Médias de acesso ao ensino superior vão ser mais altas este ano

Antoninho Perri / Unicamp

As notas dos exames nacionais de quase todas as disciplinas subiram este ano. Como tal, as médias de acesso ao ensino superior da generalidade dos cursos vão ser mais altas.

Os resultados dos exames foram conhecidos esta segunda-feira e, regra geral, registou-se uma subida de notas em quase todas as disciplinas. Em algumas das matérias mais concorridas, as médias aumentaram mais de três valores, escreve o jornal Público.

O presidente da comissão nacional de acesso, João Guerreiro, garante que os resultados não vão fazer com que a corrida às vagas universitárias seja injusta. “Os alunos ficaram todos na mesma situação”, assegura em declarações ao matutino.



“O que os exames nacionais fazem é uma seriação do conjunto dos estudantes. Se as médias aumentaram, é sinal de que as notas aumentaram para quase todos os estudantes”, explicou João Guerreiro.

Perante esta situação, só porque a média de um aluno subiu dois ou três valores, não quer dizer que ele tenha o seu lugar garantido, uma vez que a média dos concorrentes diretos também subiu. Como o aumento dos resultados parece ter sido transversal, não haverá grandes alterações na perspetiva de acesso dos alunos.

O Público realça que nos casos de melhoria de nota, os alunos ganham uma certa vantagem. Por exemplo, um ano que, insatisfeito com a nota de exame do ano passado, tenha repetido a prova este ano, estará em melhores condições de entrar num curso exigente do que um colega que tenha ficado satisfeito com o resultado do ano passado.

O concurso de acesso ao ensino superior abre esta sexta-feira e estão disponíveis 51.408 lugares, o valor mais elevado dos últimos sete anos.

De todas as disciplinas de exame, apenas Matemática Aplicada às Ciências Sociais (MACS) baixou a média de resultados (-1,5) para 9,5. Em Biologia e Geologia a média é de 14 valores (+3,3). Também em Geografia A, Filosofia e História A, os aumentos da média foram iguais ou superiores a três valores, comparativamente com o ano passado.

A média de Geografia A aumentou 3,3 para 13,6; a média de Filosofia chegou aos 13, aumentando 3,2; e a média de História A aumentou três valores, chegando aos 13,4.

Em Matemática A, o aumento foi de 1,8 valores, chegando a uma média de 13,3. Por fim, o aumento mais baixo foi no exame de Português, cuja média subiu apenas 0,2 valores, atingindo uma média de 12 valores.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. A estupidez de quem decidiu inflacionar as notas é que não percebe que nada altera. Quanto muito faz com que alunos que trabalharam todos os anos de estudos para serem os melhores, com médias de 18, tenham de competir com alunos que trabalharam muito menos e que, normalmente teriam notas de 16. Todos têm mérito, mas o essencial é que isto nada resolve. Quando estes senhores (e senhoras) quiserem resolver coisas efetivamente, confrontem a ordem dos médicos e abram vagas, no público ou no privado. Isso sim, levará a alunos a aspirarem uma carreira na medicina, que de outra forma nunca poderiam ambicionar, ou, cuja a ambição estaria reservada aos verdadeiramente ricos que conseguem suportar os filhos numa universidade estrangeira, num país estrangeiro.

    isto não é um problema de maiorias, mas é um problema que afeta maiorias pela falta de profissinais competentes e pelo preço que teremos de pagar aos poucos que venham a integrar o nosso sistema de saúde.

  2. Na minha opinião um aluno que frequentou toda a sua vida uma escola privada deveria ir para uma faculdade privada, um aluno que frequentou toda a sua vida uma escola pública deveria ir para uma faculdade pública.
    Porque razão aquando da ida para a faculdade, os da privada querem ir para a pública?
    Então o ensino privado para eles, toda a sua vida, não foi era melhor que a pública?
    Como temos visto as notícias, no privado compram-se as notas para no fim “lixar” os que toda a sua vida frequentaram o ensino público. Que continuem como já vinham … Depois vão para a pública e demoooooram a acabar os cursos, tirando o lugar a quem merecia lá estar e com melhor desempenho.

