Marcelo deixa recado ao Governo: “Quando se diz que vêm em bolha, vêm em bolha. Se não, não se diz”

ppdpsd / Flickr

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República disse, este sábado, que é preciso manter uma boa comunicação quanto às medidas contra a covid-19 sob o risco de incompreensão face às decisões do Governo pois “o discurso tem de bater com a realidade”.

Após uma visita ao Banco Alimentar Contra a Fome em Lisboa, no decorrer da campanha nacional de recolha de alimentos, o Presidente da República foi instado a comentar a situação que atualmente decorre no Porto, com milhares de adeptos dos clubes ingleses Manchester City e Chelsea a aglomerar-se em vésperas da partida da final da Liga dos Campeões que irá ser disputada no Estádio do Dragão.

Perante as imagens transmitidas no local de muitas pessoas em esplanadas e bares no centro histórico do Porto sem respeitar o distanciamento social ou a utilização de máscara, Marcelo Rebelo de Sousa apelou ao “bom senso”, recusando que tais concentrações possam provocar “uma tragédia” ou que tenha de “haver recuo nisto e naquilo”.

No entanto, o Presidente da República deixou também reparos ao Governo pela forma como geriu o evento. “É uma questão de comunicação. Quando se diz que vêm em bolha, vêm em bolha. Se não, não se diz”.

“Quando se fixa um limite, se esse limite é um bocadinho superior ao que era para ser, tem de se explicar porquê”, comentou.

A crítica de Marcelo vem no seguimento das promessas do Governo, comunicadas pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, que disse após o Conselho de Ministros de 13 de maio que os adeptos ingleses iriam ficar menos de 24 horas em Portugal e em grupos controlados.

“As pessoas que vierem à final da Liga dos Campeões virão e regressarão no mesmo dia, com teste feito, em situação de bolha, ou seja, em voos charter, com deslocações para uma zona de espera. Daí irão para o estádio e depois para o aeroporto, estando em território nacional menos de 24 horas, numa permanência em bolha e com testes obrigatórios, feitos, em princípio, antes de entrarem no avião”, disse a ministra.

No entanto, já há adeptos a aguardar a partida de hoje no Porto desde quinta-feira — muitos sem bilhetes mas presentes em Portugal para acompanhar as equipas — tendo até já sido registados desacatos entre apoiantes rivais.

Perante esta situação, Marcelo diz que as “circunstâncias aparentemente não correram como aquilo que tinha sido dito que devia correr” e que o Governo deve aprender com este caso porque “o discurso tem de bater com a realidade”.

Admitindo que “é muito difícil definir regras sanitárias para 100 espetáculos no país”, o Presidente da República voltou à carga com o tema que apresentou ontem na reunião do Infarmed: a preocupação em comunicar com clareza as medidas e os motivos para as mesmas para que não se perca legitimidade na sua tomada.

“Tem de se ter atenção a que, ao ir definindo regras permanentemente, tem de ser de forma a que as pessoas percebam e as regras colem à realidade”, avisou hoje.

O Presidente deu então um exemplo da sua atuação, explicando que, para o evento que se avizinha de celebração do Dia de Portugal, a 10 de junho, podia ter até 1500 pessoas se usasse o espaço do Palácio de Belém e do jardim tropical adjacente no máximo da sua capacidade, mas que não quis fazê-lo porque “tem de se ter a noção do exemplo que se dá”.

Ainda assim, apesar de alguns riscos de incompreensão por parte da população, o Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que os “portugueses são muito sensatos, têm quase nove séculos de história”.

“O português, quando sente que é para fechar, fecha. Quando sente que é para abrir de forma mais ampla, abrirá — neste momento percebe que há coisas que se tem de fechar e cumprir certas regras e há coisas em que faz sentido abrir e não vale a pena criar um discurso que não dá para acreditar”, disse o Presidente.

// Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Quando se pede aos portugueses para serem sensatos é para se ser (incluindo tu, Marcelo!). se não não se diz. Que raio de moral tens tu…

    “Quando se fixa um limite, se esse limite é um bocadinho superior ao que era para ser, tem de se explicar porquê”. Quando tu, Marcelo, pedes ao povo para mater distanciamento social e evitar aglomeramentos e… não o fazes, deves explicar o porquê os jantares de Natal, a visita ao bairro de cerco e a visita á Guiné e os aglomeramentos que provocaste desnecessáriamente. É que se não, corres os risco do povo não perceber… E perdes “legitimidade”. Mas… Eu acho que tu ainda não percebeste, (“Tem de se ter atenção a que, ao ir definindo regras permanentemente, tem de ser de forma a que as pessoas percebam e as regras colem à realidade”) por isso não se pode esperar isso de ti. Pena que peças sensatez quando és um dos maiores insensatos em Portugal e… dás o (mau) exemplo! Pior! É ninguém ver os disparates que fazes e dizes!

