Metade das construtoras já despediu devido a atrasos de pagamento do Estado

ABr

-

Quase metade das empresas de construção em Portugal já despediu trabalhadores para contornar os problemas financeiros resultantes dos atrasos nos pagamentos do setor público, que atingem os cinco meses.

Segundo as conclusões de um relatório com base no índice de pagamento europeu da Intrum Justitia 2014, 48% das empresas de construção inquiridas em Portugal “teve de despedir trabalhadores” devido à demora nos pagamentos por parte do Estado que, no setor, atinge os 149 dias.

Além da construção, surgem os setores dos media, utilities (como eletricidade e gás) e os serviços empresariais como os mais afetados pelos atrasos nos pagamentos, sendo que nas empresas de media estes chegam aos 144 dias, nas de serviços financeiros aos 137 dias e nas de utilities aos 93 dias.

Como resultado, 40% das empresas de serviços financeiros e 38% das empresas de serviços empresariais afirmam que tiveram de despedir trabalhadores para equilibrar as contas.

A nível europeu, a duração média de pagamento é de 58 dias, sendo as empresas de construção “as que mais sofrem com atrasos ou falta de pagamentos”.

De acordo com o white paper da Intrum Justitia, 53% das empresas europeias afirmam que estes atrasos têm “um grande impacto no risco de negócio da empresa” e 64% defendem que o não pagamento ou a demora em fazê-lo “impedem o seu crescimento”.

Revelando uma “forte correlação entre empregos e os atrasos de pagamentos”, o estudo destaca o impacto particularmente negativo nos setores da construção, educação e saúde, que “reconhecem que os atrasos nos pagamentos estão a ter um impacto negativo na sua capacidade de manter ou empregar pessoas”.

Metade das empresas de construção e do setor da educação na Europa referiram que, devido aos atrasos nos pagamentos, tiveram de cessar a contratação de novos colaboradores e “um número significativo” de empresas afirmou que este problema originou despedimentos (39% nas empresas de construção e 45% nas empresas do setor da educação).

“Numa situação ainda mais grave está o setor da saúde, igualmente dependente do setor público e que sofre com os atrasos de pagamento mais do que qualquer outro negócio, com um tempo médio de atraso de pagamento de 71 dias na Europa”, refere-se no relatório.

No caso da indústria da construção, a nível europeu apenas 51% das faturas são liquidadas no prazo de 30 dias, enquanto no setor da saúde só 59% das faturas são pagas no prazo de um mês.

“Estes setores dependem largamente do setor público, que paga mais tarde do que as empresas privadas e do que os consumidores. Acreditamos que esta é a principal causa dos problemas de liquidez nestes setores de atividade”, afirmou à agência Lusa o diretor geral da Intrum Justitia, Luís Salvaterra.

Segundo salientou, “na Europa a duração média de pagamento no setor público é de 58 dias, enquanto as empresas privadas pagam após 47 dias, em média, e os consumidores após 34 dias”.

Com os atrasos nos pagamentos a subirem atualmente “para níveis recorde”, a Intrum Justitia destaca as implicações diretas nos números do emprego e do investimento: “O nosso estudo conclui, por exemplo, que 40% dos empresários não prevê contratar novos funcionários nem fazer qualquer investimento em investigação e desenvolvimento”, refere Luis Salvaterra.

Como boa notícia, o diretor geral aponta o facto de os atrasos de pagamento estarem agora “na lista de prioridades dos governantes devido à introdução da diretiva relativa aos atrasos”.

“Espero ver resultados positivos a partir de agora, com a implementação da diretiva europeia em todos os países, de modo a contrariar os atuais números de desemprego nestes setores duramente afetados. A sua implementação é vital para o sucesso das empresas na Europa”, sustenta.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Marega quebrou as regras e não volta a jogar pelo FC Porto

Depois de interagir com o Al Hilal, o seu novo clube, nas redes sociais, Moussa Marega não deverá voltar a jogar ao serviço do FC Porto, por ordem de Sérgio Conceição. É certo que falta apenas …

Os processos foram separados, mas Salgado e Vara serão julgados pelos mesmos juízes

Nos dois julgamentos que resultaram da separação de processos decidida por Ivo Rosa, Salgado e Armando Vara serão julgados pelo mesmo coletivo de juízes, apesar da distribuição ter sido eletrónica. Segundo avança o ECO, Ricardo Salgado …

Afinal, jogos da última jornada não vão ter público nas bancadas

A direção da Liga Portugal comunicou, esta segunda-feira, que, afinal, os jogos da última jornada da Liga NOS não vão ter público nas bancadas, como chegou a ser anunciado. "A Direção da Liga Portugal reuniu-se na …

Antes do pedido de insolvência, Groundforce pediu dinheiro à TAP para pagar salários

A Groundforce alertou a TAP de que não tinha dinheiro para os salários e precisava de receber pagamentos da companhia aérea imediatamente antes de o pedido de insolvência ter sido feito. Segundo o ECO, numa carta …

Sporting quer aumentar salário para segurar Pote em Alvalade

O Sporting quer renovar o contrato de Pedro Gonçalves para segurar o médio, pelo menos, mais uma época em Alvalade. Pote pode passar a receber 1,4 milhões de euros brutos por ano. Pedro Gonçalves é um …

Bloco de Esquerda. Moção da atual liderança elege 68,4% dos delegados à Convenção Nacional

A Moção A - "Sair da Crise, Lutar contra a Desigualdade", conseguiu eleger 232 dos 339 delegados totais à XII Convenção Nacional do Bloco de Esquerda. Os apoiantes do Bloco de Esquerda elegeram, entre sexta-feira e …

Ordens do médico. A Peste Negra mudou os hábitos de beber álcool

O projeto Intoxicating Spaces tem explorado a forma como as pandemias influenciaram o uso de intoxicantes, incluindo padrões de consumo de álcool, no passado. As mortes por álcool na Inglaterra e no País de Gales em …

Crónica ZAP - Linha de Fundo por Teófilo Fernando

Linha de Fundo: Leão domável e jackpot para o dragão

A primeira derrota do campeão Sporting. Dragão enche o cofre. As frases e números da semana. Visto da Linha de Fundo. Salvar a honra SL Benfica (Seferovic 12' e 49' g.p., Pizzi 29', Lucas Veríssimo 37') …

Leão está mais otimista (e acredita que PIB vai crescer acima da meta)

O ministro das Finanças, João Leão, está mais confiante numa subida do PIB acima da de 4%, prevista no Programa de Estabilidade para este ano. João Leão acredita que o Produto Interno Bruto (PIB) vai …

Reino Unido inicia nova etapa de desconfinamento com viagens para Portugal

O Reino Unido inicia hoje uma nova etapa do plano de desconfinamento, incluindo autorização para viajar de férias para o estrangeiro, mas apenas alguns países, entre os quais Portugal, permitem a entrada a britânicos. Dos 12 …