O metano na atmosfera está a aumentar (e os cientistas estão preocupados)

Os cientistas gostam de mistério e têm um novo enigma por resolver – e envolve metano, um gás de efeito de estufa potente.

Há vinte anos, o nível de metano na atmosfera parou de aumentar, dando à humanidade uma pequena folga no que se tratava de desacelerar a mudança climática. Mas a concentração começou a subir novamente em 2007 – e está a aumentar o ritmo nos últimos quatro anos, de acordo com um novo estudo.

Os cientistas ainda não descobriram a causa, mas dizem que uma coisa é clara: este aumento poderia colocar em risco o acordo climático de Paris. Isto porque muitos cenários para atingir os objetivos assumiram que o metano estaria a cair agora, ganhando tempo para enfrentar o desafio de longo prazo de reduzir as emissões de dióxido de carbono.

“Eu não quero correr e chorar mas é algo que é muito preocupante”, disse Euan Nisbet, cientista na Royal Holloway, Universidade de Londres.

O metano é produzido quando o material morto se decompõe sem muito oxigénio. Na natureza, escoa de zonas húmidas alagadas, pântanos e sedimentos. Os incêndios florestais também produzem algum metano.

Hoje em dia, no entanto, as atividades humanas produzem cerca de metade de todas as emissões de metano. Derrames de operações com combustíveis fósseis são uma grande fonte, assim como a agricultura – especialmente a criação de gado, que produz metano nas suas entranhas. Até os montes de lixo que apodrecem nos aterros produzem o gás.

A atmosfera contêm muito menos metano do que dióxido de carbono. Mas o metano consegue capturar mais calor e uma tonelada de gás causa 32 vezes mais aquecimento do que uma tonelada de CO2 ao longo de um século. Molécula a molécula, o metano “causa um impacto maior”, disse Debra Wunch, física atmosférica da Universidade de Toronto.

Durante dez mil anos, a concentração de metano na atmosfera ficou abaixo de 750 partes por mil milhões (ppb). Começou a subir no século XIX e continuou a subir até meados dos anos 90. Ao longo do caminho, causou até um terço do aquecimento que o planeta experimentou desde o início da Revolução Industrial.

Os cientistas acreditavam que os níveis de metano podem ter atingido um novo equilíbrio e que os esforços para reduzir as emissões poderão reverter a tendência histórica. “A esperança era de que o metano estivesse a começar a sua trajetória para baixo”, disse Matt Rigby, cientista da Universidade de Bristol, na Inglaterra. “Mas vimos exatamente o oposto: está a crescer constantemente há mais de uma década.”

Os cientistas apresentaram várias explicações. Poderiam estar a crescer as emissões de combustíveis fósseis ou a agricultura? Um aumento na produção de metano em áreas húmidas? Mudanças na taxa em que o metano reage com produtos químicos na atmosfera?

Nisbet e a sua equipa examinaram se alguma destas hipóteses se sincronizava com a mudança na assinatura química do metano na atmosfera. Algumas moléculas de metano pesam mais que outras, porque alguns átomos de carbono e hidrogénio são mais pesados ​​que outros. O peso médio do metano na atmosfera está a ficar mais leve.

Isto parece implicar fontes biológicas, como zonas húmidas e gado, que tendem a produzir metano leve. Daniel Jacob, um químico atmosférico de Harvard, disse que a explicação se enquadra na sua própria investigação. Os resultados sugerem que a maior parte do metano vem dos trópicos, que abrigam vastas áreas húmidas e uma grande proporção do gado.

Estimativas de emissões de minas de carvão e poços de petróleo e gás sugerem que as contribuições de combustíveis fósseis também estão a aumentar, mas essas fontes geralmente libertam moléculas mais pesadas de metano, o que entra em conflito com as observações atmosféricas.

Os incêndios criam uma versão ainda mais pesada do metano e a queima agrícola – particularmente nos países em desenvolvimento – parece ter diminuído. Uma queda nessa fonte de metano ultra-pesado tornaria o metano atmosférico mais leve mascarando um aumento nas emissões de combustíveis fósseis.