    “O Presidente deu então um exemplo da sua atuação, explicando que, para o evento que se avizinha de celebração do Dia de Portugal”. E o Marcelo “deu o exemplo”! O óme é mesmo ceguinho! “Ainda assim, apesar de alguns riscos de incompreensão por parte da população, o Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que os “portugueses são muito sensatos, têm quase nove séculos de história”.” Realmente a incompreensão é inevitável com a tua atuação “exemplar” (ridículo como ainda ele tem a lata de “dar o bom exemplo”). E… nove séculos de história não é sinónimo de sensatez, como qualquer um que tenha olhos na cara e veja o que se passa. Tu, com a tua idade, já devias ter juizo! Mas o povo escolhe não ver…

  2. “O português, quando sente que é para fechar, fecha. Quando sente que é para abrir de forma mais ampla, abrirá — neste momento percebe que há coisas que se tem de fechar e cumprir certas regras e há coisas em que faz sentido abrir e não vale a pena criar um discurso que não dá para acreditar”. Mas… Que português te referes? é que esse que te referes… não existe. Se é para fechar… abre-se! O povo não percebe (ou não quer perceber). Tu conheces mesmo o povo português…

  3. Os portugueses não são sensatos! Os portugueses são mansos! Esta invasão de ingleses é a melhor prova de que somos governados por idiotas.

RESPONDER

"Quanto mais cedo, melhor". A dona da Marlboro apoia a proibição dos cigarros até 2030

O CEO da Philip Morris Internacional, dona da Marlboro, apoia a proibição da venda de cigarros, mas os activistas anti-tabaco já acusaram a empresa de hipocrisia por tentar comprar uma farmacêutica enquanto lucra com o …

Bezos e Branson não são astronautas, clarifica Administração da Aviação norte-americana

Dúvida instalou-se depois dos voos que levaram os dois bilionários ao espaço. Novas diretrizes da Administração Federal de Aviação vêm esclarecer.  Após os voos que os tornaram nos primeiros turistas espaciais, Jeff Bezos e Richard Branson …

Soldados afegãos buscam refúgio no Paquistão após perderem postos na fronteira

Quase meia centena de soldados afegãos buscaram asilo no Paquistão após perderem para os Talibãs o controle das posições militares na fronteira, informou o exército paquistanês esta segunda-feira. Centenas de soldados do exército afegão e oficiais …

Portugal ultrapassa Estados Unidos em população com vacinação completa

EUA vivem atualmente um planalto no seu processo de vacinação, com pouco mais de meio milhão de cidadãos a serem vacinados diariamente. Desaceleração no ritmo de inoculações é atribuída a motivações pessoais da população e …

Mulher que vestia camisola com capa do Charlie Hebdo ferida em Londres

Uma mulher que vestia uma camisola estampada com uma capa da revista satírica francesa Charlie Hebdo foi ferida levemente com arma branca no domingo em Hyde Park, em Londres, informou a polícia, que pediu colaboração …

Novo Banco. Comissão de inquérito aprova que resolução do BES foi "fraude política"

A comissão de inquérito ao Novo Banco aprovou uma proposta do PCP de alteração ao relatório referindo que a resolução do BES e a sua capitalização inicial, de 4.900 milhões de euros, foi "uma fraude …

BCP prevê saída de mais de 800 trabalhadores e admite despedimento coletivo

O presidente do BCP disse esta segunda-feira que deverão sair do banco mais de 800 trabalhadores, abaixo da meta inicial de 1.000, mas que depende dos funcionários que aceitarem rescindir e mantém a possibilidade de …

Jogos Olímpicos. Ouro e prata para atletas de...13 anos

Pódio muito jovem na estreia do skate feminino. A espreitar o pódio ficou uma norte-americana com quase o triplo da idade. O skate está a "viver" os seus primeiros dias na história dos Jogos Olímpicos. Inserido …

SEF e PSP reforçam fiscalização às regras aplicáveis nas viagens de avião

O SEF e a PSP reforçaram a fiscalização nos aeroportos às regras do tráfego aéreo devido às variantes de covid-19 e ao aumento do número de voos previsto para as próximas semanas, segundo um despacho …

Ramalho Eanes defende que Otelo "tem direito a lugar de proeminência" na História

O ex-presidente da República Ramalho Eanes defendeu esta segunda-feira que Otelo Saraiva de Carvalho, falecido no domingo, tem direito a um "lugar de proeminência histórica", apesar "da autoria" do que considerou "desvios políticos perversos, de …