Mergulhador canadiano encontrou bomba nuclear Fat Man desaparecida na Guerra Fria

US Government / Wikimedia

A bomba nuclear Mark IV, dos EUA

A bomba nuclear Mark IV, dos EUA

O mergulhador canadiano Sean Smyrichinsky estava à procura de peixes no arquipélago Haida Gwaii, quando “tropeçou” no que diz ser a bomba nuclear que desapareceu quando um bombardeiro americano se despenhou durante a Guerra Fria.

“Queria fazer um reconhecimento para o dia seguinte, afastei-me bastante do meu barco e depois encontrei algo que nunca tinha visto antes“, disse Smyrichinsky ao The Guardian.

O objeto media cerca de 3,6 metros e, quando o mergulhador o viu pela primeira vez, pensou que era um OVNI.

Sean Smyrichinsky tentou descrever o objeto à sua tripulação e até elaborou um desenho num guardanapo. “Ninguém tinha ouvido falar do objeto. Mas, depois, um veterano disse: Se calhar encontraste aquela bomba nuclear que se perdeu em 1950”, afirmou.

Tratava-se de uma referência à Mark IV Fat Man, uma bomba nuclear de 10 metros, que pesava cerca de cinco toneladas e que desapareceu no Pacífico durante um voo de treino de um bombardeiro B-36 da força aérea norte-americana, no dia 13 de fevereiro de 1950.

O major Steve Neta das Forças Armadas do Canadá confirmou que a localização do objeto encontrado por Smyrichinsky coincide com o local do acidente que ocorreu durante a Guerra Fria.

Segundo Neta, a bomba perdida deverá ser uma cápsula manequim – equipada com chumbo em vez de plutónio – portanto há poucas probabilidades de ser uma arma nuclear.

“No entanto, queremos ter certeza e queremos investigar mais”, destacou o major.

Sean Smyrichinsky revelou a sua descoberta ao Departamento de Defesa Nacional do Canadá, que revelou que o assunto será investigado “com muito interesse”.

As autoridades canadianas e americanas vão enviar patrulhas navais para o local e indicam que, se realmente for a bomba nuclear em questão, não deverá estar ativa.

BZR, ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

"A situação está caótica": Hospital de Penafiel com vários profissionais infetados

Colaboradores de vários grupos profissionais do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, em Penafiel, estão infetados com o novo coronavírus, disse esta terça-feira a administração daquela unidade, sem precisar o número de casos. "Tal como em …

"Santo Graal". Cientistas criam o primeiro supercondutor a temperatura ambiente do mundo

Uma equipa de físicos criou o primeiro material capaz de supercondutividade em temperatura ambiente, desenvolvendo um processo que pode ajudar a "quebrar barreiras e abrir a porta a muitas potenciais aplicações". Desde a sua descoberta, há …

Planetas parecidos com a Terra costumam ter "guarda-costas"

Um grupo internacional de astrónomos, liderado por Martin Schlecker do Instituto Max Planck para Astronomia, descobriu que o arranjo de planetas rochosos, gasosos e gelados nos sistemas planetários aparentemente não é aleatório e depende apenas …

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …