Manuscrito desconhecido de John Locke encontrado numa biblioteca de Maryland

O manuscrito original de John Locke, com mais de 300 anos, foi encontrado nos arquivos da biblioteca da Universidade de St. John, no campus de Anápolis, em Maryland.

Foi o académico independente J. C. Walmsley, com a ajuda do seu antigo colega de Cambridge, Felix Waldman, que encontrou o documento. Waldman contou ao Wall Street Journal como Walmsley, ao folhear um catálogo de livros de 1928, se deparou com o título de um texto de John Locke que desconhecia. O título, Reasons for Tolerating Papists Equally with Others, levava a crer que se tratava de uma atribuição errónea. E

Em 1689, na sua Carta Sobre a Tolerância, uma das obras-chave de Locke, posterior à que foi encontrada, o filósofo propõe uma visão liberal da Igreja Anglicana na sua relação com as seitas protestantes, mas não estende essa tolerância a católicos e ateus.

O surgimento do manuscrito foi uma surpresa. Ao receber uma versão digitalizada do documento, Walmsley identificou de imediato a caligrafia de Locke e a sua busca incessante levou-o a Anápolis. O documento contém uma sucessão lógica, bem à maneira lockeana, que põe a polémica hipótese de tolerar os católicos, num tempo em que estes e protestantes se perseguiam e se opunham em conflitos militares.

O filósofo acaba por concluir a impossibilidade de poder estender a tolerância aos católicos, visto que a infalível autoridade do papa sobre estes entrava em conflito com a obediência que deviam prestar ao governo inglês. Os académicos já dedicaram um estudo à sua descoberta, publicado no Historical Journal da Cambridge University Press.

John ​Locke nasceu e viveu na Inglaterra do século XVII, enquanto emergiam no continente europeu os estados absolutos, liderados por monarcas que concentravam todo o poder sob o inviolável e divino direito de governar.

Pelo contrário, no parlamento inglês, lutava-se para limitar as tendências centralistas. Depois de uma tentativa falhada de assassinato do rei Carlos II de Inglaterra, em 1683, John Locke apesar de não estar diretamente envolvido, viu-se obrigado a fugir da sua terra natal e a procurar exílio nos Países Baixos durante seis anos.

Aí reforçou as suas ideias sobre a tolerância e a relevância da liberdade no quadro da monarquia constitucional, bem como a sua condenação do absolutismo régio, que associava aos permanentes conflitos religiosos e políticos que assolaram a Europa.

​Quando partiu para o exílio, o filósofo terá deixado na posse do seu amigo e membro do parlamento Edward Clarke, em conjunto com outros textos, este manuscrito. Ao longo de várias gerações ficou na posse da família, até passar para a posse da leiloeira Sotheby’s em 1922. Trocado de mão em mão, acabou por ser doado à Universidade de St. John.

O pensamento de Locke é considerado uma das pedras fundacionais do liberalismo clássico e da democracia ocidental, que influenciou o movimento intelectual e filosófico que reinou no século XVIII – o Iluminismo –, bem como os ideais da revolução francesa e da constituição americana.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam tinta ultra-branca que ajuda a arrefecer as superfícies

Cientistas criaram uma nova tinta ultra-branca que pode refletir 95,5% da luz solar que chega à sua superfície. De acordo com o site IFLScience, esta propriedade permite que algo revestido com esta tinta ultra-branca, como, por …

Morreu Sindika Dokolo, marido de Isabel dos Santos

O empresário Sindika Dokolo faleceu, nesta quinta-feira, no Dubai, aos 48 anos de idade, durante a prática de mergulho. A morte do empresário de origem congolesa já foi confirmada à Lusa por uma fonte ligada à …

Lagostins autoclonados invadiram (e conquistaram) um cemitério na Bélgica

Um cemitério na Bélgica foi completamente invadido por lagostins marmoreado. De acordo com o Instituto Flamengo para Pesquisa da Natureza e da Floresta (INBO), a espécie representa uma grande ameaça para a biodiversidade local. Segundo o …

Benfica 3-0 Standard Liège | “Águia” voa de forma imperial

A noite foi de festa no Estádio da Luz para os cerca de 4875 espectadores – 7,5% por cento da lotação – que se deslocaram ao reduto dos “encarnados” esta quinta-feira. O Benfica venceu por 3-0 …

Urnas abertas no Minecraft. Servem para ensinar os jovens a votar nas eleições

A organização não partidária e sem fins lucrativos Rock the Vote e a empresa criativa Sid Lee uniram-se para criar um servidor de "casa de votação" no popular jogo Minecraft antes das eleições presidenciais de …

Zorya Luhansk 0-2 Braga | “Nota artística” em triunfo minhoto

Dois jogos, duas vitórias para o Sporting de Braga no Grupo G da Liga Europa. Uma entrada de rompante em jogo, com dois golos espectaculares nos primeiros 11 minutos, permitiram aos “arsenalistas” controlar e lidar …

Amostra de ADN desvenda homicídio cometido há quatro décadas

Uma amostra de ADN, colhida de um norte-americano da Carolina do Sul após este ser detido por apontar uma arma, permitiu às autoridades desvendar um caso antigo, identificando-o como principal suspeito do homicídio de uma …

Investigadores portugueses criam simuladores para treinar médicos à distância

Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) desenvolveram, durante o confinamento, um método para os estudantes treinarem para cenários de emergência sem saírem de casa. Em declarações à Lusa, Carla Sá Couto, do …

Restam apenas dois rinocerontes brancos do norte (mas há uma esperança para salvar a espécie)

Com a morte do último macho em 2018, o rinoceronte branco do norte chegou ao ponto em que não pode ser salvo naturalmente. Com apenas duas fêmeas restantes, a subespécie é agora tida como oficialmente …

Há uma região na América do Norte sem qualquer caso de covid-19. Tem a dimensão do México

Nunavut, uma região localizada no norte do Canadá, continua sem registar nenhum caso de covid-19. A receita para o sucesso tem vários ingredientes, mas as caraterísticas especiais da região e as medidas rígidas tomadas logo …