Marques Mendes defende expulsão de juiz negacionista da magistratura

PSD / Flickr

Luis Marques Mendes

Comentador avaliou negativamente o desempenho de Carlos Moedas nos debates com Fernando Media, elogiou António Costa, recomendou o uso de máscara na rua apesar do fim da obrigatoriedade e atirou-se ao lóbi das farmacêuticas.

No seu espaço de comentário político na SIC, ontem à noite, Luís Marques Mendes defendeu a expulsão de Rui Fonseca e Castro, o juiz negacionista em relação à covid-19 e que na última semana protagonizou um episódio polémico com vários membros das forças da autoridade.

“O comportamento deste homem já tinha sido muito estranho durante algum tempo que esteve à frente da comarca de Odemira, com comportamentos que não são próprios nem da imparcialidade nem da independência de um juiz. E agora, com este comportamento nestes últimos dias, perante a PSP e depois dentro da sala, perante o Conselho Superior da Magistratura, isto é absolutamente intolerável. Este homem não sabe comportar-se como cidadão e muito menos como juiz. Esta está a violar todos os deveres de um juiz. Não há outra solução que não seja expulsar este homem da magistratura”, disse Marques Mendes.

Sobre a reunião do próximo dia 8, onde o Conselho Superior de Magistratura deverá analisar o caso, o antigo líder parlamentar do PSD apelou a uma posição intransigente: “É preciso uma atitude exemplar. Isto não é um caso menor, nem é um fait-divers. Se não se corta o mal pela raiz, e se não se atalham com comportamentos desta natureza, isto compromete a imagem dos juízes, dos magistrados e da magistratura.”

Num outro tópico, o das eleições autárquicas do próximo dia 26 de setembro, Marques Mendes considera que Carlos Moedas não conseguiu superiorizar-se a Fernando Medina nos frente-a-frente que os dois têm feito nas televisões. O comentador defende mesmo a ideia que Moedas “desperdiçou uma oportunidade” quando precisava de colocar “Medina à defesa”, algo que “não conseguiu”.

Mesmo assim, o comentador também é da opinião que o atual presidente da Câmara de Lisboa “não esteve brilhante“, com sinais de “arrogância” e “agressividade“. “O problema de Moedas é que precisava de ganhar claramente o debate. De estar ao ataque. De colocar Medina à defesa. E isso ele não conseguiu. Resta-lhe agora a campanha eleitoral”, sugeriu.

Sobre António Costa e o recente anúncio do mesmo sobre a descida no IRS por via do desdobramento dos escalões, Marques Mendes catalogou-o como uma medida que “vai no caminho certo“, apesar da inexistência de detalhes importantes, tal como nota o Observador.

“É uma grande jogada política e eleitoral. É o primeiro-ministro no seu melhor, habilidoso. Anuncia que vai desdobrar dois escalões do IRS. Mas não diz nada de concreto.. Que desdobramentos vai fazer? Quantos novos escalões vai criar? Que taxas vai aplicar? Que reduções em concreto é que as pessoas vão ter? De concreto, nada. Ou seja: gera uma boa impressão; cria grandes expectativas; toda a gente aplaude; no final o mais provável é que seja um alívio meramente simbólico”, antecipou.

Já no que respeita à evolução da pandemia em Portugal — que entra hoje numa nova fase, na qual o uso de máscara na rua já não é obrigatório — o político considera que este objeto de proteção deverá continuar a fazer parte da vida dos cidadãos, por uma questão de bom-senso. “A máscara vai deixar de ser obrigatório na rua, mas eu acho que é recomendável usa-la em muitas circunstâncias”, explicou.

“Eu recomendaria, sem paternalismo nenhum, que é bom trazer sempre a máscara no bolso.” Na opinião de Marques Mendes, esta precaução será especialmente importante nos próximos meses, já que poderá ajudar a “mitigar muitíssimo os efeitos da gripe“, à semelhança do que aconteceu no Inverno anterior.

No mesmo âmbito, o político recriminou a administração de terceiras doses da vacinação na Europa, o que terá efeitos imediatos e negativos em territórios onde nem os profissionais de saúde estão inoculados. “Há no mundo ocidental, designadamente no mundo europeu, um grande egoísmo. Para se ter uma terceira dose na União Europeia, por exemplo, são milhões de doses que são compradas e que são administradas. São, portanto, milhões de doses que vão faltar a países pobres”, explicou.

A influência que as grandes farmacêuticas exercem sobre os principais governos europeus também foi abordada pelo comentador. “Neste momento, há uma grande pressão de lóbis das farmacêuticas que, evidentemente, querem que seja aplicada uma terceira dose e amanhã uma quarta e uma quinta, porque ganham muito dinheiro com isso.” Marques Mendes sublinhou ainda a inexistência de estudos científicos que defendam a terceira dose da vacina e apelou a um debate sobre a questão.

