#MeToo: a hashtag que está a mostrar a magnitude do assédio sexual

Mais de 200 mil pessoas já partilharam a hashtag “Me too” (“eu também” em inglês) para mostrar a magnitude do assédio sexual, um problema que tem feito correr muita tinta nos últimos dias devido às denúncias contra Harvey Weinstein.

Desde o último sábado que apenas duas palavras estão a tomar conta das redes sociais e a ser partilhadas vezes sem conta, tanto por mulheres como homens: “Me too” (“eu também” em inglês), uma hashtag para mostrar o número de pessoas a nível mundial que já sofreu algum tipo de agressão sexual.

A iniciativa começou depois das denúncias contra um dos produtores mais conhecidos e influentes de Hollywood, Harvey Weinstein, que já foi despedido da sua própria empresa e entretanto expulso da Academia de Cinema.

O produtor, a quem Meryl Streep chegou a chamar “Deus”, foi acusado de violação e assédio sexual por mais de duas dezenas de mulheres, incluindo as famosas atrizes Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow e Rose McGowan.

Desde que estas acusações vieram a público, várias personalidades usaram as redes sociais para falar sobre o assunto, algumas acabando por detalhar o assédio que sofreram.

A hashtag já foi usada mais de 200 mil vezes. O termo ganhou ainda mais força depois de a atriz norte-americana Alyssa Milano ter pedido às vítimas de assédio sexual que se pronunciassem, numa demonstração de solidariedade.

Várias celebridades responderam ao apelo, desde personalidades do cinema à música, entre as quais Debra Messing, Anna Paquin, Lady Gaga e Monica Lewinsky. Milhares de outros utilizadores não conhecidos partilharam as suas histórias.

No Twitter, uma mulher, que decidiu manter o anonimato, escreveu: “Tinha 19 anos. Ele encheu-me de álcool, forçou um beijo com língua e tocou nos meus seios. Na altura, culpei-me por estar bêbada. #MeToo”, pode ler-se.

Mas nem só de mulheres se faz esta onda para mostrar a magnitude mundial do problema. Homens e transexuais também já expressaram o seu apoio como, por exemplo, o ator e cantor Javier Munoz.

A utilizadora Cortney Anne Budney chegou mesmo a destacar isso: “O ‘Me Too’ também serve para os homens. Não nos podemos esquecer dos homens e dos rapazes. O ‘Me Too’ deles é igualmente importante e frequentemente encoberto“.

Para o escritor Charles Clymer, que foi vítima de violação, embora os dois géneros sofram abuso, “há um componente misógino específico na cultura da violação”. “Faz sentido perder tempo para destacar especificamente a misoginia e amplificar a voz das mulheres”.

ZAP // BBC

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Concordo.
    O problema é que depois aparece um maluco que ataca as mulheres por esta atitudes parvas e idiotas de meia dúzia de anormais, levando a que as “verdadeiras” mulheres, que não se identificam com estas palermices, acabam também por sofrer.

  2. Alves, lamento porque provavelmente estava a responder a um comentário que eu postei aqui por engano mas que se reportava a outra notícia da estudante que tirou selfies na Holanda para expor os assediantes.

    Claro que tudo o seja abusivo, como apalpar uma mulher ou assédio físico em geral, insultar, chamar nomes obscenos, perseguir, agredir, enfim… Tudo o que a lei já consagra como ilegal e que no fundo exprime desrespeito pela integridade física e moral de alguém (e aqui ressalvo que isto se aplica a qualquer sexo), claro que isso não deve ser admitido.

    Agora, estaríamos mal se bastasse uma mulher escrever “me too” para isso contar como estatística comprovada e factual de alguma forma de assédio. Foi como aquela história há quase um ano de um casalinho bêbedo que se andou a “comer” numa festa académica à frente de toda a gente… E depois queriam as feministas todas que o gajo fosse acusado de abuso sexual. Epá, eu também gosto imenso que me dêem dinheiro mas assim também já é fácil demais!

    Tudo o que for abusive realmente, é punível por lei… MAs não basta agora vir prá praça pública dizer que se é vítima. Se isso não basta nos outros crimes, com as mulheres também não tem nada que ser diferente… Porque sendo oser humano oportunista como é (é a mulher não é em nada menos manipuladora do que o homem) as falsas acusações passariam num instante a ser a norma.

RESPONDER

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …

Dia da Defesa Nacional regressa ao formato presencial a 2 de setembro

O Dia da Defesa Nacional, que está suspenso desde o dia 9 de março devido à pandemia de covid-19, irá regressar ao formato presencial a 2 de setembro, anunciou o Governo esta quarta-feira. Em comunicado, o …

Norte-americano detido depois de usar fundos da covid-19 para comprar um Lamborghini

As autoridades dos Estados Unidos detiveram um empresário que comprou um carro de luxo da marca Lamborghini com dinheiro que recebeu de programas federais para ajudar os afetados pelo novo coronavírus (covid-19). A notícia é …

FC Porto e Benfica disputam Supertaça a 23 de dezembro

O jogo da Supertaça, que vai opor o FC Porto ao Benfica e que deveria a abrir a temporada 2020/21, vai disputar-se a 23 de dezembro, anunciou, esta quarta-feira, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Em …