/

“Mercadona funciona como uma seita”. Trabalhadores denunciam perseguições e cultura de medo

37

A Mercadona está a ser acusada de funcionar como “uma seita”, instalando o medo e exercendo assédio moral sobre os trabalhadores. “Há um ambiente hostil e de perseguição”, onde quem “fala” é obrigado a sair, “a bem ou a mal”.

Uma semana depois de o ZAP ter noticiado que a rede de supermercados Mercadona é a preferida dos portugueses que fazem compras fisicamente, a RTP tornou públicos vários casos de desrespeito pelos trabalhadores, dentro da empresa.

A Mercadona chegou a Portugal em 2019. Desde então, abriu 48 lojas e emprega mais de 5000 pessoas. Mas, apesar da preferência dos consumidores e da fama de “pagar bem aos funcionários”, nem tudo parece funcionar conforme a lei.

No programa de investigação “A Prova dos Factos”, esta sexta-feira, trabalhadores e ex-trabalhadores juntarem-se para denunciar situações de abusos, coação, assédio moral e pressão, vividas na primeira pessoa.

“Desde a parte da formação, que é feita em Espanha, que querem tornar-nos a todos iguais, quase como se fosse uma seita“, descreveu uma ex-trabalhadora, que conta ter sido vítima de pressão para rescindir contrato, quando lhe foi diagnosticada uma doença oncológica.

“Ia meter baixa para fazer a cirurgia e estar o menos tempo possível fora da empresa (…) e, pura e simplesmente, poucas horas antes de sair, fui chamada aos escritórios com um acordo de rescisão para assinar”, expôs.

O ambiente é descrito, pelos entrevistados, como “hostil, de perseguição e controlo”, onde quem “fala” é obrigado a sair, “a bem ou a mal”.

“A empresa faz uma pressão e um assédio aos trabalhadores que nunca tinha visto. É quase diário“, expôs à RTP, Marisa Ribeiro, do Sindicato Trabalhadores do Comércio e Serviços.

Em abril, a CGTP (Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses) já tinha denunciado “perseguições” da Mercadona aos seus trabalhadores, e o assédio moral  sobre a forma de pressão, intimidação e coação, “com objetivo de que o trabalhador se demita”.

“Na loja das Caldas da Rainha uma trabalhadora que decidiu, e bem, exigir os seus direitos e não aceitar a rescisão de contrato, foi alvo de um processo disciplinar e de uma ordem de transferência para uma loja a 180 quilómetros da sua residência”, pode ler-se.

A Mercadona nega as acusações, embora tenha admitido, à RTP, que tem margem de melhoria em muitas das suas políticas.

ZAP //

37 Comments

  1. É boicotar esta empresa vil…
    Quando perceberem que os clientes não aceitam essas atitudes, mudam logo de política, logo, logo!

  2. Estão a desbaratar a simpatia que os portugueses lhe conferiram, convencidos que a filosofia era diferente das restantes distribuidoras. Já não bastava o Pingo Doce com a sua arrogância, e tinham de vir estes artistas com a mesma política. Rua com eles , já cá temos canalha que chegue.

  3. Nas cadeias de grande distribuição , a politica das Empresas , funcionam com estas mesmas “Leis” , este tipo de “Ditadura” não é a exclusividade desta ! …..

  4. Sinceramente, seria grave o que se relata, se apresentassem mais factos e mais concretos, mas na verdade fiquei a saber o mesmo, exceto que um ou outro trabalhador teve problemas com a respetiva entidade patronal, ou seja, mais do mesmo quando se trata das relações da grande distribuição com os seus funcionários e vice versa, nada que não acontece nos Pingos Doces e Continentes desta vida.

  5. É vergonhoso . .ser denunciante ę importante em caso de observação suspeita..
    Por mim Podem voltar de novo para lá da fronteira que não fazem cá falta nenhuma.. .

  6. Para mim acabou agora… jamais compro nestes bichos… eu sei bem o que isto é…. já o senti na pele na CARRIS, onde estive 2 anos no celebre “CORREDOR DA MORTE… sem trabalho, sem secretaria, sem cadeira e constantemente vigiado pelos graxas/bufos, isto em 2006.
    Por isso mercadona, para mim já foste.

  7. Acham que no continente e pingo doce não é igual? Estão muito enganados.
    Aí é que conseguem silenciar as pessoas, ou quando as mesmas falam ao público é desvalorizado.
    Sei porque falo com experiência em primeira mão que queriam que no dia seguinte me deslocasse para uma loja a 300km de distância.
    Pressões, chamadas todos os dias a todas as horas do dia, gritos, ameaças, o pão nosso de cada dia.
    O problema está dos grandes cargos que fazem isto às pequenas gestões de loja sem qualquer poder e aos colegas das secções, reposição e caixa.

