/

Milhares de pessoas que auto-agendaram vacinação ainda aguardam confirmação

1

Daniel Leal-Olivas / EPA

Já houve mais de meio milhão de inscrições no portal do auto-agendamento para a vacinação contra a covid-19. No entanto, a task force para o plano da vacinação admite que nem sempre é possível dar resposta em 72 horas e que o problema está a ser resolvido.

Desde que a possibilidade de auto-agendar a toma da vacina foi alargada às pessoas a partir dos 55 anos, na quinta-feira passada, há milhares de pessoas que se inscreveram mas que continuam sem resposta.

O portal do auto-agendamento, que foi desenvolvido pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), está a ser vítima do seu sucesso, escreve o jornal Público.

Desde que foi lançado, a 23 de abril, cerca de 510 mil pessoas (até esta terça-feira) solicitaram o agendamento, adianta a task force para o plano nacional de vacinação.

Inicialmente, o auto-agendamento apenas estava disponível para maiores de 65, mas entretanto já foi alargado aos maiores de 60 e de 55 anos. O que fez com que as inscrições disparassem.

Por este motivo, e de acordo com o Público, havia, no domingo passado, 368 mil pedidos e cerca de 100 mil pessoas estavam à espera de vaga.

Esta terça-feira, já foram agendados “cerca de 25 mil [cidadãos] que estavam em fila de espera”, disse a task-force, explicando que as marcações vão sendo feitas à medida que surgem datas disponíveis.

Os maiores de 60 anos que se inscreveram através deste portal já começaram a ser vacinados, mas, no caso dos maiores de 55, a operação apenas arranca a partir da próxima segunda-feira.

No portal, os cidadãos podem escolher o centro de vacinação em que pretendem ser inoculados e é-lhes apresentada a primeira data disponível.

“Se não houver uma data disponível em determinado ponto [centro], os utentes podem optar por escolher uma data disponível noutro local ou optar por ficar em lista de espera naquele ponto de vacinação”, recorda a task force.

“No caso dos utentes em lista de espera, a sua convocatória está sempre dependente da libertação de mais vagas pela desistência ou não elegibilidade de outros utentes”, acrescenta, admitindo que, apesar de a disponibilização de vagas “acontecer com regularidade”, o processo “pode demorar mais do que 72 horas”.

“Todos os outros utentes com vaga disponível terão recebido SMS de agendamento dentro deste prazo. Quando as pessoas não respondem às SMS, o que nalguns casos pontuais pode resultar de não a terem recebido, são contactadas telefonicamente para confirmar se pretendem ser vacinadas. Esse contacto telefónico ocorre antes da data prevista para vacinação, mas não necessariamente dentro do período de 72 horas”, especifica.

No entanto, há cidadãos que fizeram o pedido para datas que estavam disponíveis no portal no momento, mas que não receberam entretanto qualquer SMS de confirmação, no prazo máximo de 72 horas que está previsto na própria plataforma online

Isto porque o sistema tem uma capacidade de agendamento limitada, explica fonte da task force, que garante que as pessoas terão uma resposta atempada e pede que aguardem mais uns dias.

  Sofia Teixeira Santos, ZAP //

1 Comment

  1. Será do “sistema”, o eterno culpado de tudo de mau que acontece ou será simplesmente incompetência? Exemplo: no mesmo dia, na mesma hora, com um intervalo de poucos segundos, agendei no portal a data de vacinação de minha filha de 55 anos. 24 horas depois recebia o SMS a pedir confirmação, o que foi feito. O meu agendamento, foi previsto para 27 de Maio, sujeito a confirmação, mas até à data ainda não recebi o tal SMS a pedir confirmação. Tenho 75 anos. O que é que está mal no “sistema”?

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.