Marques Mendes diz que acolhimento de refugiados por funcionários pró-Putin é “espionagem de guerra”

11

António Cotrim / Lusa

Comentador considera que autarquia de Setúbal só pediu a abertura de um inquérito ao Ministério da Administração Interna por saber que não terá consequências.

Luís Marques Mendes catalogou os casos dos refugiados ucranianos que foram recebidos por funcionários municipais pró-russos como “espionagem de guerra” e defendeu que o caso é mais grave que o chamado Russiagate, no qual a Câmara de Lisboa entregou dados de ativistas às autoridades russas.

“Acho que este caso é mais grave do que aconteceu no ano passado na Câmara de Lisboa com Fernando Medina. Se for tudo como está descrito no Expresso, isto não foi um erro administrativo. É quase espionagem de guerra e isso é gravíssimo. Na Câmara Municipal de Lisboa foi uma falha administrativa gravíssima, mas isto é pior”, estabeleceu o comentador.

Para o antigo líder do PSD, o que se passou na autarquia setubalense constitui um caso de “desleixo”. “Não sei se foi desleixo ou intenção. Tudo isto é uma clara falta de bom senso político do presidente da Câmara em colocar a atender cidadãos ucranianos, um cidadão de origem russa. Não há que ter nada contra os russos, nem todos são apoiantes de Putin, é uma questão de bom senso: para evitar desconforto e desconfiança”, apontou, citado pelo Expresso.

Numa reação às declarações de André Martins, presidente da Câmara de Setúbal, que disse recorrer há vários anos aquela organização de leste, Marques Mendes considerou que esta seria válida até 24 de fevereiro, não depois. “Eu diria ser normal até ao começo da guerra e da invasão russa. O leste está dividido e se o presidente da Câmara não percebe isso é porque não é grande presidente.”

Para o comentador, há também “responsabilidades políticas” a tirar do sucedido, para além da suspensão cautelar da funcionária da Câmara de origem russa. Afirmou ainda que o pedido de abertura de um inquérito ao Ministério da Administração Interna por parte da autarquia só aconteceu porque esta sabe que não haverá consequências decorrestes deste. “O presidente da Câmara usou uma esperteza. Pode-se fazer um inquérito, mas o inquérito não vai dar nada. E ele sabe que do ponto de vista formal, burocrático e jurídico está tudo bem”, atirou.

“O comportamento da Câmara não é aceitável. Isto mostra pelo menos desleixo das autoridades e não pode ser desvalorizado”, insistiu. E continuou: “Putin teve interferência na vitória de Trump, teve interferência na votação do Brexit. Isto é como um vírus, está em todo o lado.”

Em causa está o envolvimento de Yulia Khashina, mulher de Igor Khashin, conhecido apoiante de Vladimir Putin, no processo de acolhimento de refugiados.

Luís Marques Mendes deixou ainda palavras elogiosas para António Guterres, a propósito das deslocações do secretário-geral das Nações Unidas a Moscovo e a Kiev, e condenou o ataque ordenado à capital ucraniana durante a reunião do português com Volodymyr Zelenskyy. Para o comentador, o ato é revelador do “desespero” de Putin. “Foi uma tentativa de humilhar mas resulta mal para a Rússia”, sintetizou.

  ZAP //

11 Comments

  1. Não vai haver nenhumas consequências porque a PGR liderada pelo PS é também inconsequente. O PC continuará a ser uma delegação da União Soviética como na ” era Cunhal” e o “camarada Presidente do Oblast” passará, mais uma vez, incómule, como o camarada Medina que agora é Ministro das Finanças.

  2. O que hoje se passa num país como Portugal perante uma brutal invasão da ex-URSS contra a pobre mas corajosa Ucrânia é um nojo: completa ignorância e pretensa «abstenção» perante a ameaça da 3.ª Guerra Mundial e a entrega da informação sobre a fuga aos combates na Ucrânia aos espiões russos «vendidos» aos miseráveis restos do velho PCP, o qual só por isso mereceria ser banido dos «partidos políticos» existentes: consentir nisso, como o assassinato dos imigrantes ucranianos perdoado pela justiça (?!) do actual governo mete simplesmente um NOJO! A compensação é que o tal PCP – marca indelével do atraso político, cultural, social e económico do país – desapareça de vez nas próximas eleições!

  3. Cada vez entendeu melhor o porquê da ilusão de supremacia Russa.. Quando vimos casos a flagrante incompetência dos nossos políticos e instituições publicas geridas por boy´s também eles super incompetentes é natural que Putin se sinta como o Rei da Europa.

  4. Não conseguiram tomar o poder no 25 de abril de 1974, vão tentando lentamente sobreviver à custa de amigos como o PS e do silêncio do senhor PR! Tudo isto muito estranho!

  5. São estas cabeças mirabolantes que tolhem o partido, falar para as claques nao dá votos, obrigado sr mm mas não estorve mais.
    É com gente desta, de que o PSD está superlotado, que faz com que o partido PSD em vez de marchar para a frente, não sai da marcha atras, estas personalidades são do tempo que bastava dizer que os comunistas comiam as criancinhas para se ganhar eleições, e se fizermos uma retrospetiva esta atitude tem sido repetitiva apesar do insucesso, era o comunismo depois o socratismo e assim continua com a marcha atras em atos eleitorais, agora o lema com que pretendem agitar as claques, qualquer candidato á sucessão de Rui Rio, é combater o Costa, é combater o PS, e assim se constata o marasmo da falta de ideias para os portugueses, para Portugal, a falta de politicas de ideias para Portugal, ainda agora foram coniventes com a eliminação do Ivoucher, ou sela, tínhamos o combustível caro, e o adocicar com o Ivoucher (o melhor sistema de todos os tempos para compensar a carestia de artigos) e assim continuamos com os combustíveis a galopar e sem o Ivouscher, enfim é possível que um dia peçam ao Costa para tomar conta do PSD, porque com estes dirigentes e candidatos não sairá do marasmo a não sairá da marcha atras, não adianta fazer politica para as claques que por aqui vagueiam, já que os votos destes nunca chegará para governar, nem mais ou menos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.