  8. Está notícia só interessa aos concorrentes não acredito na plenitude dou 50% de razão a ambas as partes o tempo virá provar que lado está a razão na praca não se fazem julgamentos antecipados a inveja é má conselheira aguardo com serenidade os actos factuais inerentes a esta situação

  9. Já existe discriminação no processo de contratação . Não é possível que um cidadão como + de 50 anos tenha os mesmos direitos e oportunidades nesta empresa “Mercadona”. O “defeito” não é falta de experiência, nem habilitações literárias , pois até comentam que tem formação que ultrapassa o requerido. è mesmo a idade apesar de não ser confirmado.
    Falando então de pressões e ditadura, faz parte da política desta empresa. Foi só levantar o véu, esperem, esperem pelo desenvolvimento.

    Luis

  10. Li aqui, que um trabalhador foi “convidado” a aceitar uma transferencia de 300Km.!
    Teria sido mais esclarecedor de em vez escrever 300Km, escrevesse de onde para onde seria transferido.
    Nao conheco a Mercadona nem vivo em Portugal. Mas tambem nao “engulo” qualquer exagero.

  11. É do conhecimento global, que o grupo Auchan, continua a laborar na Rússia.
    Mais um que os consumidores deveriam de deixar de comprar para não serem cúmplices de uma empresa que aprova a barbárie na Ucrânia.

  12. Os portugueses podem acabar com essa arrogância de uma empresa estrangeira que entra no mercado nacional para fazer de seus colaboradores verdadeiros escravos e sem qualquer direito a reinvindicação do que as leis lhes permite, Deixem os produtos nas prateleiras e suas lojas vazias, quando verem as contas no vermelho, logo irão mudar sua postura.

  13. De uma forma geral esta situação acontece em todas as empresas de distribuição, acredito que existam situações de injustiça e chefias imbecis que se julgam com poder para abusarem da sua posição mas, também acredito que existam muitos colaboradores que sem empenho, sem espírito de sacrifício, sem responsabilidade profissional tentem dificultar o bom desempenho do grupo de trabalho e todos sabemos que estás coisas acontecem por isso existem instituições que têm a responsabilidade de investigar e julgar estas acções. Não me faz falta nenhuma esta companhia, felizmente não faltam lojas onde podemos adquirir os produtos que pretendemos por isso sempre que aconteçam estas atitudes de arrogância ou de perseguição deve ser apresentada queixa.

  14. Querem melhores ordenados e querem produtos de melhor qualidade e baixo preço e depois queixam-se. Sol na eira e chuva no nabal, não é? E com a chancela da CGTP , a verdadeira seita, está tudo dito!

  15. Meu chefe disse a seguinte frase “deixe de ir à casa de banho, pois assim conseguirá produzir mais”.

    O ordenado que parece ser dos melhores na verdade é o salário base 971€ + subsídio de férias 81€ + subsídio de natal 81€ + subsídio de alimentação 132€ (duodécimos pagos mensal).

  16. Começa o Rok e a amiga a discutir, cada um com a sua opinião e ninguém se entende. Isto não é preciso virem as empresas de fora com estas más práticas. Cá já as temos de sobra e há décadas! Quem é o empresário, vulgo patrão, que, salvo raras exceções, tem nas suas prioridades a componente social dos trabalhadores, agora com nome pomposo de colaboradores? Para que conste um colaborador seja de que área fôr é somente isso, colaborador. Não é assalariado. Colaborador, por exemplo, foi o Cavaco Silva e outros que colaboraram e colaboram com os banqueiros . Esses sim, esses é que são os verdadeiros colaboradores! Que eu saiba não recebiam salário. Eram avisados para retirarem o dinheirinho antes dos bancos falarem. E depois quem pagava, quem era?
    Relativamente a seitas, não esquecer que a CIP, por exemplo também a é! Tem lá muita dessa gente representada.
    É difícil olhar de frente.

  17. Então o Pois das 2.06 acha que o trabalho não é uma necessidade mas um hobby? Não quer, vai-se embora… Que filosofia do trabalho tão profunda. Tanta gente que lutou e morreu pelo reconhecimento de direitos de que hoje usufruímos e vem esta gente no século XXI com mentalidade do século XIX opinar como um psicopata? Mais respeito pelas pessoas, por favor…

  18. Olá a todos. Estou em na Espanha. Sou espanhol a estudar português… desculpe-me os meus erros na escrita. Sinto-me con vergonha pela Mercadona. É uma grade empresa e cá também é ouvido a mesmas queixas. Não compreendo após da vossa bem-vinda a esta grande cadeia de alimentação.. não pode ser por acaso nos dois países. Sinto-me com raiva, dor, e desprezo pela Mercadona.

