Matança na Síria continua “sem vergonha, decência ou responsabilidade”

Mohammed Badra / EPA

A comissão da ONU que documenta os crimes da guerra na Síria lamentou que a matança de sírios “continue sem qualquer vergonha, decência ou responsabilidade”, a dois dias do sétimo aniversário do início do conflito.

O presidente desta comissão, o jurista brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro, apresentou hoje ao Conselho de Direitos Humanos da ONU o seu relatório mais recente sobre as violações de direitos fundamentais perpetradas na Síria desde julho do ano passado.

O responsável descreveu a situação que se vive hoje na região de Ghouta oriental, um bastião rebelde perto de Damasco que tem sido alvo de uma intensa ofensiva das forças governamentais sírias, mas recordou que “nenhuma destas atrocidades é nova”.

Paulo Sérgio Pinheiro lembrou tratar-se da sua 23.ª apresentação de um relatório à ONU e lamentou que todas as esperanças que renasceram no final do ano passado sobre o fim da violência se tenham dissipado com o recrudescer do conflito.

Lastimou que nem a autoridade do Conselho de Segurança da ONU seja respeitada, recordando a violação do cessar-fogo decretado há apenas dez dias para permitir o acesso humanitário seguro a Ghouta oriental.

“Centenas de doentes e feridos pioram enquanto esperam uma possibilidade de evacuação médica. Alguns dos que estavam em lista de casos graves para evacuação já morreram”, disse.

A comissão referiu-se também à situação em Afrine, cidade do noroeste da Síria controlada pela milícia curda síria Unidades de Proteção do Povo (YPG), contra as quais o exército turco lançou uma ofensiva a 20 de janeiro. Naquela localidade vivem atualmente 320 mil pessoas, incluindo 125 mil deslocados internos.

Sobre a província de Idleb, a única que ainda está sob controlo de grupos rebeldes e onde vivem dois milhões de pessoas, Pinheiro condenou o ataque a infraestruturas vitais para a sobrevivência dos civis, nomeadamente hospitais.

De acordo com um novo balanço do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), a guerra na Síria já causou mais de 350 mil mortos. Entre as vítimas mortais encontram-se 106.390 civis, incluindo 19.811 crianças, precisou.

Após a intervenção de Paulo Sérgio Pinheiro, o embaixador sírio na ONU em Genebra, Hussam Edin Aala, rejeitou as alegações da Comissão e acusou o Conselho dos Direitos Humanos de promover “uma campanha para manchar a imagem do Governo sírio“.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Tony transformou autocarro em Arca de Noé para salvar animais do Florence

Enquanto muitos americanos fugiam do furacão Florence, um camionista de 51 anos fazia o percurso inverso com uma missão em mente. Dentro de um autocarro, Alsup transportou mais de 60 animais da costa da Carolina …

Mais de 500 rinocerontes mortos na África do Sul este ano

A caça furtiva na África do Sul causou a morte a 508 rinocerontes, entre janeiro e agosto deste ano, o que significa um decréscimo no número de espécimes caçados, em relação a 2017, anunciou o …

Número de mortos em naufrágio na Tanzânia sobe para 170

O número de pessoas que morreram no naufrágio de um navio de passageiros no lago Vitória, na Tanzânia, subiu para 170, de acordo com os meios de comunicação locais. As operações de resgate recomeçaram na manhã …

Há um satélite-pescador no espaço

O Satélite britânico RemoveDebris está a navegar no espaço desde junho e lançou com sucesso uma rede em órbita com o objetivo de capturar material que anda à deriva em redor da Terra. O satélite-pescador britânico …

Governo cumpriu “rigorosamente” acordo com setor do táxi

O Ministro Ambiente, João Matos Fernandes, disse este sábado que o governo cumpriu “rigorosamente” o acordo que assinou com a duas associações que representam os taxistas para a modernização do setor. "Não é verdade que se …

Juízes defendem acórdão que desvaloriza violação de mulher inconsciente

A Associação Sindical dos Juízes Portugueses sai em defesa dos dois magistrados, um dos quais o presidente da entidade, que assinaram o acórdão que desvaloriza a gravidade da violação de uma mulher inconsciente, numa discoteca, …

Salas para maiores de 18 anos levam à demissão do director de Serralves

O director artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, demitiu-se do cargo depois de a administração ter limitado a maiores de 18 anos uma parte da exposição dedicada ao fotógrafo norte-americano Robert …

Isabel do Santos desmente ação contra João Lourenço mas processo deu entrada no Supremo

Isabel do Santos, filha do antigo Presidente da Angola, desmente ter entrado com uma ação contra o atual Presidente João Lourenço. No entanto, o processo cível contra o Estado deu entrada no Supremo. De acordo …

Arqueólogos fazem "descoberta do Século" no Tejo (e tem pimenta)

Uma equipa de arqueólogos da Câmara Municipal de Cascais, do Projeto Municipal da Carta Arqueológica Subaquática do Litoral, descobriu uma nau que terá naufragado entre 1575 e 1625, e que é considerada a “descoberta do …

ADSE adia implementação de novas regras para tentar acordo com privados

Os hospitais privados e ADSE continuam com o braço de ferro, mas, por agora, os privados não vão deixar de operar beneficiários da ADSE. O boicote anunciado esta manhã foi adiado. Esta manhã, o o semanário …