Médicos admitem fazer greves em serviços e hospitais carenciados

Os responsáveis pelas estruturas sindicais dos médicos admitem convocar greves em serviços e em hospitais carenciados, depois de terem saído de uma reunião com o Ministério da Saúde sem resposta para as suas reivindicações.

“Não conseguimos nada, saímos da reunião frustrados”, lamentou o presidente da Federação Nacional dos Médicos (Fnam), João Proença, avisando que a falta de resposta da tutela para o grande número de matérias em negociação vai “empurrar” os sindicatos para novas formas de luta, concretamente “paralisações parcelares em serviços carenciados”. “Não temos alternativa”, diz.

Há uma nova reunião marcada para o início de maio com o Ministério da Saúde, mas antes disso os sindicatos vão pedir à Ordem dos Médicos que convoque um “fórum médico” na próxima semana.

“Não houve qualquer avanço”, corroborou Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), que explicou que a hipótese de se avançar para “greves à atividade programada por serviço e por hospital” onde são escassos os recursos vai ser agora posta à consideração dos órgãos executivos dos sindicatos.

Mas voltou a afirmar que a hipótese de uma nova greve nacional não está posta de parte, ainda que esta seja a “última” forma de luta a ponderar para não prejudicar os doentes que já estão a ser penalizados “com grandes listas de espera”.

Considerando que a situação é “absolutamente insustentável”, João Proença frisa que até “os acordos de princípio” que tinham conseguido para os médicos civis no Ministério da Defesa e os do Instituto de Medicina Legal (Ministério da Justiça) não se concretizaram, tal como no acordo de empresa com o Ministério do Trabalho por causa do Hospital do SAMS (bancários​). “O problema não é apenas do Ministério da Saúde, é do Governo”, enfatiza.

Mas estas são apenas algumas das matérias de um caderno reivindicativo muito extenso. Em causa está a negociação da carreira médica e da nova grelha salarial, tal como a redução do tempo normal de trabalho das 18 horas no serviço de urgência para 12 horas.

“Urgente” é também fazer concursos a tempo e horas para consultores e assistentes graduados, diz João Proença, citado pelo Público. Roque da Cunha destaca a questão da redução do número de horas nas urgências porque esta permitirá “aumentar a acessibilidade dos utentes às cirurgias e às consultas”.

Na lista das reivindicações, há muitas outras matérias, como a agilização e lançamento dos concursos para assistentes, a colocação em concurso das vagas que têm sido ocupadas por médicos reformados e o fim das quotas para as Unidades de Saúde Familiar (USF) de modelo B nos centros de saúde.

Os sindicatos também reclamam a diminuição das listas de utentes dos médicos de família de 1900 para 1550.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Miguel Morgado desiste de se candidatar à liderança do PSD

O ex-adjunto de Pedro Passos Coelho anunciou, esta sexta-feira, que desistiu de avançar com a sua candidatura para liderar o PSD. Miguel Morgado anunciou, esta sexta-feira, através do Facebook, que "não foi infelizmente possível no presente …

Merkel fará a sua primeira visita ao antigo campo de concentração de Auschwitz

A chanceler alemã, Angela Merkel, pretende visitar o antigo campo de concentração nazi de Auschwitz na Polónia, pela primeira vez nos seus 14 anos no cargo, anunciou na quinta-feira um jornal de Munique. Segundo Sueddeutsche Zeitung, …

Bebé encontrado no lixo já está com uma família de acolhimento

O bebé encontrado num ecoponto, no início do mês, e que esteve até quinta-feira hospitalizado, já está com uma família de acolhimento, informou a Santa da Misericórdia de Lisboa esta sexta-feira. A instituição refere numa nota …

Fisco vai controlar declarações de IRS de beneficiários do programa "Regressar"

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai desenvolver mecanismos para verificar se os contribuintes abrangidos pelo regime fiscal do programa "Regressar" reúnem as condições exigidas, prevendo-se que parte desse controlo ocorra com a entrega da declaração …

Greta Thunberg vai de Lisboa a Madrid num carro elétrico emprestado por Espanha

A Junta da Extremadura, região espanhola, disponibilizou um carro elétrico à jovem ativista sueca Greta Thunberg para que possa viajar de Lisboa para Madrid para assistir à Cimeira do Clima respeitando o meio ambiente, adiantou …

Enfermeiros garantem voltar à luta com os 200 mil que sobraram do crowdfunding

Os enfermeiros, que no ano passado iniciaram o "Movimento Greve Cirúrgica", pretendem voltar às ações de protestos com os cerca de 200 mil euros que restaram da campanha de crowdfunding. A intenção é revelada por …

OCDE: Nova crise pode tirar metade do rendimento às famílias portuguesas

Uma nova crise económica e financeira a nível global pode ter efeitos dramáticos para as famílias portuguesas, levando à perda de metade dos seus rendimentos. Esta é a previsão da Organização para a Cooperação e …

O cofre da rica mãe, heranças às dúzias e a vida "sem luxos". O que Sócrates disse a Ivo Rosa

Foram cerca de 20 horas de interrogatório no âmbito da Operação Marquês, em que José Sócrates manteve, perante o juiz Ivo Rosa, a versão de que as avultadas quantias de dinheiro que gastou nos últimos …

Associados podem ser chamados a resolver "buraco" do Montepio

Os cerca de 630 mil associados e pensionistas da Associação Mutualista Montepio Geral correm o risco de virem a ser chamados para resolver as perdas da instituição financeira, escreve o jornal Público. De acordo com o …

Bolívia divulga vídeo que sugere que Morales incitou bloqueios à entrada de alimentos

Arturo Murillo, ministro do Governo da Bolívia, divulgou na manhã de quarta-feira um vídeo que sugere que o antigo presidente do país, Evo Morales, incitou os bloqueios à entrada de alimentos que fragiliza o país. Os …