  19. Um dos fatores de ditadura e perseguição dentro desta empresa vem dos chefes de equipa e supervisores muito novos que tiraram um curso na loja dos chineses e se acham donos da empresa. Passam os jovens a afetivo ao fim de três meses com a intenção de os moldar a maneira que eles querem e assim que felizmente começam a abrir os olhos são ameasados com processos disciplinares e rotações excessivas de trabalho para os forçar a sair.

  20. Nunca ouvi tanta estupidez. Não defendo nada bem ninguém, e nao estou sequer no ramo, mas não acredito que assim seja como é descrito. Poderá haver casos pontuais como em todo o lado, mas muitos dos trabalhadores vão para lá a pensar que ficam efetivos e continuam a não fazer nada também como não faziam nos empregos de onde vinham. Se outros hiper tivessem uma política de preços mais acessível e não combinarem os preços entre os grandes, todos os outros não teriam tanto sucesso . isto é só inveja

  21. O Imperio contra-ataca, Lisboa nunca perdoará o facto de a expansão do .Mercadona nao ter comecado na sua area., mas bem longe.

  22. Em todo o lado há vários tipos assédio e pressões sobre os funcionários, mas em empresas grandes a culpa não é da empresa em si, são os chefitos de meia tijela que pensam que são os maiores e massacram os funcionários isso acontece também no Continente.
    No Mercadona ainda pagam bem já o resto… não é em todo o lado que uma pessoa tem um salário base de 917€
    Mas se já começa a haver assim tantas queixas o melhor é não ir a estas lojas !

  23. Em todo o lado há vários tipos assédio e pressões sobre os funcionários, mas em empresas grandes a culpa não é da empresa em si, são os chefitos de meia tijela que pensam que são os maiores e massacram os funcionários isso acontece também no Continente.
    No Mercadona ainda pagam bem já o resto… não é em todo o lado que uma pessoa tem um salário base de 917€
    Mas se já começa a haver assim tantas queixas o melhor é não ir a estas lojas !!!

  24. De pequenos a grandes estabelecimentos aqui está assim. Acho um pouco de perseguições xenofobicas, devido a está engolindo as redes locais. Os outros são diferentes ou só mercadona é assim? Piada pronta. Quem paga bem é bem falado.

  25. Fazem no Aldi e no Lidl e ninguém se importou ! Mais uma vez a culpa é do estado e passam a batata para as empresas! O ACT ia às lojas, olhavam para os horários e viam saldos de 50, 60 horas negativas e ninguém fazia nada.
    … Quantas horas não são pagas aos funcionários dos vários supermercados e hipermercados!

  26. Boa noite!
    Atualmente trabalho no grupo Sonae…estou a 33 anos de serviço e nunca fui humilhada, quanto ao ordenado não é dos melhores, mas, nunca falharam, no dia está na conta.
    Em Dezembro pagam 15 mês juntamente com o ordenado e subsídio de natal.
    Na Páscoa recebemos uma lembrança, no dia dos pais, no dia da mulher, quando a loja faz anos oferecem o almoço ao longo do dia com tudo a que temos direito, não esquecendo do jantar de natal aos colaboradores.
    Tive vários chefes, trabalham no duro ao nosso lado, sempre prontos a ouvir e ajudar nos problemas particulares.
    E os funcionários dão o litro por esta empresa, porque não nos falham e com tudo isto , fazem- nos sentir bem no nosso local de trabalho.

  27. Trabalho tem.
    Só trabalha quem precisa e quem quer.
    Nunca vi uma empresa obrigar ninguém a trabalhar.
    Esse sindicato, juntamente com os vagabundos de plantão, estão prejudicando quem quer e precisa trabalhar.
    É muito importante tomar cuidado com essas pessoas, não trabalham, e não querem que ninguém trabalhe.
    Os sindicatos são os piores, fazem a cabeça das pessoas mas quando tem alguém precisando eles não ajudam.
    Minha opinião, quem não quer trabalhar dá a vaga para quem quer e precisa.

  28. Se fosse só o Mercadona, o Lidl e exactamente igualz pior porque cada loja tem menos pessoas que no Mercadona, as chefias coitadas fazem quase 12-14 horas por dia e muitas ainda ficam a trabalhar na hora de almoço é uma vergonha

  29. Na hora de entrar aceitam tudo. Depois é que reclamam. Dúvido muito que a política do Mercadona seja muito diferente dos demais.

  30. E triste quando as companhias não respeitam os seus colaboradores.
    Temos de deixar de comprar no Mercadona,para lhes mostrar o nosso descontentamento.
    Talvez aí percebam o que estão a fazer de errado quando as vendas caírem!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.