Finalmente, Luís Marques Mendes falou sobre a morte do antigo Presidente da República Jorge Sampaio e as cerimónias fúnebres que decorreram ao longo do último fim-de-semana.

“Foi uma homenagem altamente consensual, não é normal em Portugal, é muito raro. Mas eu compreendo que assim seja porque Jorge Sampaio foi, de um modo geral, na forma de fazer política, um príncipe. Tinha uma grande proximidade com as pessoas e era um homem profundamente respeitador dos seus adversários. Em cada adversário que tinha, normalmente a seguir fazia um amigo. É uma lição de vida.”

  ARM //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Este juiz esta-se a passar. Ele é um órgão de soberania, devia dar o exemplo de bom comportamento cívico e fez esta cena. Que ele tenha uma posição ….mas que até faça manifestações sobre isso, já passa das marcas….
    Se se quer manifestar como cidadão, manifeste-se , mas não deve usar a posição profissional para isso, ainda por cima, para mandar nos outros.

  2. O que não é compreensível é como é que esse energúmeno ainda é juiz!
    Só mesmo em portugal!
    Afinal eles protegem-se uns aos outros e nem vergonha têm de uma besta como esta pertencer à classe de juízes, afinal todos pensam da mesma maneira mas este disse-o em voz alta!

RESPONDER

Pintor da corte tentou impedir Henrique VIII de casar com Ana de Cleves. O rei ignorou - e arrependeu-se

A aristocrata alemã Ana de Cleves foi a quarta das seis esposas de Henrique VIII, casando-se com o rei inglês a 6 de janeiro de 1540. Depois de mais um divórcio, e de estar dois anos …

Com guerra de palavras à esquerda, Costa recebe apoio de Marcelo. "É o ano com mais alterações"

Estalou o verniz entre Bloco de Esquerda e Governo, pelo que a última esperança para António Costa é a de que os comunistas reconsideram os sinais que têm vindo a dar num passado recente. Marcelo …

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas.

Graça Freitas não fecha a porta a novos confinamentos. "Está tudo em aberto"

Em entrevista ao Diário de Notícias, a diretora-geral da Saúde fez um balanço da pandemia no país. Além de falar sobre o que se pode esperar no inverno, Graça Freitas não afastou a hipótese de …

A extinção dos mamutes-lanosos não foi culpa dos humanos

Durante várias décadas, os cientistas acreditaram que os ancestrais dos atuais elefantes se extinguiram porque eram constantemente caçados pelos humanos. No entanto, a análise de ADN dos antigos campos de pasto dos mamutes-lanosos revela uma …

O candidato à liderança do Partido Social Democrata (PSD), Paulo Rangel, durante um encontro com militantes

Rio não "pica" Rangel. "O que me pica é a fraca governação do PS"

O primeiro objetivo de Paulo Rangel é vencer a Rui Rio e liderar o Partido Social Democrata. O segundo é vencer a António Costa e liderar o país. O comício que marcou o arranque da …

A ministra da Saúde, Marta Temido

Carreira de técnico auxiliar de saúde avança já em 2022 (como reivindicava o BE)

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou este domingo que a carreira de técnico auxiliar de saúde vai avançar em 2022, numa antecipação reivindicada pelo Bloco de Esquerda. A criação da carreira de técnico auxiliar de …

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

"Não houve proibição nenhuma" de cânticos no Dia do Exército, foi recomendação sanitária

O Presidente da República foi questionado sobre o incidente que levou a que, nas celebrações do Dia do Exército, o ministro da Defesa tenha sido vaiado e pedida a sua demissão por centenas de ex-paraquedistas. …

Até 2030, o plástico irá emitir mais gases de efeito de estufa do que o carvão

Um novo relatório mostra que, até 2030, os plásticos irão emitir mais gases de efeito de estufa do que o carvão, caso a indústria norte-americana mantenha os planos futuros. O aumento contínuo da produção de plástico …

Titã pode estar condenada a chocar contra Saturno

A maior lua de Saturno, Titã, tem um enorme efeito na inclinação do planeta, e o seu afastamento do planeta pode derrubá-lo e condenar a própria Titã. A cada ano que passa, Titã afasta-se 11 centímetros …

É um cenário de filme de ficção científica - mas será possível a Lua colidir contra a Terra?

Está sempre aparentemente calma no céu, mas será que a Lua pode algum dia vir a chocar com a Terra? Há simulações que ajudam a ter uma ideia do que aconteceria neste cenário. Um novo filme …