Membro das Pussy Riot hospitalizado já “recuperou a consciência”

Jean-Christophe Bott / EPA

O ativista russo Pyotr Verzilov e a mulher, Nadezda Tolokonnikova (aka Nadya Tolokno), vocalista do grupo feminista Pussy Riot, invadiram o campo na final do Campeonato do Mundo 2018

O membro da banda punk contestatária russa, hospitalizado desde terça-feira em estado grave, “recuperou a consciência” e saiu dos cuidados intensivos, anunciou a companheira, afirmando que foi envenenado.

“Petya [Piotr] recuperou a consciência“, mas continua a ter alucinações e delírios, disse Veronika Nikoulchina, também membro da banda russa Pussy Riot, na sexta-feira à noite ao jornal online Meduza.

Piotr Verzilov, 30 anos, de dupla nacionalidade russa e canadiana, foi hospitalizado na terça-feira depois de assistir a uma audiência judicial da companheira.

Na quinta-feira foi transferido para a unidade de cuidados intensivos de um reputado hospital de Moscovo, o Instituto Sklifossovsky, e, na sexta-feira, o seu estado foi qualificado de “grave” por este hospital.

A companheira afirmou ao mesmo jornal que Piotr foi envenenado: “É mesmo envenenamento, com qualquer coisa como atropina. A questão é que foi uma grande dose”, disse.

Nenhuma fonte oficial adiantou uma causa para o estado de Verzilov.

Segundo a companheira, Piotr Verzilov começou a sentir-se mal na terça-feira à noite, tendo nomeadamente deixado de ver.

Piotr Verzilov e Veronika Nikoulchina são dois dos quatro membros das Pussy Riot que invadiram o campo na final do Campeonato Mundial de Futebol da Rússia 2018, tendo sido condenados por esse ato a 15 dias de detenção.

Verzilov é também fundador do ‘site’ MediaZona, que divulga informações sobre processos contra ativistas dos direitos humanos.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE