Cientistas identificaram o melhor lugar para a vida existir em Marte

Uma nova investigação encontrou o melhor lugar para a vida existir em Marte: vários quilómetros abaixo da superfície.

Uma equipa de cientistas da Rutgers University-New Brunswick, do Dartmouth College, da Louisiana State University e do Planetary Science Institute desenvolveram uma investigação que pode ajudar a resolver o paradoxo do jovem Sol fraco, uma questão-chave para entender a origem da vida no Planeta Vermelho.

O paradoxo do jovem Sol fraco é a contradição entre a presença de água líquida no início do Sistema Solar e a predição astrofísica de que o brilho do Sol naquela época era de apenas 70% em relação ao presente, ou seja, insuficiente para manter a água no estado líquido.

Segundo o Science Alert, a equipa partiu do pressuposto de que o Sol é um enorme reator de fusão nuclear, que gera energia pela fusão de hidrogénio em hélio. Ora, com o tempo, o astro aqueceu a superfície dos planetas, mas, há cerca de quatro mil milhões de anos, o Sol estava muito mais fraco, pelo que o clima do início de Marte deveria ser congelante.

No entanto, a superfície do planeta tem muitos indicadores geológicos, como leitos de rios antigos, e indicadores químicos, como minerais, que sugerem que Marte tinha água líquida há cerca de 4,1 mil milhões de anos.

O paradoxo reside nesta contradição entre o registo geológico e os modelos climáticos. “Mesmo que gases de efeito estufa, como o dióxido de carbono e o vapor de água, sejam bombeados para a atmosfera marciana em simulações de computador, os modelos climáticos ainda lutam para sustentar um Marte quente e húmido de longo prazo”, disse Lujendra Ojha, da Rutgers University-New Brunswick.

Em planetas rochosos – como Marte, Terra, Vénus e Mercúrio -, elementos produtores de calor como urânio, tório e potássio geram calor por decaimento radioativo. Neste cenário, a água líquida pode ser produzida através do derretimento no fundo de espessas camadas de gelo, mesmo se o Sol estiver mais fraco do que agora.

Os cientistas acreditam que um derretimento semelhante pode ajudar a explicar a presença de água líquida em Marte há quatro mil milhões de anos.

Assim sendo, e independentemente da natureza do antigo clima marciano, a subsuperfície – abaixo da terra – teria sido a região mais habitável do Planeta Vermelho.

Mesmo que Marte tenha tido um clima quente e húmido há quatro mil milhões de anos, com a perda do campo magnético, afinamento atmosférico e subsequente queda nas temperaturas globais ao longo do tempo, a água líquida pode ter sido estável apenas a grandes profundidades. O artigo científico foi recentemente publicado na Science Advances.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Entretenham-se a destruir o bom que existe por cá e vão à procura do mau que por lá existe, terão o futuro assegurado como a menina pescadinha!

      • Absolutamente nenhum, bem pelo contrário, tenho é com a ignorância e egoísmo humano que destrói e consome o bom que tem parecendo não ter ideias nem capacidade para ver a armadilha que estão por cá a montar e encontram tantas ideias para irem fora em ambientes inóspitos à procura de nova casa deixando a sua ao Deus-dará, no final nem cá, nem lá!

RESPONDER

Liveblog Autárquicas. Maioria absoluta de Rui Moreira não é certa

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Autárquicas: PS reivindica vitória e acredita que ganha em Lisboa

O secretário-geral adjunto do PS reivindicou hoje vitória do seu partido nas eleições autárquicas, dizendo que irá vencer em número de câmaras e de freguesias, e manifestou-se confiante no quinto triunfo consecutivo em Lisboa. Esta posição …

Autárquicas: Santana reconquista a Figueira e fala numa "proeza sem igual"

Primeiras projeções nas eleições autárquicas na Figueira da Foz dão a vitória a Pedro Santana Lopes, com 41 a 46% dos votos e 4 a 5 mandatos. Segundo a projeção da RTP, na Figueira da Foz, …

Autárquicas: PS segura Almada

Aposta da CDU em Maria das Dores Meira, atual autarca de Setúbal que atingiu o limite de mandatos naquele concelho, parece não ter sortido os efeitos desejados. O Partido Socialista deverá, segundo as primeiras projeções, conseguir …

Autárquicas: Coimbra muda de mãos com maioria absoluta de José Manuel Silva

Segundo as primeiras projeções desta noite, o ex-bastonário da Ordem dos Médicos e candidato do PSD, José Manuel Silva conquista a Câmara Municipal de Coimbra, com margem confortável Segundo a projeção SIC, José Manuel Silva obterá …

Autárquicas: Rui Moreira reeleito no Porto, mas com maioria em risco

A sondagem ICS-ISCTE, divulgada pela SIC, projeta uma vitória confortável de Rui Moreira no Porto. A sondagem indica que o atual autarca terá entre 39,2 e 44,2%. De acordo com as primeiras projeções, o resultado obtido …

Autárquicas: Sondagens dão empate entre Medina e Moedas em Lisboa

As primeiras projeções da SIC dão um empate entre o presidente da Câmara, Fernando Medina, e o candidato do PSD, Carlos Moedas. O resultado é ainda incerto. Também a projeção RTP/Universidade Católica dá resultados muito próximos …

Ummu tem 25 anos e é rosto das negociações com o Boko Haram

Com a Nigéria a enfrentar uma crise de raptos, Ummu Kalthum é uma das mais jovens — e mais bem-sucedidas — mediadoras a negociar acordos para libertar reféns do Boko Haram no país. Na última década, …

Alemanha: Sociais-democratas reclamam vitória (com "desastre" para os conservadores)

Os sociais-democratas SPD reivindicaram hoje vitória nas eleições parlamentares alemãs, numa altura em que os conservadores da CDU, força política de Angela Merkel, se aproximam de uma votação mínima histórica, de acordo com as primeiras …

Em 2018, cientistas de Wuhan terão planeado infetar morcegos com coronavírus

Em 2018, um grupo de cientistas da cidade chinesa de Wuhan, onde foi registado o primeiro caso de covid-19, estaria a planear infetar, com coronavírus modificados, morcegos que vivem em cavernas. Os cientistas terão pedido 14 …