos dados de GPS, razão pela qual  procuram aperfeiçoar o uso de ferramentas alternativas como “sistemas de navegação por inércia” – e até… mapas e compassos.

ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. o que é que estes malucos sabem que nós desconhecemos ? Lá prás 6 vou beber uma minizinha e debruçar-me sobre esse assunto !

  2. Eles sabem perfeitamente da grande ameaça de seres extraterrestres ao nosso planeta, quando das eleições e da pirataria feita ao emails de Hillary Clinton, foi descoberta uma conversa entre um astronauta e ela em que ele dizia para ela contar ao mundo que estávamos á beira de um ataque por parte de extraterrestres ele insistia que o mundo tinha o direito de saber portanto eles sabem muito mais do que imaginamos, não dizem para não gerar pânico nas pessoas e porque é algo que poucos iam acreditar porque pensam ser surreal, mas eles existem e não me admira que um dia nos façam uma visita em larga escala

    • Grande ameaça são os extraterrestres de espectro vibratório negativo (reptilianos, draconianos) que nos têm governado nos bastidores por milhares de anos e que se mantém na sombra. Quem acha que governa a dita elite iluminati?Esses mesmos.E assim governam o mundo. Felizmente está tudo a ser descoberto pela Luz e muito em breve vai-se saber a verdade e poderá ser um choque para a população, por isso os mais conscientes têm que os ir preparando.
      A emissão da “Guerra dos Mundos” feita por Orson Wells foi um teste à população mundial. Adivinhe qual foi o resultado? Pânico e histeria. Daí resultou a melhor desculpa possível para não contar a verdade ao mundo, que ETs existem e que nos visitam desde há milhões de anos. Veja o que Corey Goode vem dizendo desde 2015 sobre o Programa Espacial Secreto e já agora o que está sendo descoberto na Antártida, restos de civilização com milhões de anos e a tecnologia que está sendo escondida e que poderia mudar o mundo para melhor instantaneamente! William Tompkins também é um dos que pode obter informação valiosa.
      Dos emails da Hillary e do Podesta ainda está para estalar o escândalo Pizzagate. Não leu sobre isso?
      FULL DISCLOSURE! Para o bem da Humanidade!

    • Caros Ana e Eu,
      Isso chama-se fobia. Quando atinge contornos de exagero deve ser tratada.
      Um dos mecanismos do nosso cérebro que nos tem ajudado a sobreviver ao longo dos milénios, consiste em imaginar cenários de ameaça que nos ficam a parecer mesmo reais. Na antiguidade isto servia para as pessoas imaginarem, por exemplo, as várias formas de como a tribo ou cidade vizinha nos poderia atacar ou roubar. Quando se tornava fobia dava mesmo origem a guerras, em geral sem razão. Ainda hoje é assim … mas vamos sendo mais evoluídos, tendo mais formação e em geral conseguimos controlar essas ideias.
      A fobia recorrente das invasões extraterrestres é, quanto a mim, sem fundamento e criada por esse mesmo mecanismo cerebral. Há várias ideias, provas ou estudos que deitam por terra essa fobia da invasão eminente, mas aqui não há espaço para as apresentar todas. Deixo algumas ideias:
      – Se nos visitam há milhares ou milhões de anos, porque só agora nos querem conquistar? Estão à espera que evoluamos mais??
      – Para quê essa invasão quando existem seguramente milhares de planetas habitáveis na galáxia, sem espécie inteligente que lhes possa fazer frente?
      – Para que iria uma civilização fazer o esforço gigantesco de enviar uma grande frota pelo espaço interestelar, o que consumiria grande parte dos seus recursos, a distâncias de vários anos-luz, tendo de ultrapassar a nuvem de gás de alta temperatura que rodeia o sistema solar num raio de vários anos luz (sim, pesquisem), além de outros perigos?
      Por favor não me digam que poderiam cá chegar cá facilmente através de buracos de verme (ou negros) ou saltos por outras dimensões ou viagem a velocidade superior à da luz, etc… tudo isto, mais do que ficção, é especulação cientifica. Aliás, se uma civilização tiver chegado a um grau de desenvolvimento que lhes permita viajar desta formas, para que invadiria a terra? Seguramente que não temos nada que lhes justifique o esforço. Estudar-nos sim, aceito que o possam fazer pontualmente e talvez com a mesma frieza com que nós tratamos as outras espécies do nosso planeta. Invadir-nos, não justificaria o esforço e seria certamente reprovável para uma espécie evoluída.

      • Fobia? Nunca! Desejando que eles se mostrem e que se saiba toda a verdade!
        Existem civilizações extraterrestres que querem o nosso bem e que nos assistem, não tenha dúvidas disso. Simplesmente os positivos não podem interferir sem a nossa permissão, temos livre arbítrio não se esqueça disso. Os negativos estão-se nas tintas para as cobranças kármicas, por isso interferem connosco, e muitas vezes nem você sabe que está a ser influenciado por eles. Porque insistem sempre que todas os extraterrestres querem o nosso mal^?!O Universo é permeado mais pelo bem do que pelo mal. A Luz ilumina sempre a escuridão.

  3. Só mesmo o pessoal que se julga o policia do planeta para achar que se existir uma raça extraterrestre, que consegue viajar no espaço até aqui vai ser derrotada por uns homosapiens que o mais longe que foram foi à lua.

    • Se vir o meu comentário acima, vai ver que não acredito muito que os ET venham cá para uma invasão. Quando muito podem vir pontualmente em expedições cientificas.
      No entanto, na eventualidade de uma invasão, aquilo que diz não é bem assim. É perfeitamente possível uma espécie estar muito avançada em viagens inter-estelares e pouco avançada nas tecnologias de matança com está o homo sapiens sapiens. Basta que sejam uma espécie pacifica.
      Nós andamos em guerras constantes desde sempre, no entanto só há 50 anos viajamos no espaço. Temos por isso as tecnologias de matança em desenvolvimento constante… quem sabe equivalentes a uma civilização ET que cá chegue.

RESPONDER

22 mil pessoas vão assistir (no estádio) ao Super Bowl

Um terço das pessoas presentes será composto por profissionais de saúde. Quatro equipas ainda na luta pelo título do campeonato principal de futebol americano. O dia 7 de fevereiro vai contar com uma "visão rara" nos …

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …