Marcelo define-se como feminista e defende paridade na diplomacia

João Relvas / Lusa

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, em visita oficial a Moçambique

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, em visita oficial a Moçambique

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu que deve haver paridade na diplomacia, referindo que a desigualdade persiste nos escalões superiores, e neste contexto definiu-se como feminista.

Numa conferência internacional esta segunda-feira sobre mulheres na diplomacia, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, em Lisboa, o chefe de Estado declarou-se “sensível à causa que une as senhoras embaixadoras que organizaram este encontro: a causa da igualdade de género“.

“Se é verdade que hoje ninguém questiona a participação das mulheres na diplomacia, não o é menos que a proporção de mulheres nos serviços diplomáticos de todo o mundo, particularmente em posições de relevo, está ainda longe da desejável paridade”, considerou.

Marcelo Rebelo de Sousa repetiu a expressão “desejável paridade” e questionou se dizer isso “será querer dizer que o Presidente da República é feminista“, acrescentando: “Não há como fugir ao qualificativo, mesmo sem nunca o ter assumido, ou assumir de moto próprio”.

O governo anunciou em janeiro que pretende que até 2020 os conselhos de administração das empresas “tenham de cumprir uma quota de 33% para o género menos representado”. Nas empresas do Estado, as quotas terão de ser cumpridas até 2018.

Esta é uma medida que já estaria a ser preparada pelo governo de Passos Coelho, que teria até assinado um acordo com 13 empresas cotadas em Bolsa, em junho de 2015, no sentido de que os respectivos conselhos de administração fossem compostos por um mínimo de 30% de mulheres até 2018.

“Sou quase um Presidente feminista”

Em março, num discurso perante um grupo de embaixadoras em Lisboa, o Presidente da República disse que “a igualdade de género é uma forma de estar” que estava no topo das suas preocupações.

“Sou, por dever moral e por sentimento, quase um presidente feminista. O meu primeiro encontro com embaixadores é com um grupo de embaixadoras e não podia ser de outra maneira”, disse Marcelo, afirmando que não é preciso ser “uma Presidente mulher para se preocupar com os direitos das mulheres”, direitos que devem ser uma preocupação de todos.

O Presidente da República foi peremptório: “A igualdade de género é uma forma de estar. Não basta apregoar, não basta construir um quadro legislativo. É preciso concretizar a igualdade de género no nosso dia-a-dia, é preciso sentir que é importante.”

O Presidente da República disse ter “total paridade de género” na sua equipa de assessoria diplomática e adiantou que a nova secretária do Conselho de Estado é uma mulher – Rita Magalhães Colaço -, tal como a nova responsável em matéria de Segurança Nacional, Mafalda Gama Lopes. Algo fundamental já que, diz Marcelo, jurou “sobre uma Constituição que tem no princípio da igualdade um dos seus pilares fundamentais”.

Dirigindo-se ao grupo de embaixadoras, o chefe de Estado considerou que “as mulheres na diplomacia são sinónimo de igualdade de circunstâncias”, o que significa que tiveram uma “formação em igualdade de circunstâncias”, escolheram a diplomacia em igualdade de circunstâncias e passaram por processos de seleção em igualdade de circunstâncias.

Citando a jovem ativista Malala Yousafzai, prémio Nobel da Paz em 2014, Marcelo enfatizou a importância da Educação na promoção do desenvolvimento das sociedades, no reforço do poder das mulheres e na igualdade.

No encontro em março estiveram presentes, para além de 19 embaixadoras em Portugal, a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Teresa Ribeiro, e as deputadas do PSD Paula Teixeira da Cruz, Maria Germana Rocha e Ângela Guerra, e do CDS-PP Teresa Caeiro.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Estado emprestou dois milhões à Cruz Vermelha para pagar salários

A Parpública SGPS emprestou dois milhões de euros ao Hospital da Cruz Vermelha, nomeadamente para fazer pagamento de salários. A Parpública SGPS, holding tutelada pelo Ministério das Finanças, libertou dois milhões de euros para permitir ao …

Ex-ministro francês François Bayrou acusado de cumplicidade na apropriação de fundos

O ex-ministro francês François Bayrou, dirigente centrista e próximo de Emmanuel Mácron, foi acusado na sexta-feira por "cumplicidade na apropriação indevida de fundos públicos" no caso dos assistentes parlamentares do seu partido. A acusação, "anunciada antecipadamente …

"Profundamente envergonhada", Merkel visitou Auschwitz pela primeira vez

A chanceler alemã, Angela Merkel, visitou esta sexta-feira pela primeira vez o campo de concentração e extermínio de Auschwitz-Birkenau num "sinal de reconciliação com os judeus e o estado de Israel", considera o historiador René …

Capital do Natal de Algés avança com queixa-crime contra promotores

A organização da Capital do Natal, evento que decorre em Algés, Oeiras, vai apresentar uma queixa-crime contra os promotores turísticos que "adulteraram a oferta do parque", o que defraudou "um conjunto alargado de pessoas". Em causa …

Menino de 5 anos convidou todos os colegas do infantário para assistir à sua adoção

Um menino de cinco anos de Michigan, nos Estados Unidos, convidou a sua turma do infantário para testemunhar à sua adoção legal. A criança, identificada como Michael, foi adotada formalmente pela sua nova família na passada …

TDT vai mudar de frequência (outra vez)

A frequência da Televisão Digital Terrestre (TDT) está a ser alterada de forma faseada, o que significa que os portugueses que usem este serviço gratuito de televisão têm de sintonizar novamente os seus recetores e/ou …

Ruas de Águeda entre as "mais bonitas do mundo" para a CNN

As ruas do centro de Águeda, no distrito de Aveiro, decoradas com guarda-chuvas estão entre as 21 mais bonitas de mundo para a emissora norte-americana CNN. A distinção é avançada pelo jornal Público, que dá …

Hospitais vão poder pagar mais a médicos para garantir urgências no Natal

Os hospitais vão poder contratar médicos prestadores de serviço, vulgo tarefeiros, por valores superiores aos de referência durante o Natal e o Ano Novo. De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Médicos, Noel Carrilho, …

Jovem que abandonou bebé no lixo esteve 13 anos institucionalizada em Cabo Verde

A jovem que abandonou o filho recém-nascido no lixo, em Lisboa, esteve institucionalizada durante 13 anos em Cabo Verde. A sua mãe está agora a lutar pela guarda da criança. Numa entrevista ao programa Sexta às …

Último debate. Boris defendeu o Brexit e Corbyn falou da Saúde (pelo menos 15 vezes cada um)

No debate televisivo, transmitido pela BBC, o último antes das eleições da próxima quinta-feira, Boris Johnson defendeu que é o melhor preparado para concretizar o Brexit e terminar com o impasse no processo, prometendo ainda …