/

Marcelo aprova novas medidas e anuncia reunião com especialistas para discutir situação das escolas

1

António Cotrim / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assinou esta terça-feira o decreto do Governo que altera a regulamentação do estado de emergência devido à pandemia de covid-19 e anunciou uma reunião com especialistas na próxima semana para avaliar a situação das escolas.

O anúncio foi feito através de uma nota no site da Presidência da República em que Marcelo também anuncia um encontro com especialistas sobre o “ano letivo em curso”.

“Sendo certo que já dentro de uma semana, em sessão por ele sugerida, haverá nova reflexão com os especialistas acerca de outras temáticas, como as respeitantes ao ano letivo em curso, e beneficiando já de mais dados sanitários, o Presidente da República assinou o decreto do Governo que altera a regulamentação do estado de emergência.

Fonte oficial disse à Lusa que o diploma já foi referendado pelo primeiro-ministro, António Costa, e seguiu para publicação em Diário da República

O primeiro-ministro anunciou esta segunda-feira, após reunião do Conselho de Ministros, ajustes ao novo confinamento que visa travar a covid-19 e que incluem o fim de vendas ao postigo, novos horários de funcionamento para todos os estabelecimentos e o regresso da proibição de circular entre concelhos aos fins-de-semana.

Abertura das escolas vai ser discutida

Marcelo Rebelo de Sousa disse ainda nesta terça-feira quadro geral de medidas de combate à covid-19, incluindo a abertura das escolas, vai ser ponderado na próxima semana, em nova reunião com especialistas e audiências aos partidos na terça-feira.

“Na semana que vem, terça-feira haverá uma sessão epidemiológica e na sequência do isso haverá a renovação, mais uma, do estado de emergência. Eu ouvirei os partidos na própria terça-feira. E nessa ocasião se ponderará o quadro geral das medidas, nomeadamente a questão das escolas”, declarou Marcelo Rebelo de Sousa, no Campus de Carcavelos da Universidade Nova de Lisboa.

Questionado se faz sentido manter abertas as escolas, o chefe de Estado e recandidato ao cargo respondeu que “é isso que ponderado na sessão aberta” de terça-feira com especialistas sobre a situação da covid-19 em Portugal, que acontecerá dois dias depois das eleições presidenciais de domingo.

“Como sabem, as sessões são abertas na parte que é muito importante em que os especialistas dizem o que pensam, e vai ser importante ouvir os especialistas dizerem na terça-feira sobre o que pensam sobre as escolas”, acrescentou, referindo que “há pontos de vista diferentes quanto aos vários graus de ensino”.

  ZAP // Lusa

1 Comment

  1. Acho que este trafulhazeco deveria possuir autonomia política. Está sempre à espera da opinião dos outros para fazer algo pelo “seu” país.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.