Nisbet e os colegas concluíram que não podem descartar nenhuma das explicações. “Podem estar todos a acontecer”, disse.

Os cientistas temiam que o descongelamento de sedimentos e solos árticos pudesse libertar grandes quantidades de metano, mas até agora não há provas disso. Nisbet disse que teme que o aumento dos níveis de metano possa ser um sinal de um ciclo perigoso: a mudança climática pode fazer com que as zonas húmidas se expandam e permitam que o meio ambiente sustente mais animais, levando a ainda mais emissões de metano. “Parece claramente que o aquecimento está a alimentar o aquecimento”, disse.

Se o metano continuar a aumentar, os investigadores dizem que poderia comprometer seriamente os esforços para manter a temperatura do planeta sob controlo. Reduzir as emissões de CO2 para atingir as metas climáticas é uma tarefa difícil, mesmo sem o metano extra.

ZAP // Phys

 

PARTILHAR

RESPONDER

Após injetar chá de cogumelos, homem começou a desenvolver fungo no sangue

Um homem preparou um chá de "cogumelos mágicos" e decidiu injetá-lo no corpo. Vários dias depois, acabou nas urgências devido ao crescimento de um fungo na sua circulação sanguínea. De acordo com o Live Science, o …

Ministro da Economia testa positivo ao novo coronavírus

O ministro da Economia e do Estado, Pedro Siza Vieira, testou positivo ao novo coronavírus que causa a covid-19, anunciou o ministério que tutela.  Em comunicado citado pelo jornal digital Observador, o ministério da Economia refere …

"Reis do esperma". Homens vendem e doam espermatozóides nas redes sociais (e a procura é surreal)

São muitos os norte-americanos que têm vendido ou doado o seu esperma nas redes sociais. A procura pelo material tem sido cada vez maior, e os bancos não estão a dar conta desta nova realidade, …

Sporting 2-1 FC Porto | Jovane Cabral entra para virar resultado e levar Sporting à final

O suplente Jovane Cabral ‘bisou’ esta terça-feira na vitória do Sporting frente ao FC Porto, por 2-1, em Leiria, consumando a reviravolta no clássico das meias-finais da Taça da Liga de futebol, depois de Marega …

Entrevista: "Amigos meus falam em dar um tiro na cabeça. Eu espero não fechar, mas..."

As novas medidas de confinamento estão quase a entrar em vigor e vão afetar muito a restauração. Contactámos o proprietário de um dos cafés mais conhecidos no Porto. 38 anos depois de ter começado a …

Escutas, cartas e chantagens. Como o FBI tentou minar reputação de Martin Luther King

Desde a Marcha sobre Washington por Trabalho e Liberdade em 1963 até aos seu assassinato em 1968, o FBI lançou-se numa intensa campanha para desacreditar Martin Luther King Jr., de acordo com o novo documentário …

Costa anunciou campanha de testes rápidos já esta quarta-feira. Escolas dizem nada saber

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou esta terça-feira, no Parlamento, que arrancará esta quarta-feira uma campanha de testes rápidos nas escolas, mas as instituições de ensino dizem nada saber sobre a iniciativa. O líder do Executivo …

Tando: O drone projetado para ser um segurança voador

Drones voadores já são usados para patrulhar áreas externas, mas não ambientes internos onde o GPS não funciona. Isto pode estar prestes a mudar com o lançamento do sistema Tando. Desenvolvido pela startup israelita Indoor Robotics, …

Jorge Jesus com sintomas de covid-19

O treinador do Benfica, Jorge Jesus, também está a apresentar sintomas da covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. A notícia foi avançada pelo desportivo O Jogo, que dá conta que em causa está uma …

Polícia recupera cópia roubada de "Salvator Mundi" de Leonardo da Vinci, a pintura mais cara do mundo

Uma cópia do século XVI do "Salvator Mundi" de Leonardo da Vinci, a pintura mais cara do mundo, foi recuperada pela polícia depois de ter sido roubada de um museu em Nápoles, em Itália. A obra, …