Marques Mendes é contra um Bloco Central (e diz que o Governo devia explicar melhor a libertação de presos)

PSD / Flickr

Luís Marques Mendes

Luís Marques Mendes considera que o Governo “devia explicar melhor” a decisão de libertar 1.200 presos das cadeias portuguesas.

No seu habitual espaço de comentário na SIC, Luís Marques Mendes admitiu que “tinha de ser feita alguma coisa nas prisões” e, por isso, compreende a decisão tomada pelo Governo. No entanto, o comentador alertou para a necessidade de serem prestados novos esclarecimentos para que se evite “alarme, populismos políticos e revoltas dentro do sistema prisional”.

De acordo com o Observador, esta foi a única crítica dirigida ao Governo de António Costa, que, segundo o comentador, agiu bem ao decretar medidas “duras, mas necessárias“, sobretudo nesta altura da Páscoa.

Da mesma forma, referiu, o Presidente da República agiu igualmente “bem” ao decidir promulgar o estado de emergência e pela comunicação “realista”, mas esperançosa que dirigiu ao país.

Sobre as opiniões divergentes sobre o uso de máscara, Marques Mendes chamou a atenção para o facto de outro organismo – o Conselho de Escolas Médicas – ter dito o contrário do que tem sido afirmado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), ao defender o uso generalizado de máscara por parte da população.

“Não sou especialista e não vou dar palpites – seria um abuso -, mas recomendava uma coisa: estes dois organismos mais um terceiro ou um quarto, deviam reunir, discutir, chegar a conclusões e dar uma orientação clara”, afirmou.

Esta semana, Rui Rio mostrou-se disponível para formar um Governo de salvação nacional. Sobre este ponto, Luís Marques Mendes considerou que a sugestão “pode soar bem, mas tem pouco conteúdo”. “Acho que não vai acontecer e acho que não é uma boa solução para a democracia”, declarou.

Para o comentador, este governo só poderia ser de Bloco Central e esta solução não lhe parece ideal por vários motivos. “Um Bloco Central acabava com a ideia de alternativa. Se os dois principais partidos estão de mão dada, juntos dentro do Governo, acaba a alternativa.” Além disso, sublinhou que as divergências internadas do PS e do PSD iam fazer-se sentir dentro do Governo.

Ainda assim, a aprovação de orçamentos – quer de Estado quer retificados – será um problema no futuro. “PS e PSD terão de fazer um esforço para se entenderem. Isso é do interesse nacional e deve estar acima de tudo. Não precisam de estar juntos no Governo para aprovarem orçamentos”, concluiu.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

DGS atualiza regras para partos. Hospitais têm de assegurar condições para acompanhantes

A Direção-Geral da Saúde fez uma revisão nas orientações de modo a facilitar o acesso dos acompanhantes e para deixar exclusivamente ao critério da mãe o contacto pele a pele com o bebé e a …

Portugal com mais uma morte por covid-19 e 610 novos casos de infeção

Portugal registou, esta quarta-feira, mais uma morte e 610 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 610 …

Quartos para arrendar estão mais baratos em Lisboa. A culpa é da pandemia

A pandemia provocou uma quebra de preços mas a capital ainda é a cidade onde fica mais caro arrendar um quarto. Ao longo do último ano foi na cidade de Lisboa que se registou a …

MP acusa ativista que interrompeu António Costa de desobediência qualificada. Arrisca 2 anos de prisão

Em 2019, um ativista do movimento Extinction Rebellion Portugal interrompeu e tirou o microfone ao primeiro-ministro António Costa no jantar de aniversário do Partido Socialista. Agora, está a ser acusado de desobediência qualificada. De acordo com …

Jerónimo de Sousa lança críticas ao PS no arranque das autárquicas

Jerónimo de Sousa focou as suas críticas no PS no dia em que a CDU apresentou o compromisso da coligação parar as eleições autárquicas. A CDU promoveu, esta terça-feira, um "ato público" para apresentar o compromisso …

Cabrita vai explicar contrato do SIRESP ao Parlamento

O Parlamento vai ouvir o ministro da Administração Interna para explicar o problema da rede de comunicações de emergência do Estado, SIRESP, cujo contrato termina ainda este ano. A audição de Eduardo Cabrita foi aprovada por …

Falha de luz estraga 2400 vacinas em Famalicão. Almirante desvaloriza e Graça Freitas prevê "abundância"

Uma falha de energia eléctrica no Centro de Vacinação de São Cosme, em Famalicão, no distrito de Barcelos, levou à inutilização de 2400 vacinas. Um incidente que compromete a administração de doses no concelho numa …

Vacinação alargada a diabéticos, obesos e doentes oncológicos. Portugal vai dar vacina da Johnson

Marta Temido, ministra da saúde, Graça Freitas, directora-geral da Saúde, e Gouveia e Melo, coordenador da task force de Vacinação, fazem o balanço da primeira fase de vacinação contra a Covid-19 em Portugal, revelando mudanças …

Superliga Europeia está oficialmente suspensa. Teve 48 horas de vida

Os criadores da Superliga Europeia de futebol revelaram esta terça-feira à noite, em comunicado, que pretendem remodelar aquela competição, depois de os seis clubes ingleses terem anunciado o seu abandono. “Apesar da anunciada partida dos clubes …

Casa Branca exige que Congresso aprove reformas de práticas policiais

Depois de o júri do julgamento da morte de George Floyd ter declarado o ex-agente da polícia Derek Chauvin culpado dos três crimes de que era acusado, Joe Biden exigiu que o Congresso aprove reformas …