    • O seu comentário é um absurdo. Quem tem os filhos numa escola privada, não beneficiou do ensino público mas contribuiu com os seus impostos para o ensino público. Nesse caso quem vai ao hospital privado, também deixa de ter o direito de ir ao hospital público? Quem anda de transporte privado deixa de ter direito a andar de transportes públicos?

    • Muito Bem dito. E… este ano as desigualdades agrava-se com o beneplácito governamental, quando decidiu retirar o peso dos exames aqueles que “compram” notas no privado. Pois tiram médias internas de 20 e depois nos exames tiram 16. Tenho um filha com média interna (secundário) de 181 e de exames nacionais 182 e luta com alunos dos colégios sobejamente conhecidos. Eles não são os culpado. Os culpado são os que vendem as notas.

  3. MC concordo em pleno consigo. Para equilibrar as coisas proponho que quem anda no privado deixe então de pagar os impostos que sustentam o ensino público.

RESPONDER

Catarina Martins volta a bater o pé e Jerónimo sublinha: "Ainda não há Orçamento"

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, esta terça-feira, o Bloco de Esquerda, o PCP e o CDS, em mais uma ronda de reuniões com os partidos com assento parlamentar. Se o objetivo do Presidente da República era …

Simone Biles, Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Simone Biles. O ouro olímpico não é sinónimo de paz, muito menos interior

Na sequência do escândalo Nassar, a opinião pública dos EUA concordou que não valia tudo no caminho até ao ouro olímpico — principalmente quando está em causa a dignidade humana. Com a sua principal estrela …

"Sinto que desci ao inferno". Polícias recordam ataque ao Capitólio

"É assim que vou morrer", "sinto que desci ao inferno" e "corri o risco de ser morto" são alguns dos relatos de polícias que estavam na invasão ao Capitólio. Começaram as audiências na comissão da Câmara …

Pandemia aumentou o preço dos carros usados. Venda de veículos novos caiu a pique

A procura por usados aumentou com a pandemia. Com menos carros novos a saírem dos concessionários, também por causa da crise dos chips, a oferta de usados é escassa, levando os preços a subirem. Um choque …

Jogos Olímpicos: três polémicas de arbitragem em 24 horas

Depois da pontuação controversa no surf, uma decisão que quase ninguém entendeu, no basquetebol e no judo. A arbitragem não é, ou não é suposto ser, o foco de qualquer edição dos Jogos Olímpicos. E não …

Rui Vitória quer levar Manafá para o Spartak Moscovo

O Spartak Moscovo, treinado por Rui Vitória, desistiu da contratação de Gabriel e apresentou agora uma proposta por Wilson Manafá. Desde que chegou a Moscovo para treinar o Spartak, Rui Vitória tem sondado alguns jogadores que …

Centro de Migrantes de Caxias seria pago pelo SEF com carros apreendidos e obras eram feitas por presos

As obras feitas para a construção de um Centro de Migrantes no complexo prisional de Caxias terão sido pagas pelo SEF com carros apreendidos. O Centro de Instalação Temporária de migrantes no complexo prisional de Caxias …

Afinal, declaração de pertença à Maçonaria ou Opus Dei não será obrigatória

A obrigatoriedade de os políticos e altos cargos públicos declararem a sua pertença e funções em associações como as desportivas, políticas e de carácter secreto foi aprovada no Parlamento este mês. Jorge Lacão esclareceu que a …

Futebol: Alemanha já está fora dos Jogos Olímpicos

Alemães chegaram à final em 2016 mas, desta vez, nem passaram da fase de grupos. Campeão Brasil continua no torneio masculino. Brasil e Alemanha foram as seleções finalistas da edição anterior dos Jogos Olímpicos, em 2016. …

Portugal perto de surpresa no andebol e Ana Catarina Monteiro faz história na natação

No andebol, a equipa olímpica portuguesa esteve muito perto de surpreender a vice-campeã mundial Suécia. Na natação, Ana Catarina Monteiro teve um resultado histórico. A seleção portuguesa de andebol perdeu por 29-28 frente à vice-campeã mundial …