Marte não tem CO2 suficiente para se transformar numa nova Terra

Goddard Space Center / NASA

O processo de “terraformação” não é uma possibilidade viável para Marte, conclui um estudo publicado esta segunda-feira. Mesmo com a recente descoberta de um enorme lago de água líquida salgada, o Planeta Vermelho não reúne as condições necessárias para se transformar numa nova Terra.

Um recente estudo, publicado esta segunda-feira na Nature Astronomy, coloca em foco a ideia da “terraformação” em Marte, o processo hipotético que permitiria mudar as condições de um planeta de forma a torná-lo habitável para as espécies terrestres. Marte seria o candidato mais adequado para esta transformação… até hoje.

Entre as possíveis teorias para “terraformar” o Planeta Vermelho está a libertação na atmosfera de gases com efeito de estufa armazenados nas rochas e calotas polares, de modo a tornar a atmosfera mais densa e consequentemente o planeta mais quente, fazendo assim com que a água líquida permaneça à superfície.

Desta forma, os cientistas concentraram as suas atenções no dióxido de carbono disponível em Marte, o único gás com efeito de estufa presente em quantidade suficiente para produzir um aquecimento significativo.

Para isso, os investigadores usaram os dados de rovers e sondas espaciais dos últimos 20 anos, relativos ao dióxido de carbono marciano, acessível tanto na superfície do planeta como nos reservatórios subterrâneos, assim como os dados relativos às contínuas emissões deste gás para o espaço.

No melhor dos cenários, referem os cientistas, o dióxido de carbono facilmente acessível “poderia apenas triplicar a pressão atmosférica de Marte” – o que equivale a um quinto da mudança necessária para fazer com que o Planeta vermelho se tornasse habitável – e aumentaria a temperatura em menos de dez graus.

Além disso, a maior parte do CO2 presente nos reservatórios não está disponível, o que faz com que este gás não possa ser facilmente libertado na atmosfera.

Todos estes “senão” obrigam os autores do artigo científico a concluir que para “terraformar” Marte através do dióxido de carbono do planeta seria necessário recorrer a “tecnologias que estão muito além das que estão disponíveis atualmente”.

Marte é um deserto frio e quase sem ar, e parece provável que continue assim. Este novo estudo vem transformar a hipotética colonização do Planeta Vermelho numa ideia muito menos atraente.

ZAP // EFE / Discover

PARTILHAR

RESPONDER

Juventus é campeã pela oitava vez consecutiva. E Ronaldo estava lá

A Juventus conquistou este sábado a Serie A pela oitava vez consecutiva, depois de vencer em casa a Fiorentina por 2-1, em jogo da 33ª jornada. Poucos dias após a eliminação nos quartos de final da …

Coletes Amarelos: novo sábado de violência em Paris

Mobilizados há mais de cinco meses, os "coletes amarelos" voltaram este sábado às ruas para o seu "acto XXIII" marcado por uma nova escalada da tensão entre manifestantes e forças de autoridade. Tiros de gás lacrimogéneo, …

Porto vs Santa Clara | Dragão suficiente assume liderança

O FC Porto venceu hoje o Santa Clara por 1-0, em partida da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que permite aos ‘dragões' regressarem, à condição, ao comando do campeonato. O FC Porto cumpriu …

Notre-Dame pode não ser a única. Vários monumentos em todo o mundo estão em risco

O incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris, levantou questões sobre a forma como os órgãos responsáveis pelo património cultural realizam políticas de conservação e detetam possíveis problemas. Além disso, a Unesco indicou que vários locais de …

Hubble espreita aglomerado cósmico azul

Os enxames globulares são objetos inerentemente belos, mas o alvo desta imagem do Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, Messier 3, é frequentemente reconhecido como um dos mais esplêndidos de todos. Contendo, incrivelmente, meio milhão de estrelas, …

Comer carne vermelha (mesmo moderadamente) aumenta risco de cancro do intestino

O maior estudo alguma vez realizado no Reino Unido sugere que devemos reduzir (ainda mais) o consumo de carne vermelha. Um estudo financiado pela Cancer Research UK e desenvolvido pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, …

Gémeas alemãs nascem com 3 meses de diferença (e em anos distintos)

Um hospital alemão anunciou na segunda-feira o caso de duas meninas que, apesar de serem gémeas, nasceram com três meses de diferença e em anos distintos. Com apenas 26 semanas de gravidez, a 17 de novembro …

Avião hospital da Luftwaffe levou doze feridos da Madeira para a Alemanha

Doze feridos do acidente com um autocarro turístico partiram hoje do Aeroporto da Madeira, cerca das 12:00, a bordo de um avião alemão equipado com meios hospitalares, com destino a Colónia, após operação de transferência …

Família desalojada e nove casas atingidas em queda de grua no Porto

Uma grua caiu hoje em cima de várias habitações na rua da Corticeira, na zona das Fontainhas, na cidade do Porto, mas não há feridos a registar, disse fonte dos Bombeiros Sapadores do Porto. A grua …

Mulheres são quase metade dos “100 mais influentes” da Time

Há 48 mulheres na lista das 100 personalidades mais influentes do mundo publicada esta quarta-feira pela revista norte-americana Time. A lista, publicada anualmente desde 2004, junta personalidades das mais diferentes áreas distribuídas por cinco categorias: “Pioneiros”, …