Portugal está na moda no Brasil. Marcelo volta a desvalorizar atitude de Bolsonaro: não há “amargos de boca”

3

Paulo Novais/Lusa

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, falava à comunicação social antes de partir para o Brasil

“Há uma moda de Portugal no Brasil”, considerou o Presidente da República após visitar uma exposição de arte em São Paulo. Em jeito de despedida do país sul-americano, Marcelo Rebelo de Sousa desvalorizou a atitude do homólogo Jair Bolsonaro, afirmando que se abriu “o apetite para futuros encontros”.

“Já não é o Portugal do passado”, declarou Marcelo, citado pela TSF, após a visita à exposição da artista portuguesa Gabriela Albergaria, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, dizendo estar espantado com a “quantidade de brasileiros a dizer que querem ir morar para Portugal”.

Questionado sobre possíveis “amargos de boca”, após Bolsonaro cancelar o encontro entre ambos, devido à sua reunião com o ex-Presidente Lula da Silva, Marcelo declarou: “aquilo que poderia ser um amargo de boca, foi uma coisa muito doce numa perspetiva de médio e longo prazo. Falou-se mais de Portugal”.

Desvalorizando novamente a atitude de Bolsonaro, o chefe de Estado indicou que a viagem de três dias ao Brasil “foi um bom investimento”. “Medimos a temperatura em relação ao Brasil, está imparável do ponto de vista de juventude, na económica há uma esperança, embora estejam preocupados com a inflação”, referiu.

E apontou, rejeitando novamente um problema diplomático entre os países: “Portugal ficou marcante no Brasil e abriu-se o apetite para futuros encontros. Nada como um compasso de espera para o abraço ser ainda maior”.

No balanço do Presidente, houve um “clima muito simpático” durante a sua estadia, embora não tenha recebido comunicação escrita ou telefonema de Bolsonaro. Quanto a um possível telefonema em setembro, durante a sua próxima visita, respondeu: “Sou velhinho, já vi tantas coisas na vida, essa é a mais fácil de adivinhar.”

De volta a Portugal, Marcelo receberá este terça-feira o novo presidente do PSD, Luís Montenegro, com quem já disse que espera ter uma boa colaboração.

  Taísa Pagno , ZAP //

3 Comments

  1. Como também fui eu que paguei a viagem inútil deste ”beija flor” ao Brasil,gostava de saber,o que foi que Portugal lucrou com esta visita.Sem dúvida que somos um povo muito fraquinho.

  2. Ganhamos o bronze do presidente Copacabana e a vergonha de ter um presidente que continua a preferir encontra-se com condenados por crimes praticados…

  3. Foi uma demonstração de apoio a um ex-presidiário, condenado por crimes de corrupção imensuráveis. Isto é inaceitável de um representante de outro país. Valorizar o criminoso não é aceitável. O Brasil não precisa receber visitas deste tipo de politico. Aqui se valoriza bons princípios, a pátria, Deus e a família.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.