Anúncios no Facebook e ursos de peluche. Merchandising é o cavalo de Tróia dos políticos americanos

Desde anúncios no Facebook a vários produtos de merchandising, várias empresas estão a gastar centenas de milhares de dólares, sem necessitarem de revelar quem financia esta atividade.

Empresas estão a gastar centenas de milhares de dólares em anúncios no Facebook, servindo de campanha gratuita para os partidos políticos, sem a necessidade de revelarem quem realmente está a financiar estas operações.

E não é só em publicidade no Facebook que se verifica esta situação. Este é também o caso do ursinho de peluche “Trumpy Bear“, relativo ao presidente norte-americano Donald Trump. O produto foi divulgado em vários canais de televisão dos Estados Unidos e tornou-se viral no país.

De acordo com o Snopes, “embora as notícias mostrem que o Trumpy Bear é a invenção de uma mulher de Nova Jérsia, vendida por uma empresa de marketing de Dallas, os seus criadores não são obrigados a divulgar os seus investidores“.

No entanto, apesar da aparente inocência deste urso de peluche, há um problema maior que se esconde por detrás. Agências de notícias e empresas estão a gastar milhões de dólares ao todo em anúncios e produtos com mensagens políticas sem precisarem de informar quem é o verdadeiro mecenas que os financia.

A investigação do OZY detetou um padrão nos maiores gastos em anúncios com mensagens políticas no Facebook. Vários políticos como Donald Trump, Tom Steyer, Kirsten Gillibrand e Bernie Sanders lideram nesta área, mas há outras entidades que se destacam nesta lista de gastos.

Embora se assuma como apartidário, o “The Epoch Times”, um jornal nova-iorquino, gastou mais de 750 mil dólares em anúncios que elogiavam Donald Trump e criticavam os democratas. O editor do jornal defende que “o Epoch Times não recebeu fundos de nenhum partido político ou candidato para anúncios da campanha aparecerem no Facebook”.

O retalhista “OuterGoods” também gastou cerca de 700 mil a divulgar chapéus e t-shirts da campanha Trump 2020. Estes são apenas dois casos de um universo maior.

Para se ter noção da dimensão destes investimentos, é necessário comparar com o dinheiro gasto por alguns políticos democratas. Por exemplo, Kamala Harris (360 mil dólares) e Beto O’Rourke (283 mil dólares) juntos não conseguem superar a quantidade investida por nenhuma das duas empresas mencionadas anteriormente.

O fenómeno tem-se verificado principalmente à direita, mas os especialistas calculam que já na campanha para as eleições norte-americanas que se aproximam, também a ala esquerda vai começar a optar por uma estratégia semelhante.

Isto pode levar a que milionários invistam milhões em empresas com fins lucrativos e apoiem as suas causas através da venda de produtos de merchandising com mensagens políticas, tal como o Trump Bear.

“Se eu sou um doador, posso matar dois coelhos com uma cajadada só: vendo merchandising e ajudo a divulgar a mensagem política do candidato que apoio”, explica Matt Compton, advogado contactado pelo OZY.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Uma das praias mais famosas da Austrália está a desaparecer (e desta vez a culpa não é das tempestades)

https://vimeo.com/444063224 Normalmente, as tempestades ou os ciclones tropicais são os culpados do desaparecimento de grande parte das praias. Contudo, na costa norte de New South Wales em Byron Bay, na Austrália, a causa é outra. Nos últimos …

Prisão preventiva para hacker português suspeito de invadir sistema do tribunal eleitoral do Brasil

O hacker suspeito de invadir o sistema informático do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil, detido no sábado em Portugal, ficou esta segunda-feira em prisão preventiva, disse à agência Lusa fonte ligada ao processo. A PJ, …

Chefe do Governo Hong Kong revela ter "pilhas de dinheiro" em casa por causa das sanções norte-americanas

A chefe do Governo de Hong Kong, Carrie Lam, revelou esta semana ter "pilhas de dinheiro" em casa por causa das sanções norte-americanas. Em declarações à International Business Channel, a líder do Executivo de Hong Kong …

António Mexia e Manso Neto vão deixar gestão da EDP

Os presidentes executivos da EDP e da EDP Renováveis, António Mexia e Manso Neto, ambos suspensos de funções, manifestaram-se indisponíveis para voltar a integrar os órgãos sociais do grupo num novo mandato. Em comunicado à Comissão …

João Ferreira desafia Marcelo a assumir candidatura "o quanto antes"

  João Ferreira, candidato comunista às presidenciais, acredita, como os "todos" os portugueses, que Marcelo Rebelo de Sousa será recandidato, mas desafiou-o esta segunda-feira a dizê-lo "quanto antes", por "uma questão de transparência". “Já todos perceberam o …

Irão. Líder Supremo pede punição pela morte de cientista que liderou programa nuclear

O líder supremo do Irão, o Ayatollah Ali Khamenei, exigiu no sábado punição pela morte do cientista Mohsen Fakhrizadeh, que liderou o programa nuclear de Teerão, enquanto a República Islâmica culpa Israel pelo assassinato. Israel, há muito …

Portugal é o país da UE mais próximo de atingir metas climáticas para 2030

Portugal é o país da União Europeia (UE) mais perto de atingir as suas metas climáticas de redução de emissões até 2030, relativamente aos níveis de 2005, segundo um relatório esta segunda-feira publicado pela Comissão …

Novos casos aumentam mais de 50% em oito concelhos do Norte

O número de novos casos de infeção no Norte aumentou mais de 50% em oito concelhos da região, seis dos quais no distrito de Vila Real e dois em Bragança, segundo o relatório da Administração …

União Europeia convida Joe Biden para cimeira presencial durante presidência portuguesa em 2021

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, convidou o Presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, para uma cimeira presencial no primeiro semestre de 2021, durante a presidência portuguesa da União Europeia. Fontes europeias informaram que …

Maior controlo nas fronteiras não foi eficaz para conter o vírus, diz Cabrita

O ministro da Administração Interna considerou esta segunda-feira que o maior controlo nas fronteiras internas do espaço Schengen, durante os primeiros meses da pandemia, não foi eficaz para conter o novo coronavírus. “Ao nível das fronteiras …